Sofia Rajado e Tiago Castelhano, Alcides Santos e Clara Cuéllar, a falar claro nos Momentos de Mudança e na Linha da Frente.

E o Alcides Santos e a Clara Cuéllar, entre outros, nos Dias do FMI.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to Sofia Rajado e Tiago Castelhano, Alcides Santos e Clara Cuéllar, a falar claro nos Momentos de Mudança e na Linha da Frente.

  1. Atraso diz:

    Grande atraso de vida. É tempo de irresponsabilidades. A conversa da responsabilidade é Deles, os que nos têm governado e é sistêmica.Temos pena, mas os indivíduos dessa reportagem pertencem a esse mesmo sistema. Tudo era mais lúcido se fossem fazer essa figura para o Big Brother, de resto, a única coisa garantida da reportagem é um premio para quem a realizou; porque infelizmente anda aí alguém – o mainstream – que poderá achar algo de extraordinário na peça.

    • espectador de novela diz:

      que novela, que giro aparecer na tv, ora o parzinho dos beijinhos para a câmara convoca manifs para terem trabalho, é compreensível, mas o problema é mais fundo; é necessário alterar as estruturas vigentes, de trabalhar para encher o cú a outros=capitalismo, gente como esta não questiona isto, apenas diz que quer trabalho;
      a maioria da população mundial vive na miséria, e as perspectivas são ainda piores do que aqui, mas os mercados movem-se para onde a mão de obra é mais barata e se assim é, se aceitamos isso, tal não pode ser parado, porque naturalmente em portugal já tem que se pagar mais a quem trabalha;
      é preciso cortar o mal pela raiz, e aí infelizmente o poder não abre mão do poder de forma pacífica, aí surge a violência, que está no dia-a-dia que nos é imposto – não podem esperar sempre pacifismo quando vivemos numa sociedade violenta;
      o casalinho a fazer pela vidinha pode ser que com a projecção da reportagem consiga uns jobs, porque é isso que interessa, cada um safa-se como pode e reproduzimos o capitalismo, e há que aproveitar todas as oportunidades se se luta só por trabalho

      a vida começa quando o trabalho acaba

      • zuogmi diz:

        Para além de propagarem os ideais de trabalho, familia, e reprodução, tão queridos dos Estados, governos, e capitalismo

Os comentários estão fechados.