A “boa” notícia do Diário Económico

Manchete de hoje: “Saiba como será mais fácil despedir em 2008”.

1. Repare-se na utilização da palavra “Saiba”, muito exibida pelos jornais populares. A notícia revela-se pedagógica: não se pretende apenas elucidar o leitor sobre as propostas do “Livro Branco”, propõe-se, sobretudo, ensinar a utilizar esta legislação para despedir mais e melhor.

2. É fácil perceber quem são os leitores que o Diário Económico escolhe. Entre patrões e trabalhadores, o jornal sabe quem são os seus. Está no seu direito. É pena é que não haja jornais em Portugal que defendam a opinião contrária e titulem assim: “Saiba todos os truques para evitar ser despedido em 2008” ou que chamem nomes a uma legislação que serve para transformar todos os trabalhadores em contratados a prazo.

3. Pelo contrário, os outros jornais portugueses que não se dirigem aos patrões, mas por inusitada coincidência pertencem aos mesmos, esforçam-se por convencer toda a gente que a flexibilização dos despedimentos fará nascer empregos… Brilhante exercício de ilusionismo. Não há nada como convencer as vítimas que é para para seu bem que vão para a rua, perdem o trabalho e o ordenado … Está-se mesmo a ver os patrões com um ar compungido a dizerem: “doi-me mais a mim do que a ti”.

Depois dizem que na Rússia é que não há pluralismo informativo. Sempre me sairam uns grandes filhos do Putin…

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 Responses to A “boa” notícia do Diário Económico

Os comentários estão fechados.