Empresária galega marca encontro com os pobres para lhes atirar pão pela janela. Terei acordado no século errado? – “A caridade fingida do rico não é, nele, senão um luxo a mais: ele dá de comer aos pobres como aos cães e aos cavalos.” Jean-Jacques Rousseau

CA

Uma sugestão de dress code para Cristina de Andrés, caso prefira realizar a oferenda fora das portas do seu Palácio.

A tradição é antiga e porventura os mais insensatos pensavam que estaria remetida aos museus de arte antiga ou aos jardins onde proliferam os pombos. Não está. Uma empresária galega, de seu nome Cristina de Andrés, recupera este Natal parte do obscurantismo que se julgava enterrado onde jaz a corte de D Luís XIV, e marcou um encontro com os pobres para lhes atirar pão da varanda do seu palácio.

Louva-se a candura, mas deve alertar-se a Condessa para a falta de prudência. Desde logo porque num tempo onde a paciência e a gratidão não são virtudes que se reconheça aos pobres, um encontro marcado às portas do seu lar, mesmo que a partir da janela do palácio na Calle Urzaiz, nº10, 1ºEsquerdo, carece de alguma, vá, lucidez.

PalácioAlexandre O’Neill, que ontem comemoraria o seu 88º aniversário, não perderia a comenda e a ocasião para lembrar à Condessa, ao lado dos famélicos da terra, que chegará o dia em que os pobres não terão mais nada para comer, a não ser os ricos.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 Responses to Empresária galega marca encontro com os pobres para lhes atirar pão pela janela. Terei acordado no século errado? – “A caridade fingida do rico não é, nele, senão um luxo a mais: ele dá de comer aos pobres como aos cães e aos cavalos.” Jean-Jacques Rousseau

Os comentários estão fechados.