Os cartazes do “sim”

Parabéns a todos: os cartazes do “sim” no referendo sobre a despenalização da IVG parecem-me todos bons. Referindo-se (por ordem de aparição) à humilhação das mulheres que a lei actual implica (BE), à urgência de acabar com o aborto clandestino, que é o principal objectivo da nova lei (PCP) e à necessidade de mobilizar o eleitorado e combater a abstenção (PS), referem-se em todos os casos a dimensões sociais e políticas da questão do aborto, que são aquelas que estão realmente em jogo neste referendo, e evitam referências a vacuidades do tipo do “direito ao corpo”, que são o reverso no espelho do insuportável absolutismo moral do “direito à vida”. Só um reparo, totalmente marginal: das três senhoras que compõem o cartaz do PCP (razoavelmente bonitas, de resto), uma delas tem olhos verdes, e nisto a SIP do PCP parece seguir (ainda que com moderação: uma em três, e logo todas morenas) a tendência dos nossos publicitários, os quais, num país em que a esmagadora maioria da população tem olhos e cabelos castanhos, usam muito mais que proporcionalmente modelos louros e de olhos claros. Parece que a imagem a que os portugueses aspiram se situa muito mais a Norte do que o Sudoeste europeu onde Portugal de facto está, mas também me parece que isso é normal: quando estudava em Inglaterra, tinha um amigo dinamarquês, um calmeirão louro de três metros de altura, que era obcecado por espanholas, que para ele eram sempre ciganitas de olhos e cabelos de azeviche, saídas da “Carmen” de Bizet (uma vez ele perguntou-me se as portuguesas também eram assim perturbadoras e eu disse-lhe que não, que as nossas moçoilas usavam todas uns bigodes balcânicos, mas isso eu acho que foi proteccionismo).  

 

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Os cartazes do “sim”

  1. Ezequiel diz:

    “L`amour platonique est toujours blas, jamais tonique.” Alain Sullivan

  2. Luís Lavoura diz:

    Não é tão esmagadora assim a proporção de portugueses com olhos castanhos. Há muita, muita gente com olhos azuis ou verdes. Se o António reparar com atenção.

  3. proteccionismo — olha um que aqui o “neoliberal selvagem” concorda 😀

Os comentários estão fechados.