Depois da Greve Geral Europeia e da jornada de luta do 14N, a luta continua!

A luta dos estivadores é de todas as lutas aquela que mais condições tem para derrotar o governo e de desmascarar a estratégia de camuflagem no défice por intermédio das exportações. A realização de uma manifestação internacional de estivadores em Lisboa é dos actos de solidariedade mais bonitos que testemunhei nos últimos tempos e uma resposta à altura do sector em nome da sua luta, mas também em nome da luta de todos os outros trabalhadores e desempregados. Bem hajam!

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 Responses to Depois da Greve Geral Europeia e da jornada de luta do 14N, a luta continua!

  1. Dezperado diz:

    “A luta dos estivadores é de todas as lutas aquela que mais condições tem para derrotar o governo”

    é assim que eles pensam….mas ja têm o destino traçado!!! prepare-se para fazer um grande post sobre a estiva!!!

    • De diz:

      !!!!
      É assim mesmo.Nas horas de expediente e tudo que isso de desemprego ou de empregos de 500 euros é para a ralé. Ponham os olhos no desperado

      Prepare-se aí um grande post cheio de pontos de exclamação.
      🙂

      • João. diz:

        Tão incomodado que está com os salários dos estivadores que, brutos, vão de oitocentos e tal euros para início de carreira e mil novecentos e tal euros para o topo de carreira – uns aristocratas estes estivadores – e tão pouco incomodado com salários como os do Catroga de 45 mil euros por mês. Quantas contas de electricidade de quantos trabalhadores a ganhar 500 euros por mês são precisas só para o salário do Catroga? Isto não o ocupa. O que o ocupa é que haja trabalhadores que não ganham o ordenado mínimo.

        Quem diria que estes direitolas que diziam que os comunistas queriam pôr todos os trabalhadores a ganhar o ordenado mínimo são agora aqueles mesmo que não querem outra coisa.

        E quantos boys do governo são que receberam o subsídio de férias?
        100 boys? 300 boys? 500 boys? 1000 boys? Não. São 1500 boys? Talvez os boys do Pedro e do Paulo o tenham recebido dado o seu trabalho fundamental para as exportações. Sim, deve ser isso. Um prémio devido à sua importância para as exportações. O pessoal que anda na estiva, esses não são importantes, que se fod@m.

  2. António Carlos diz:

    1. Numa altura em que “tudo está na internet”, para quando a divulgação do acordo actualmente em vigor (que o Governo quer substituir) e a nova proposta (que os estivadores rejeitam)? talvez assim cada cidadão pudesse formar a sua opinião sem “intoxicações” dos dois lados. Fica o desafio.

    2. “desmascarar a estratégia de camuflagem no défice por intermédio das exportações” – Leia as várias declarações dos estivadores sobre o facto de estarem a contribuir para a diminuição das exportações: acha que os estivadores em greve subscrevem esta sua frase? Face a essas declarações não acha abusivo este seu aproveitamento da greve dos estivadores?

    • Renato Teixeira diz:

      Trata-se da divulgação de uma manifestação, tão simplesmente. Para a greve os estivadores já demonstraram não precisar de lições de ninguém.

      Oportunismo é precisamente o que o governo anda a fazer com a engenharia à volta do défice, o resto é confusão sua.

      • António Carlos diz:

        E quanto ao ponto 1 do meu comentário, vê alguma possibilidade de o acordo em vigor ser tornado público? Pode ajudar?

  3. JgMenos diz:

    Sinal dos tempos, as vanguardas só se encontram nos mais bem pagos.
    Há que lutar para assegurar aos estivadores a sua coutada de horas extras!

    • Renato Teixeira diz:

      Ele há tipos teimosos. Já houve dezenas de textos a deixar claro que a luta dos trabalhadores é por mais postos de trabalho e o JgMenos não consegue pensar o mundo a partir da realidade…

Os comentários estão fechados.