Eu explico:

Sugestionado pelo “choque tecnológico” do Eng.º Sócrates, para ajudar um velhinho do Norte em dificuldades financeiras ou simplesmente para me vingar da TV Cabo (o pior serviço do mundo), aderi há uns meses à triple play da Sonaecom e passei a ter telefone fixo, televisão e net tudo junto. Quando funciona, a coisa faz-me poupar à volta de quinze euros por mês; quando não funciona, deixa-me com contas de telemóvel que são largamente superiores a todas as poupanças que permite. Ora desde quinta-feira passada que a coisa não funciona. A F. (não confundir com a f., chama-se Francisca e não Fernanda e tem 16 anos e não 24, como a minha colega de blogue) ficou sem a Fox e o Dr. House, a minha mãe ficou sem o meu telefone fixo para me fazer chamadas baratinhas fora de horas e eu fiquei sem internet: daí o meu abjecto silêncio dos últimos dias. Não falando já das saudades dos meus queridos comentadores, deixei por dizer coisas importantíssimas: li há pouco tempo um livro muito engraçado da Lynn Hunt chamado The Invention of Pornography e queria expender umas considerações pseudo-cultas sobre esse tema de que gosto quase tanto como de futebol: o sexo, e reli mais recentemente ainda umas aleivosias de Berlin sobre Rousseau e a sua “vontade geral” que gostava de pôr em paralelo com o que (de muito melhor) escreveu sobre o assunto Ernst Cassirer mas não tive como, porque fiquei sem rede (literalmente) e caí portanto sem estardalhaço no buraco fundo do silêncio. Escrevo-vos neste momento clandestinamente, roubando à entidade patronal os minutos que levam a dar esta explicação, que para ser dada me deixará também sem almoço (e Céus!, como eu gosto de almoçar!); mas mal a tecnologia se recomponha – está prometido – farei desaguar nos vossos PC’s torrentes de elevados pensamentos. Até breve.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 Responses to Eu explico:

Os comentários estão fechados.