David B.

Autor: Edgar Pêra

David B. é muito provelmente o nome mais interessante da banda desenhada francesa de hoje. O seu trabalho, obsessivamente dedicado seu epilético irmão e à sua família, vive de uma estética pesadélica, onde os negros invadem as páginas e os desenhos irrompem como luz vinda de um túnel. Mais ou menos.

David B. participou no o III Festival Internacional de Bd de Beja e deu uma conferência no Instituto Franco-Português, onde o entrevistámos. A primeira parte da entrevista debruçou-se sobre Babel, uma enciclopédia de narrativa visual da época, retratada na sua obra emblemática: L’Ascention du Haut-Mal.
Babel encontra-se ainda em fase de publicação seriada. Procurámos saber qual a relação dessa obra com a Guerra. E com o “Rei do Mundo”.

A segunda parte desta cine-entrevista aborda alguns aspectos relacionados com L’Ascention du Haut-Mal. De que forma se vive a Normalidade numa “família epilética”?

Os nossos agradecimentos vão para para a tradutora-relâmpago Susana Mântua, João Trindade, Margarida Silva/Instituto Franco-Português e para o autor, que para além de ter renovado, ao longo da década passada, o interesse pela banda desenhada francesa, disponibilizou-se a dar esta entrevista mal chegado do aeroporto, almoçando à pressa – sob o escrutínio do entrevistador, e sem tempo sequer para comer a sobremesa!

Sobre Joana Amaral Dias

QUARTA | Joana Amaral Dias
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.