Obrigado Sara Didelet

O relato, na primeira pessoa, de quem foi preso e humilhado na prisão de Monsanto.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

52 Responses to Obrigado Sara Didelet

  1. henrique pereira dos santos diz:

    Primeira pessoa, e directamente interessada numa versão dos factos, não é fonte credível de informação.
    Vou por isso fazer um exercício com as minhas dúvidas:
    1) “No meio de milhares de pessoas” Se for ao google e usar uma densidade de três pessoas por metro quadrado (densidade evidentemente fantasiosa) a praça não leva mais de 2000 pessoas. Portanto, milhares é treta;
    2) “talvez só umas 10 (e bem visíveis) arremessavam pedras e outros objectos” Nunca percebi o que vai na cabeça das pessoas que tentam negar o que qualquer pessoa pode confirmar: é evidente, qualquer que seja a fonte das imagens, que eram bem mais de dez e que não estavam assim tão claramente identificadas;
    3) “a polícia continuava a espancar toda a gente sem dó nem piedade e ainda com mais força! Vi velhotes a serem espancados, sei de pessoas que viram pais a serem espancados com os filhos pequenos ao colo, sei de pessoas que viram a polícia a tentar espancar uma pessoa de cadeira de rodas e vários manifestantes a rodeá-lo apanhando a pancada por ele para o protegerem.” O texto é dramático, mas tem o problema de não bater certo nem com as imagens (em lado nenhum se vê o descrito) como com o número de feridos: perto de cinquenta, dos quais metade são polícias e uns quantos foram feridos antes da carga (“por fogo amigo”);
    4) “Continuámos sempre a fugir em direcção à Avenida Dom Carlos I, várias vezes parámos pelo caminho pensando que a polícia já não vinha atrás de nós, e várias vezes tivemos que fugir novamente pois a perseguição continuava” Há vários videos sobre o que se passou na D. Carlos I e é evidente que a polícia evolui lentamente, dando tempo e mais que tempo a que quem quisesse sair da confusão saísse. Aliás deu tempo para que se deslocassem, derrubassem e incendiassem vários caixotes do lixo, por exemplo;
    5) “A Polícia continuava atrás de nós e de muitos outros mas desta vez disparando balas de borracha” Como? Não se terá a noção do ridículo desta alegação?
    6) Não cito a longa prosa sobre a detenção no cais do sodré por ser demasiado extensa, mas as incongruências de números e pormenores são verdadeiramente impressionantes;
    7) “Fomos detidos e perseguidos injustamente quando já nos dirigíamos ao Cais do Sodré para apanharmos um táxi para casa!” Conferir com a descrição anterior e ver como não é nada disso que é dito;
    8) “Eu vi velhos cobertos de sangue!” Mas curiosamente não apareceram nos hospitais, nem apareceram as queixas do abuso da polícia. Não duvido que tenha visto dado o resto do texto, mas convém não confundir o que se vê num estado de transcedência com a realidade;
    9) “é muito complicado relatar com exactidão tão chocante experiência.” Depois de ler o texto, nunca poderia deixar de concordar
    henrique pereira dos santos

    • De diz:

      Terceira pessoa e privilegiado defensor dos arruaceiros a soldo do comando governamental não é fonte credível para nada
      Valeu?

