Da simplicidade

Ela tinha três anos quando perguntou pela primeira vez se os pais podiam ficar desempregados. Na rua, com cada vez mais pessoas a mendigar, não conseguia controlar a indignação contra quem não libertava as suas moedas. Desde os cinco que tudo quer pagar, da conta do supermercado ao carro dos avós, com aqueles círculos de metal que de nada lhe valem, mas que percebe fazerem tanta falta aos adultos.
Aos pais também compete dar segurança e aligeirar as preocupações. Explica-se-lhe para que serve o Estado. Uma entidade para a qual contribuímos, todos os meses e em todos os gastos, para que ela e todos os seus amigos independentemente da sua raça, credo ou situação financeira possam estar na escola, para que todos possamos ter cuidados de saúde ou para que os pais que fiquem desempregados possam ser apoiados. Ao Estado compete assegurar a todos os bens de primeira necessidade, tendo como limite mínimo a música do Sérgio Godinho, que conhece desde que começou a repetir lenga-lengas: “a paz, o pão, habitação, saúde, educação”.
Agora, com seis anos, não se importará de ajudar o ministro Vítor Gaspar a descobrir o que deve ser o Estado. Explicar-lhe-á, sem hesitações, que o Estado não é de ninguém em particular, mas de todos. Que não pode ser vendido. Creio que o faria sem exigir remunerações faraónicas para consultorias e grupos de trabalho, ainda que não desdenhasse umas quantas guloseimas para partilhar com os amigos no intervalo da escola pública. Não creio que se impressionasse com deixar de pagar uma dívida a um banco se lhe dissessem que era por isso que a escola não podia substituir o vidro partido ou o hospital não podia dar o remédio certo à avó. Mas o pai diz que pode garantir que tem mais respeito pelo que é de todos, do que todos os consultores, assessores e deputados que apoiam esta maioria.

Publicado hoje no i

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

21 Responses to Da simplicidade

  1. ECD diz:

    Está excelente este post, melhor este arigo no I

  2. Rocha diz:

    Uma só palavra sobre o último post do João Valente Aguiar: ridículo.

    • Camarro diz:

      Flic flac invertido com dupla pirueta à rectaguarda…

      As pessoas podem mudar de opinião, mas, sinceramente, nunca tinha visto ninguém mudar tão radicalmente de posições políticas num tão curto espaço de tempo. Inacreditável! Vale a pena perder meia hora a pesquisar no google o que JVA escrevia ainda há menos de dois anos. Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

  3. JgMenos diz:

    A inocência das crianças ao serviço da demagogia de adultos!

    • De diz:

      Sim, um caso exemplar é o da associação da jonet que põe crianças pequenas a fazer o peditório.Não só demagogia como também cobardia, como facilmente se constata.
      Também não vale a pena falar na demagogia de alguns que conjugam de forma monocórdica um verbo aí apanhado nos pasquins sobre a luta dos estivadores.
      Ou a demagogia de cavaco na sua dança com o OE, fazendo que faz,enquanto não faz e faz avançar este com a pusilanimidade característica do personagem.

      Mas este texto não trata destas coisas. Percebe-se que Menos tente “demagogicamente” tapar o sol com a peneira.E tente fazer,mais do que demagogia, o exercício de ocultação de luzes para esconder a situação miserável do país a que estes terroristas sociais o estão a conduzir.
      É por esse caminho que Menos vai.E para tal tudo lhe serve de pretexto.Até esta patética cena demagógica da demagogia.
      Não passa.

      • Dezperado diz:

        “Sim, um caso exemplar é o da associação da jonet que põe crianças pequenas a fazer o peditório.Não só demagogia como também cobardia, como facilmente se constata.”

        ó De, afinal ainda és mais tótó do que fazias parecer!

