Partidos e inteligência

A possibilidade do PSD pode proceder disciplinarmente contra Pacheco Pereira, devido à sua intervenção na Quadratura do Círculo, é demasiado burra para ser verdade. É conhecida a alergia que os partidos têm a homens inteligentes e que pensem pela sua própria cabeça, como Pacheco Pereira, mas é surpreendente que Luís Filipe Menezes alinhe num expediente tão canhestro. Menezes tem tudo a ganhar aceitando as palavras de Pacheco Pereira. Tratar bem os seus maiores críticos é a forma mais expedita de desmentir as acusações de baixa política e clientelismo e de poder recuperar gente útil para o seu próprio barco. A nova direita gosta de copiar as posses e os fatos de Sarkozy, mas aprendeu pouco da arte de surpreender, incluir críticas e recuperar pessoas.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

11 Responses to Partidos e inteligência

Os comentários estão fechados.