Trotsky, Rakovsky, Victor Serge, Hal Draper, Pietro Tresso, CRL James, Ignacio Reiss, Erwin Wolf…

Felizmente, pese embora a propaganda, a história nunca esteve dividida entre Estalinistas e liberais. E enquanto se viver a ideia falsa de que o Estado social existiu enquanto existiu a URSS não só ignoramos o peso que teve a coexistência pacífica na destruição do estado social, ou seja, o peso que teve a guerra fria na aceitação da paz social pelas grandes estruturas sindicais, como implicitamente recusamos cortar radicalmente com um passado que não teve nada de socialista, revolucionário, igualitário, livre ou fraterno. Um passado que começa em 1928 com a prisão e depois o assassinato de todos os que tinham feito a primeira revolução da história.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 Responses to Trotsky, Rakovsky, Victor Serge, Hal Draper, Pietro Tresso, CRL James, Ignacio Reiss, Erwin Wolf…

Os comentários estão fechados.