Cinema vérité

Oito e meia da manhã, cruzamento da João Crisóstomo com a Avenida da República. À esquina, um weirdo com trinta e tal anos e ar virginal distribui os papelinhos do costume, com fotos sanguinolentas de fetos abortados. Atrás dele, no quiosque dos jornais, está um anúncio de dois metros de altura de uma revista para o segmento B- do público feminino (imagino eu) chamada “Happy Woman”. Entre outros títulos, este: “Sexo oral: um guia prático”. Vivem-se tempos difíceis.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Cinema vérité

Os comentários estão fechados.