      a) a contagem das pessoas na praça é uma questão menor neste relato todo.Percebe-se que henrique santos queira desviar o tema para tal.Fica para uma próxima oportunidade avaliar a precisão dos cálculos do santos. Sorry.
      b)Passamos agora de uma contabilidade de milhares, com que o santos se escandaliza,para a contagem de dezenas.As imagens mostram de facto escassas pessoas. A própria Sara coloca um “talvez”.Sorry santos mas a contabilidade tem coisas do diacho.No primeiro caso a garrafa estava meio-vazia.No segundo meio-cheia.O registo serve para atestar os métodos desta tropa neoliberal em busca de pretexto para.
      c)As imagens obtidas são elucidativas.O companheiro de caminhada do ministro bem tenta escamotear estas imagens:
      http://5dias.net/wp-content/uploads/2012/11/agress%C3%A3o-greve-520×371.jpg
      http://i1.wp.com/www.bitaites.org/wp-content/uploads/2012/11/TiagoMiranda-1c.jpg?resize=608%2C402
      http://www.tvi24.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/13741414
      http://www.tvi24.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/13741410
      http://i0.wp.com/www.bitaites.org/wp-content/uploads/2012/11/TiagoMiranda-2c.jpg?resize=608%2C403
      http://i2.wp.com/www.bitaites.org/wp-content/uploads/2012/11/NunoBotelho-1b.jpg?resize=608%2C401
      http://www.bitaites.org/porreiro-pa/um-video-dos-acontecimentos-de-ontem/
      Mas há mais.É só esperar.
      d) A polícia continuou a perseguição pela av.D.Carlos.A isso ,santos afirma que foi a passo lento.E? A “treta” tenta justificar o quê?Que as pessoas podiam ter tempo para fugir?Mas o pequeno santos não contabiliza agora quem andava por ali e que não tinha nada a ver com a manifestação?Porque tinham que correr diante da matilha? Tinham também que ter fugido mesmo que em câmara lenta já que a polícia também o ia? Mas este santos não tem a noção do ridículo do que escreve?
      e)O santos do seu sofá não só aldraba,como mente.E tem o desplante de se mostrar indignado com o descrito.
      “Greve Geral. Carga da polícia sobre manifestantes resulta em 48 feridos e sete detidos
      Por Agência Lusa, publicado em 14 Nov 2012 – 21:34 | Actualizado há 3 dias 18 horas
      Manifestantes derrubam grades de protecção colocadas em frente à escadaria do Parlamento. Polícia faz meia dúzia de disparos na rua D. Carlos I.”

      É a agência Lusa que o diz.Disparos referidos na Rua D.Carlos.Sara fala que estava na av 24 de Julho. Balas disparadas na D.Carlos ,perfeitamente audíveis na 24 de Julho e pressentidas como se fossem aí.Que dizer dos métodos deste fulano de apelido santos?
      f)”Não cita a longa prosa” diz de seguida.Eu também não cito a não citação do santos.Registo-a e anoto-a
      g)Mas cito esta frase que o referido santos tenta desmentir e que Sara escreve às tantas em jeito de balanço:
      ” Fomos detidos e perseguidos injustamente quando já nos dirigíamos ao Cais do Sodré para apanharmos um táxi para casa! ”
      O que Sara dissera antes?
      “já na Avenida 24 de Julho pensámos estar safos mas que mera ilusão, aí ainda foi pior! A Polícia continuava atrás de nós e de muitos outros mas desta vez disparando balas de borracha! Todos corremos apavorados o máximo que podíamos até que de repente mesmo ao pé da estação de comboios fomos interceptados por um grupo de polícias à paisana”
      Ora onde fica a estação de Táxis?Não fica em frente da estação de comboios? Qual a contradição no relato?O que é dito que não fora dito?Mas o que é isto?
      h)A realidade é mais forte do que as tentativas de escamotear a dita. Mas parece que se está a repetir o santos.Já não disse mais ou menos isso no parágrafo 3)?É para fazer crescer o número de ítens? Mas dispenso-me de apresentar mais imagens.Não uso os mesmos métodos, valeu?
      i)Santos tem o desplante de não só por em dúvida o relato, como de o fazer do modo como o faz.
      Santos é uma pequena criatura. Sob o ponto de vista ético.Não vale a pena adjectivá-lo mais.
      Fica o registo de como os defensores ideológicos dos terroristas sociais que nos governam perdem a cabeça desta forma patética ( e imoral) quando lhes apontam que o rei vai nu.É que eles fazem parte da corte do dito cujo.
      E fedem.Como toda a corte

    • Rivera diz:

      Existem testemunhos, existem fotografias e videos, existem queixas e o testemunho da jovem Sara é coerente. Também é coerente a permissividade perante a violência policial (decidida esta pelo Ministro) em todo o seu comentário, sintoma de um fascismo básico tipo vamos acabar com esta mania das pessoas sequer terem a ideia de protestar perante as medidas decididas pela grande Troika. Tem saudades do tempo da Pide, não tem?

    • Carlos Vidal diz:

      É impressionante como a polícia vem aqui apresentar a sua versão pela boca deste HPS . O facto de estar inquieta (explica e não explica nada) com o sucedido denota intranquilidade, medo, vergonha.
      Também é sintomático não estar previsto nenhuma abertura de inquérito.
      Por enquanto o tempo ainda é de esbirros. Mas o facto de terem medo, é muito significativo. A vossa festa está por pouco.

