Partir a luta. Dividir para reinar

A divisão entre os chamados “movimentos sociais” (como se um sindicato não fosse um movimento social…) e a central sindical CGTP-IN (a UGT, como central sindical deixou de existir por obra e graça de João Proença) é decisiva para o poder. Pacheco Pereira notou – e bem – que quando estes dois rios confluírem as margens transbordarão. Ou seja, como refere o Paulo Raimundo devemos  – os comunistas e todas os que querem, de facto, assumir uma atitude revolucionária e transformadora da sociedade – colocar “todas as nossas forças na intensificação e convergência da luta de massas, com todos os desenvolvimentos e expressões que ela possa assumir“.
É com receio que os rios confluam que, imediatamente no dia 14 de Novembro, Miguel Macedo deu um abraço de urso à CGTP-IN, enviando a famosa declaração de culpa aos “profissionais da desordem” – à mesma hora que se efectuavam prisões de militantes da JCP e do BE.
Da parte do poder assistiremos nos próximos tempos, de uma forma continuada e por todas as vias, à valorização pública da luta organizada pelos sindicatos, ainda que contemporaneamente vão constituindo sindicalistas como arguidos compulsivamente e ainda que continuem a facilitar o seu despedimento e isolamento nos locais de trabalho. O abraço do urso é, apenas, uma fase temporária do braço de ferro que será travado com os sindicatos e para partir a espinha à luta dos trabalhadores.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Partir a luta. Dividir para reinar

  1. Rocha diz:

    Estou plenamente de de acordo. Só gostava que não fosse necessário aprender isto de uma forma tão dura. E no futuro espero que evitemos todos dar tiros no pé.

  2. Este jogo não se joga sozinho…E apesar da flecha enviada pelo ministro macedo, não vi do outro lado da barricada quem tivesse muita vontade de se desviar dela.

  3. kropotkine diz:

    E adivinha lá porque é que existe essa estratégia??????

    porque para o Macedo e para os profissionaise partidários da ORDEM, a CGTP e os partidos de esquerda são neste momento a melhor garantia, senão a única, da continuação deste regime. Não é óbvio TMS? Não falaram disso lá nos corredores do vosso congresso, pois não?

    o pc é um clube de velhinhos cheios de boa vontade a que se vão juntando alguns jovens lunáticos ou ingénuos. Já não é (quando é que foi?) uma força revolucionária. Só quando tu e outras pessoas válidas como tu perceberem isso será possível falar em acção unitaria.

    um abraço

    • Rocha diz:

      É por existirem mentes delirantes como a do kropoktine que no verão quente de 1975 grupos tão díspares como o MRPP de suposta extrema-esquerda e grupos fascistas como MDLP e ELP encontravam motivos para usar os mesmos métodos e perseguir os mesmos objectivos na destruição de sedes do PCP.

      Em 1975 era então possível falar em acção unitária entre MRPP, ELP e MDLP.

      Da história do século XX ficou um anátema dos morticínios de Estaline que ainda hoje mancha os comunistas (mesmo quando eles se demarcaram e criticaram o estalinismo). Mas eu pergunto se havendo tempo, oportunidade e superioridade militar, fanáticos como o comentador acima – em nome da anarquia ou de outra coisa qualquer – não fariam o mesmo?

      Claro que sim. Esta é a lógica do Pol Pot, a lógica da folha em branco, para começar tudo de novo, com um novo poder, uma nova sociedade, seria alegadamente necessário acabar com tudo (esquerda ou direita, revolucionário ou reaccionário) e eliminar fisicamente todas as tradições do passado, classificadas como da ordem vigente, incluindo as tradições de luta anti-capitalistas e anti-fascistas da própria classe trabalhadora.

      • kropotkine diz:

        Caro Rocha,

        Fico estonteado com a sua perspicácia. Como percebeu logo que eu era um fanático? Foi por eu ter escrito ORDEM com letra maiúscula? ou por me chamar Kropotkine? que certeiro e inteligente da sua parte comparar-me ao MRPP e ao Pol Pot? O senhor sabe o que pensaria o kroptkine tanto de um como de outro? já ouviu falar no kropotkine?

        Em qual das categorias o senhor enfiou a carapuça? nos velhinhos da boa-vontade ou nos jovens lunáticos? …… cheira-me, pelas referências históricas a que recorre, que o Rocha é um representante dessa outra fauna, felizmente minoritária mas ainda assim influente, que são os velhinhos lunáticos….

        um beijinho, vemos-nos nas barricadas, Rocha.
        tens bigode?

  4. Augusto diz:

    Li há dias uma entrevista de Jerónimo de Sousa ao jornal Publico, em que ele acusava os tais profissionais da provocação……

    Mesmo justificando as suas declarações com o que disse Miguel Macedo, não deixa de ser estranho, ver o dirigente do PCP fazer este tipo de declarações, e sem nenhum reparo,á selvática e anárquica carga da policia de choque.

    Quanto ao abraço de urso, eu chamaria PROVOCAÇÃO de Miguel Macedo, ainda não li ( falha minha possivelmente) o Arménio Carlos responder-lhe á letra.

  5. Zuruspa diz:

    O ministro Macedo manda o presente envenenado de louvar a CGTP pela ordem… e os pseudo-anarcas näo entendem, e engolem o presente!

    O que eu vejo é que das poucas coisas que o desGoverno teme é precisamente a CGTP e o PCP. Porque pelos vistos teme que se fartem de ser ordeiros, e usem o poder de mobilizaçäo para algo mais… digamos, sumarento.
    Porque o desGoverno também sabe que os arruaças só contribuem para que o povo (que gosta de muita paz e sossego) se desinteresse por se juntar às manifs, ou só se junte às manifs “anti-partidos” (esse germe do fascismo).

    O que eu vejo é que os pseudo-anarcas têm muita inveja do medo que o desGoverno tem da CGTP e PCP, e que näo tem de *outros* “movimentos sociais”.

  6. Luis Silva diz:

    Gostei de ler estas 5 opiniões, tão diferentes mas complementares – e nenhuma delas inválida. Julgo que o que falta é precisamente estas 2 ou 3 correntes que estão presentes nestes 5 comentários encontrarem uma forma e uma solução para conseguirem lutar a uma só voz – se issso acontecesse, podíamos dizer Adeus à cambada de vampiros que nos desgoverna. É uma tarefa hercúlea, eu sei. Mas se o Povo não se une (seja ele do PCP, BE, anarca ou simplesmente humanista) agora, o destino está traçado.
    PS.:Apesar de votar, também eu fique extremamente desagradado com a ténue reação de alguma esquerda – PCP e CGTP, mais precisamente

Os comentários estão fechados.