        • De diz:

          Mais uma vez este “rapazola” está equivocado.
          Continua a roçar a boçalidade.O que é tipico entre a classe sem classe a que pertence.
          Sorry, mas a verdade sempre

  4. António Carlos diz:

    Este governo é uma vergonha e quer desmantelar o Estado. Não permitiremos!

    http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=2948831&especial=Revistas%20de%20Imprensa&seccao=TV%20e%20MEDIA

  5. De diz:

    Há algo que este antónio carlos não percebe, ou que finge não perceber.
    Percebe-se que o dito personagem é um pequeno neoliberal.Em processo de boçalidade,como em geral ocorre com os ditos cujos, quando apanhados na contra-mão e quando desmascarados mais o seu governo de criminosos.
    António carlos repete o conteúdo de um comentário mais do que duvidoso duma notícia do DN. Provavelmente o jornalista aproveita a frase da jovem para os objectivos que lhe servem.António carlos repete a notícia com outro intuito mas igualmente da forma grosseira como é apanágio dos afiliados da escola de Chicago.
    A referida jovem foi operada por que motivo?Por que tinha agenesia mamaria.
    Vamos ao primeiro site onde se encontra o que é isso:
    · Agenesia mamaria. Faltan todos los componentes de la mama. Cuando se presenta suele ser de forma unilateral y puede asociarse al síndrome de Poland.
    Diagnóstico: Es clínico, siendo aconsejable un estudio hormonal.
    Tratamiento: Consiste en la corrección quirúrgica al alcanzarse el desarrollo corporal completo.”
    http://www.minetgen.net/senologia/index.asp?Id=174

    Com indicação cirurgica e com indicação para ser comparticipado pelo SNS.Porque também é para isso que o SNS serve
    O boçal neoliberal é ignorante,oportunista e algo mais.Também provavelmente com agenesia cerebral ? Enquanto tenta dar a sua colherada para o desmantelar do SNS em proveito das negociatas privadas dos interesses privados na saúde.Como o faz este seu governo de terroristas sociais

    • Dezperado diz:

      o Estado tambem podia comparticipar na compra de um cerebro novo ao De….é para isso que o SNS serve….para ajudar os tótós da nosso país.

      • De diz:

        Eu sei que o esvaziar do argumentário neoliberal enfurece os ditos cujos.
        Este comentário é apenas uma pequena confirmação
        🙂

      • Caxineiro diz:

        oh desesperado
        estavas tão bem no teu papel de idiota útil. Deixa o insulto básico e continua a papaguear essas novidades lançadas diariamente nas TVs dos Crespos Cantigas e quejandos
        Venho aqui todos os dias a ler as respostas, hoje desiludiste-me

        se gostas de ser insultado, tá bem, vai para o caralho. Agora podes continuar a debitar a K7 ?
        se faz favor, claro

        • Dezperado diz:

          ó Caxineiro, não sejas assim.

          Mais respeito sff, olha que eu poderia ter sido teu pai….só não sou, porque na altura a tua mãe não tinha troco de 50$.

          • Caxineiro diz:

            Foda-se! Chega um gajo do trabalho, abre o correio e dá de caras com um espermatozoide destes!!…
            Bronco do caralho. Se calhar até pensas que me provocas com essa piada tipo “no name boys”. É mais estafada do que o capitalismo que defendes. Nem os PPDs que eu conheço ( que são broncos normais) a usam

            Vá lá…faz o teu papel de sempre, e repete a última do xôtôr Relvas que é prá gente se rir

          • Dezperado diz:

            “Foda-se! Chega um gajo do trabalho, abre o correio e dá de caras com um espermatozoide destes!!…”

            Epa o que tu fazes quando chegas do trabalho é um problema que só te diz respeito a ti….Não precisavas de partilhar conosco. Aqueces a mão antes de vires para o pc, fazes muito bem que tem estado muito frio. Mas sabes que podes guardar os espermatezoides num banco de esperma e não no correio.

            E longe de mim provocar-te com piadas dos NNGays, estava só a tentar-te explicar o porquê de teres nascido assim, atrasado mental.

          • Caxineiro diz:

            de punhetas percebes tu, estou a ver, Depois , como de costume, os punheteiros são os outros. É como com as dívidas e roubos dos caloteiros dos teus amigos; no final, quem deve sou eu. Acontece que, porque acreditas que à custa da falácia consegues inverter a realidade, o verdadeiro atrasado mental só podes ser tu
            Tens a certeza que os teus pais não são irmãos?