      • henrique pereira dos santos diz:

        A polícia? Ando há tempo suficiente por aí para se perceber facilmente o ridículo deste comentário. Carlos, um dia dizes-me onde compras esse material que andas a fumar porque deve ser do melhor que existe no mercado.
        henrique pereira dos santos

        • De diz:

          Claro que santos anda há muito tempo por aqui para se perceber ao que vem e o que o move.
          Eis uma afirmação dele, posta aí no local do relato:
          “Que estranho haver tantos velhinhos e pessoas com filhos (a fazer o quê ao fim de uma hora de apedrejamento? a treiná-los para o adultério no caso de irem viver para países muçulmanos?) e tanto violação de diretos e não haver queixas.”

          Não.Não é uma questão do que o santos anda a tomar.E não se trata das “dúvidas que o “pequeno” tinha.Trata-se já de outra coisa.Às claras.
          Mais profunda e com mais raiva.Feita porta-voz oficial(desta forma troglodita) de quem comandou a operação policial.

    • helena diz:

      O sr Henrique Pereira dos Santos está intoxicado com as imagens e palavras da comunicação social ! EU, NÃO SOU JOVEM, TENHO MAIS DE 60 ANOS E ESTIVE LÁ !! É verdade o que esta jovem relata em relaçao ao massacre que a policia fez junto à Assembleia e nas ruas em redor. Eles, policias, podiam com a maior das facilidades ter neutralizado uns 20, 30 ??? arruaceiros. Deixaram que durante mais de uma hora este grupo os agredissem para somente se vitimizarem e atacar com uma brutalidade, que só presenciei antes do 25 de ABRIL. Qualquer pessoa vê, que se deixaram os arruaceiros atacá-los para terem um pretexto unico: atacar ferozmente quem mais os incomoda, os manifestantes pacificos ! Esta é a UNICA verdade. Já adora, eu estava acompanhada de uma pessoa de 79 anos que sem agredir também ninguém levou com uma bastonada na cabeça e teve de recorrer ao Hospital, onde tive a alegria de verificar que o pessoal de serviço, Medicos e Enfermeiros estavam a cumprir e Bem os serviços minimos, mas de livre vontade estavam de GREVE. Isto é que de certeza incomoda muitos!

    • Leandro diz:

      Subscrevo o De Está aqui um vídeo com a perseguição, e com os tiros…

    • Leandro diz:

      Subscrevo o De. Está aqui um vídeo com a perseguição, e com os tiros…

  2. JgMenos diz:

    “Sim foram (incendiados caixotes), mas tudo como uma resposta de enorme ódio e revolta em relação à acção desumana da polícia!”
    Parte em falta no texto: “…e nunca as nossas bocas se abriram para insultar a polícia”

    Questão: se enorme revolta e ódio dá para incendiar ruas, atirar pedras e garrafas, os polícias têm que ser imunes a tais sentimentos quando insultados e agredidos?

    • De diz:

      A forma como Menos manipula o que se diz e o que não se diz é todo um tratado.
      O insulto não dá direito a carga policial,mas sim a prisão.
      Sara nega que tenha atirado pedras.
      Que se tirem as ilacções devidas

      Este Menos deve ter sido abusado em criança.Ficaram as marcas e replica os seus tempos de infância?

      Vale a pena ler este http://otempodascerejas2.blogspot.pt/2012/11/equivocos-e-fantasias.html#links

      • Caxineiro diz:

        Cá para mim, acho que foi atropelado e nunca mais recuperou

        É mais que claro que as ordens que a polícia receberam foram no sentido de carregar sobre as pessoas que encontrassem pela frente. Se a intenção fosse deter os “violentos” teria sido fácil faze-lo naquelas quase duas horas de apedrejamento, onde por várias vezes houve manifestantes entre a polícia e os “agressores” tentando parar com aquele carnaval. As TVs transmitiram em direto esta parte do filme, não há nada a inventar
        O resultado final foi igual ao do 1º de Maio: a J Martins entregou aos média matéria para censurarem as manifs, os “atira-pedras” fizeram o mesmo em relação à greve geral. E isto levanta muitas interrogações sobre esses “revolucionários” mascarados

      • JgMenos diz:

        A ilacção devida é uma história da carochinha.
        Tudo mais replica uma cabeça suja.

  3. De diz:

    Um relato impressionante que devia ser espalhado por tudo o que fosse sítio

    Entretanto:
    http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=2893810&especial=Revistas%20de%20Imprensa&seccao=TV%20e%20MEDIA

    Uma notícia “curiosa” que levanta várias questões, nomeadamente:
    -confirma-se a existência de “brigadas infiltradas”?
    -porque motivo o Comando de Lisboa actuou como actuou?
    -quem comanda o Comando de Lisboa?

