Uma declaração de guerra

Cada um dos deputados do PSD e do CDS que ontem aprovou o Orçamento do Estado deve perceber que decidiu condenar o país e o seu povo à miséria. Cada um destes cidadãos deve perceber que o que foi aprovado com o seu voto é um instrumento que mata mais do que todas as pedras da calçada do Largo da Assembleia da República.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Uma declaração de guerra

  1. Alfredo Pinto diz:

    Só agora é que estás a ver a declaração de guerra?
    Porque não fizeste a guerra nos últimos 10 anos? Onde tens andado?
    Ou também andavas a encher o bucho?…

  2. Estaremos sempre condenados: seja com direitas, esquerdas, ultras qualquer coisa, apartidarismos, salvações nacionais, whatever.

    • De diz:

      Olhe que não,olhe que não.

      Fatalismos saídos de alguém que questiona os “pessimismos”? Por mim prefiro a visão à Bobby Chinn (seja lá quem ele for)

  3. Nuno Cardoso da Silva diz:

    O diagnóstico está feito. Para quando o tratamento?…

    • Carlos Carapeto diz:

      A terapia e o local do tratamento também.

      Como não cabem todos no Campo Pequeno, têm que ser internados no fundo das minas abandonadas.

Os comentários estão fechados.