Ana Matos Pires: Por um juízo esclarecido*

Sobre obsessões – ideias recorrentes, intrusivas, incoercíveis, irracionais, alimentadas pela dúvida e egodistonicas – aqui vai uma ajudinha, na esperança que se acabe com o disparate.

Vem isto a propósito do uso indevido dos conceitos – vidé aqui e aqui.

É o que dá falar do que não sabemos. Ou estaremos no domínio da fabulação delirante, vulgo mitomania, que além de integrar o espectro da impulsividade/compulsividade, é um sinal psicopatológico que configura uma paramnésia e que se acompanha, frequentemente, por um pensamento digressivo e circunstanciado, cujos equivalentes ao nível do discurso são a verborreia e a prolixidade, tão comum nos pedantes.

*Cada um dá o que pode e este é o meu contributo médico psiquiátrico na luta contra o obscurantismo, a ignorância e a presunção.

Ps1: Ainda sobre o mesmo conceito, consultar também este post do Lutz no Quase em Português, em particular os comentários.

Ps2: Percebo o Vasco e concordo com António.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 Responses to Ana Matos Pires: Por um juízo esclarecido*

  1. Pingback: blogue atlântico » Blog Archive » Miopias da esquerda

  2. Pingback: cinco dias » Sobre obsessões e obcecações

Os comentários estão fechados.