  4. solo diz:

    Irlanda, o Irão,Israel, a Arábia Saudita da Europa.Não a Estados Teocráticos!!!!!

  5. pois foi
    a Policia negou até se tornar insustentável a existência desses presos. E o gabinete de advogados do dr Garcia Pereira esteve (pro bono) no Monsanto até às tantas da madrugada a tentar desmascarar este atentado contra os Direitos Humanos

  6. ignatz diz:

    “… 9 pessoas dentro de uma carrinha com capacidade para 6…”

    esta parte é deliciosa, ganda tortura. na próxima manif reserva uma limousine com champanhe.

    oh tiago! a gaja é parva e tu dobras a parada a divulgar parvoíce infantil.

    • De diz:

      Nojento comentário a mostrar que a matilha de suporte aos terroristas sociais está preocupada.
      Regista-se.

      • JgMenos diz:

        Oh! DE como é que se há-de fazer uma revolução com gente tão sensitiva!
        Se um ligeiro aperto já é problema o que vai ser da revolução quando adiante tiverem os ‘fascistas’ – que passam o tempo a exorcisar mas que duvido que se dissolvam por essa via?

        • De diz:

          Gostei dessa qualificação de “gente tão sensitiva”.
          Sabe porquê, não sabe?
          É que é mais uma prova de quem promove a violência.De quem gosta da violência.De quem uiva por porrada e cacete, a eito e sem pudor.
          Sabe, não sabe?

  7. Luis Pereira diz:

    Mas afinal “A polícia não faz mal a gente” como disse o secretário-geral da CGTP numa recente manifestação!??!??!?!

  8. Miguel Botelho diz:

    No programa “Eixo do Mal”, a besta que dá pelo comentador de Pedro Marques Lopes, disse que o ministro da administração interna tinha sido fantástico, os polícias de choque estavam de parabéns e que os manifestantes (todos) eram uns energúmenos. Pior, foi a atitude cúmplice de Clara Ferreira Alves que teve de terminar o seu comentário, com um sorriso, para que as coisas ficassem bem com o seu colega do lado que se enervava, caso o comentário saísse mais verdadeiro.
    Já pedi para que recortassem as declarações deste energúmeno que dá pelo nome de Pedro Marques Lopes e estampassem num post, para que o mesmo fosse confrontado com a indignação de quem viu e sentiu a mesma repulsa que eu e muitos sentiram em ver polícias (dementes e a precisar de tratamento psiquiátrico) a bater em gente desarmada, só pelo simples prazer de bater.
    Não simpatizo com um estado policial e muito menos com um estado názi, mas parece ser o caminho que este país está a levar, agora com um cão polícia à frente de um Ministério da Administração Interna e uma mulher polícia à frente do ministério da Agricultura.
    Por último, para gente tão doente e, ao mesmo tempo, podre, como Pedro Marques Lopes, é verdadeiramente nojento, depois de declarações tão banais e estúpidas, como fez neste programa, continuar com um sorrisinho de medíocre e de parvo, como se bater em gente inocente tivesse muita piada.

    • JgMenos diz:

      Uma injustiça!
      Devia a esquerda estar grata à polícia, pois nunca se viu um revolucionário esquerdista suficientemente convicto sem levar com um cassetete nos cornos.
      O cassetete vale mais do que uma enciclopédia de loas ao Lenine!

      • De diz:

        “Cornos”?
        Oh Menos que lhe salta o verniz.
        Tanta raiva escondida.Será porque a natureza do regime está a afirmar-se como?
        Ou pelo incómodo das denúncias feitas, não só na primeira pessoa como de organizações internacionais?
        O mito dos brandos costumes a esvanecer-se.

        ( será que gosta de levar com “cassetetes nos cornos” para usar a sua peculiar linguagem, para melhorar os seus conhecimentos?Ou o seu curriculum vitae?)

  9. Carlos Carapeto diz:

    A quarta pessoa sou eu. Estava lá e presenciei a cena.

    Depois Miguel Macedo disse-o na televisão para o quem quiz ouvir, eram 30/40 arruaceiros +- que provocaram os desacatos.

    E porque razão agrediram toda a gente indisciminadamente?

    Eu vi residentes da Rua dos Poiais de S.Bento serem agredidos selvaticamente.