  6. António Carlos diz:

    Caro DE,

    A minha ironia, demagógica como muito bem reparou, serviu apenas para chamar atenção para a extrema demagogia do post disfarçada de simplicidade (eu diria antes simplismo). Se não vejamos:
    – Este post poderia ter sido escrito como “crítica” a qualquer sociedade/época que já existiu ou existe. Ou será que a Cuba, por exemplo, este post não se aplica?
    – A demagogia atinge no entanto o seu pono alto ao “esquecer” que há limitações aos recursos disponíveis e que alguém tem de pagar a médicos, comprar medicamentos, … Não basta dizer “o Estado paga”.
    Eu compreendo que ao falar com uma criança se omitam esses “detalhes” mas este post/artigo não era claramente dirigido a crianças.

    • De diz:

      Tretas.
      O título do jornal dito de referência não foi inocente.A expressão usada sobre o “estado paga” serve para o bolsar de comentários típicos sobre as funções do estado e o rondar vampiresco dos abutres em busca do naco.A afirmação transcrita é provavelmente da responsabilidade da dita senhora, mas isso não desculpa o título nem isenta das responsabilidades do estado aquilo que deve ser da sua competência.
      O seu comentário,demagogo e não só ,também não foi inocente.
      Tal como o seu aparte sobre Cuba.

      O que vossemecê quer?Este post vergasta a sociedade putrefacta em que vivemos.O que é basto desagradável para quem defende a corja dos terroristas sociais que nos governam.Que não tem outro remedio que tentar tapar o sol com a peneira à custa destes “comentários” tão na moda entre os comparsas.
      Sorry mas não passa.

  7. De diz:

    Mas o “truque” de António carlos não é de cepa única.
    É um hábito arreigado entre quem nos (des)governa.É uma maneira de fazerem “política.É uma forma de manipularem, servindo-se do “material habitual”
    Por exemplo as declarações de passos coelho sobre os reformados .
    Repare-se neste post exemplar de Samuel:
    http://samuel-cantigueiro.blogspot.pt/2012/12/passos-coelho-o-beneficio-da-duvida.html#links

    Sublinho o seu conteúdo:
    “Pedro Passos Coelho veio dizer alto aquilo que muitos canalhas pensam mas não dizem: “Os reformados são uns privilegiados!” Onde é que já se viu… não trabalhar e ainda por cima receber dinheiro todos os meses.
    Eu sei que vêm logo uns tantos dizer que um discurso assim, generaliza a ideia nojenta e populista de que “os jovens de hoje estão a trabalhar para pagar as pensões de quem não trabalha”.
    Eu sei que, dada a ignorância que habita os cérebros quase vegetativos de muita gente, este é um argumento que faz muito sucesso em algumas tascas… argumento de muito fácil penetração nesse específico tipo de cérebros.
    Eu sei que até parece que este género de discurso é um empurrão aos jovens trabalhadores, para que votem pelo abandono da Segurança Social, em favor da capitalização em bolsa de fundos de pensões privados.
    Eu sei que vêm sempre alguns com a desculpa de que quase toda aquela gente trabalhou uma vida inteira e fez descontos para a sua aposentação. Eu sei que há até uns “líricos” que, a pretexto de aquela gente ter colocado dinheiro que era seu, retirado aos seus ordenados, nas mãos do Estado para que este o guardasse, tem direito às reformas… chegando mesmo a pretender que o Estado lhes deve esse dinheiro!

    O post continua e merece ser lido na íntegra.Mas confirma não só o que é passos coelho,como também ao que vem e o que pretende.Com a qualidade rasca que lhe é apanágio

  8. Carlos Carapeto diz:

    Este blogue ultimamente anda baralhado.
    Por vezes não aceita os comentários, outras demora muito tempo a aceitá-los , noutras duplica-os e ocasionalmente acrescenta palavras e frases eliminadas.

    Desta vez primeiro escrevi um esboço guia. A partir daí escrevi o comentário que pretendia enviar. Eliminei o rascunho e pedi a validação do comentário.
    Agora aparecem as duas versões. Porquê?

    Isto nunca me aconteceu em mais nenhum dos outros blogues em que participo . Estas anomalias do 5dias são comuns aos meus dois computadores.
    Portanto há algo que não deve estar bem?

    A solução será ter que recorrer sempre ao Word.

Os comentários estão fechados.