A tesouraria das empresas

Num longínquo dia de Setembro, Passos Coelho mostrava-se preocupado com a tesouraria das empresas anunciando, na sua sequência, uma medida salvadora. Através da TSU, retirava-se 7% do salário do trabalhador para transferir 5,5% para as empresas (o um 1,5% ficava para o Estado, certamente, para acabar no bolso de uns quantos que tiveram a ideia brilhante). A coisa caiu, ainda que fique na dúvida se alguma vez a pensaram aplicar.
Dois meses passados parece que as empresas já voltaram a ter tesouraria. Agora já não há problema nenhum em que se anuncie que as empresas terão, já em Janeiro, de adiantar 1/12 do subsídio de férias no que significa um aumento de 6,50% nos seus encargos laborais de Janeiro.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

23 respostas a A tesouraria das empresas

  1. Dezperado diz:

    Este post esta incompleto???? Ainda vai acaba-lo, ou fica por aí??

    Porque é que nao diz que desse modo, as familias vão ter mais dinheiro no fim do mês??? Não pode, não quer, ou não percebeu que isso tambem vai acontecer?

    Analises enviesadas, é o que menos precismos nesta altura!

    E mais estranho, foi o “grande heroi” Holland ter adoptado a medida da TSU em França…..será que o heroi Holland tambem é neo-liberal?

    • Camarro diz:

      Esta é uma medida que visa apenas mascarar a realidade: o roubo descarado a quem trabalha! O roubo está lá! Seja em Janeiro ou em Junho!

    • De diz:

      A coerência é algo que falta a esta corja de terroristas sociais.
      As contradições da trupe neoliberal encontram-se na proporção directa dos interesses “privados” dos ditos cujos.

      As “famílias vão ter mais dinheiro” diz desperado, enquanto fala em “enviesamentos”.
      As famílias vão ter mais dinheiro?Mas que desespero manipulador é este que assim tenta mascarar o que é claro para todos?
      As famílias vão ter menos dinheiro.Fruto de roubo governamental
      O roubo das famílias é fruto da política concertada destes terroristas sociais.Sob a bandeira da escola de chicago e dos friedman de ocasião.
      Tentar tapar o buraco com uma percentagem de, como se isso permitisse tapar o crime,é não só imoral,como também obsceno.

      (Quanto ao “grande herói” Holland…
      Só estando mesmo a brincar , não?Ou a ignorância deste “trabalhador esforçado” que se gabava de ter conseguido facilmente um emprego e que gosta de comentar fora de horas laborais,é assim tanta que nem repara nos disparates que escreve?)

      • Dezperado diz:

        Bla bla bla bla…

        Epa tas com falta de amigos que tenham paciencia para te ouvir??

        • solo diz:

          E tu,tens o auditório do angelo correia,dias loureiro,cardoso e cunha,eurico de melo(no céu,com uns meninos de rabinho sem pelo),o antónio borges ,do duarte lima e,restante corja que deve ser julgada?

        • De diz:

          Desesperado desperado cala-se e mete o rabinho entre as pernas.
          Não tem outra forma de agir perante as acusações que fazem aos pulhas que nos governam.Ele sabe-o.Resta-lhe esta fuga a roçar o patético.
          Passemos a coisas mais substantivas que ilustram bem o coio dos neoliberais.
          Lembram-se da atitude de aparente serviçal de coelho por tudo o que é capital,com uma particular ternura para o linguajar alemão? Lembram-se da teoria do “bom aluno” com que se tenta ocultar o saque consentido e partilhado, levado a cabo pelos terroristas sociais que nos governam?
          “Zona euro recusa estender a Portugal novas decisões para a Grécia”
          Os lambe-botas sabem-no.A atitude premeditadamente tomada tem a ver com o roubo do produto do trabalho e a acumulação do capital nas mãos de cada vez menos.Associada ao liquidar de tudo o que cheire a Revolução de Abril.

          Nos conselhos europeus consta que Coelho abana a cabeça de cima para baixo e já ladra em alemão.

          • Dezperado diz:

            “Desesperado desperado cala-se e mete o rabinho entre as pernas.”

            Ehehehehe…sim de facto….é o medo que tenho dos comunas….ehehehehe

            Epa nem no congresso arranjas-te uns amigos novos??

          • De diz:

            Desperado?
            “arranjas-te, arranjas-te”
            Um cursozito à moda de relvas? Para o tal emprego que até “não foi difícil de arranjar” ,como teve a ousadia de insinuar, talvez para justificar a defesa de coelho mais as suas tiradas obscenas sobre o desemprego?

            Está certo. Confere.
            🙂

          • Dezperado diz:

            “Há quatro anos, a situação financeira do PCP era insustentável e o cenário não mudou. Vai de mal a pior. XIX Congresso decorre em Almada até domingo.”

            ò DE se nem um partido conseguem gerir, como é que iam gerir um país inteiro????? eheheheheh

            Ensina os teus amigos camaradas que uma DR tem uma coluna de rendimentos, e outra de gastos….e a rubrica de rendimentos deverá ser maior que a rubrica de gastos.

            Ja percebemos que contabilidade não é o forte dos camaradas, mas deviam perceber que o dinheiro ja nao nasce das arvores!

            Mas com tantos camaradas agarrados à mama do partido, as contas são o que são!!!

      • Helena diz:

        Quero associar-me ao seu comentario. Tem razão! O primeiro comentario, é de uma estupidez atroz!!! Em tudo que escreveu, só sooube dizer asneiras. Até em relação ao Presidente da França…Ele, neoliberal !!?? Há pessoas que deviam estar quietas e caladas para não dizerem tantas asneiras!

    • qaguas diz:

      Você é um cara monstruoso ! Roubam-nos um mês de salário (para começar) e ainda acha que ganhamos mais .Não “entende” que vamos receber mais, ficando com Menos . a sequência em que insere é o do Estado Mínimo, reduzido às funções de soberania que proteja e garanta a propriedade. Também não “entende” que esta politica, nos anos 30, deram a sequência Fome-Fascismo-Guerra.

  2. vasco diz:

    estou longe de concordar com o que se escreve aqui. mas este post acerta na mouche.

    é inacreditável a falta de coerência desta medida.

  3. Rafael Ortega diz:

    Pode ver por esse prisma ou pode ver que nos meses em que pagavam subsídios por inteiro irão ter menos 25% de gastos.

    de qualquer das formas acho que isso deveria ser decidido entre empregador e trabalhador, e não por ordem do governo.

  4. Pingback: Os duodécimos e a alegada decisão dos trabalhadores | cinco dias

Os comentários estão fechados.