    Eu e mais oito pessoas não fomos agredidos porque um morador dessa rua nos abrigou em casa.

    Cerca de 45 minutos depois quando saímos, fomos abordados por um grupo de policias ao principio da Calçada do Combro a perguntarem de onde vinhamos.

    O que aconteceu naquele local foi uma orgia de terror organizado e planeado por parte de quem tem o dever de proteger os cidadãos, só não houve mortos porque ninguém opôs resistência.

    Até porque a policia tem outros métodos para dispersar manifestações sem ter que recorrer à violência extrema, bastava-lhe irromper por os flancos dividindo a multidão em dois grupos isolava e prendia o tal número de provocadores minoritários, que Miguel Macedo referiu.

    E o mais grave de tudo ainda, quando há uma carga policial tem que existir sempre uma saída ( a chamada porta) para evitar o pânico, ali não se verificou nada disso, a própria policia misturou-se com a multidão para gerar ainda mais pânico.

    Perceberam “senhores” henrique pereira santos e JgMenos ?

    O que aconteceu ali foi uma canalhice estudada ao pormenor, com o objetivo de atingir muitos fins, e o principal foi que no dia seguinte nenhum orgão da imprensa escrita deu destaque à greve geral.

    Para terminar; quem apoia este tipo de canalhices de cariz politica , é porque pertence à familia de quem as pratica.

    • henrique pereira dos santos diz:

      Esqueci-me: tenho todo o gosto e orgulho em pertencer à família das polícias democráticas em detrimento da pertença à família dos apoiantes de vários regimes totalitários, e primo afastado de arruaceiros violentos anti-democráticos.
      henrique pereira dos santos

      • De diz:

        Nós sabemos que tem orgulho em.
        E que subscreve a frase do Carlos Carapeto.
        Eu vou repetir:
        “quem apoia este tipo de canalhices de cariz politica , é porque pertence à familia de quem as pratica”
        Tudo dito sobre a dita família( a que pertence ) e sobre o tipo de canalhices que a dita família pratica
        Obrigado pela confirmação
        🙂

      • Carlos Carapeto diz:

        Não exigindo muito de si, consegue dizer o que entende por democracia?

        A qual democracia se refere. À democracia Popular ou à democracia burguesa controlada por o grande capital?

        Cuidado com isso! Democracia é um termo lato que abusivamente se aplica a todas as circunstâncias.

        • henrique pereira dos santos diz:

          À democracia burguesa liberal, um péssimo sistema, com fragilidades que permitem a manipulação da informação, o peso excessivo do capital e essas coisas todas. É a essa democracia burguesa e liberal que me refiro.
          Todas os outros sistemas, como sabe, têm o problema de impedir que os maus governos sejam removidos sem efusão de sangue porque assentam na repressão da dissidência.
          Sendo que a definição de dissidência, nesses regimes, tende a ir crescendo com o tempo.
          E em qualquer caso não impede que o capital domine o poder, como é bem visível na China, na Correia do Norte, em Cuba e outros sítios onde o capital infiltrou os partidos do poder através de uma manobra brilhante: o acesso ao capital depende de se pertencer ao partido.
          henrique pereira dos santos

          • De diz:

            Oh santos isso é um programa político que parece saído da biblioteca do prof cavaco silva.Essa da democracia burguesa e liberal cantada com hossanas à moda de churchill é um deja vu que de facto só da cabeça do sr presidente.
            Será que o anda a imitar?

            Todos os outros sistemas têm o problema de impedir que os maus governos…etc e tal?
            Oh santos podíamos alongar-nos por aqui,mas francamente a ignorância tem limites.
            Eu sei que o pé de chinelo lhe foge para a china ou para cuba ou para a coreia.Já lá iremos. Mas vossemecê provavelmente não se lembra, ou se se lembra prefere calar-se porque tem que vir fazer o papel de democrata burguês liberal.Lembra-se de Allende?Um governo eleito, de esquerda, a caminho dum projecto que não tinha nada a ver com a macacada da tal democracia burguesa e liberal?E que foi derrubada por um tipo de nome pinochet,com o apoio da liberal américa e com o também apoio activo,amigo,companheiro, babado e baboso de um crápula neoliberal de nome friedman.
            A história está mal contada ,não é mesmo?

            Quanto à china, a cuba e à coreia… o que melhor dizer que responder da forma como o faz,tentando desde já dizer que tais países afinal são como os outros países?Uma espécie de argumentação já observada aí em cima sobre os seus comentários à tal democracia burguesa e liberal.
            Oh santos mais uma vez francamente.Veja se tem tino.Muitos defeitos podem ter os países referidos por v.Mas considerar que são iguais aos outros e que o capital domina o poder é de cabo de esquadra.Não condiz não só com o argumentário de quem se farta de os referir como é o caso do próprio santos.Não cola com a realidade.De resto o santos sabe-o.Isso é apenas a sua forma peculiar de tentar,já não de defender os pulhas neoliberais (o tal “péssimo sistema” mas que enfim),mas de tentar fazer passar a mensagem que a arábia saudita e o chile de pinochet ou o portugal do coelho não têm outras hipóteses de escolha porque as alternativas são no fundo iguais.
            O pior é que não são.E o santos sabe-o.E daí refugiar-se no capital para permitir que o capital se perpetue e prolifere.

          • Carlos Carapeto diz:

            Os milhões de famintos e analfabetos da América Latina, África e também já na Europa, têm a liberdade de escolher livremente quem os deve explorar.

            O resto fica para depois.

    • De diz:

      Mais um testemunho (precioso) na primeira pessoa.
      A desmontar os planos da “canalhice” em exercício

  10. henrique pereira dos santos diz:

    Camarada Carlos Carapeto,
    1) Não sei o que quer dizer a frase: eu sou a quarta pessoa. Qual quarta pessoa? E quem são as três primeiras?
    2) “porque razão agrediram toda a gente indisciminadamente”. Se assim foi como é que é possível só haver aí uns quinze feridos, dos quais metade são exactamente as pessoas detidas e presentes a tribunal (contas para perceber: cerca de 50 feridos, metade dos quais polícias, cerca de dez antes da carga polícial, magoados por fogo amigo);
    3) “Eu vi residentes da Rua dos Poiais de S.Bento serem agredidos selvaticamente” Em que hospital foram tratados? Em que esquadra apresentaram queixa? Ou uma pessoa é agredida selvaticamente e não fica em estado de ser tratada no hospital?
    4) “só não houve mortos porque ninguém opôs resistência.” Pois, o azar é haver vários videos, quer de reportagem da comunicação social (por exemplo, a repórter da TVI abrigada atrás de carros, protegida pela polícia, como ela diz, a ser bombardeada com pedras e garrafas), que de pessoas que estão bem no meio da arruaça, que demonstram que de facto foi oposta resistência, e não foi pouca, como era de prever. Negar esta realidade é simplesmente inútil e apenas retira credibilidade ao que o camarada diz;
    5) A polícia irrompeu pelo meio da multidão, os provocadores refundiram-se rapidamente a coberto da conivência dos pacíficos e a polícia deteve de facto vários arruaceiros. Entretanto as pessoas que durante uma hora assitiram à violência dos provocadores numa sonolência que os impediu de os neutralizar, acordaram aos gritos (que nunca usaram para com os provocadores) de filhos da puta, fascistas e assasssinos para a polícia;
    6) Não havia saídas? Percebe bem o ridículo de usar argumentos destes para quem conhece a zona e viu a forma como a polícia se deslocou, quase ao ralenti?
    7) Não pense que é por usar imagens tremendistas e agressivas que me deixo intimidar numa discussão destas. Confrontar a sua descrição dos factos com a evidência empírica existente nos videos e fotografia e nos números de feridos transforma toda essa prosápia e os adjectivos apocalípticos numa conversa pueril.
    henrique pereira dos santos

    • De diz:

      Santos?
      Camarada fica-lhe mal.Fica assim com a i,agem de um pequeno troglodita a tentar por-se em bicos dos pés para falar com gente crescida.
      Porque vossemecê tem outra caracteristica para além de adepto policiesco do seu camarada macedo.
      É xenófobo.
      Reconhece-se no retrato?

    • De diz:

      Vamos então explicar ao santos para ver se ele consegue perceber:
      Comecemos pela quarta pessoa.
      Alguém faz o comentário em voz directa,na 1ª pessoa.O santos coloca em questão o seu testemunho e avança com as suas dúvidas de burguês bem instalado no sofá,para contestar tal relato .
      Eu disse que um relato na terceira pessoa tem a validade que tem.Nula.Relato baseado no ouviu dizer, no viu as imagens, no sobrou-lhe o desejo de subscrever o que o chefe disse.
      O Carlos aproveitou as deixas e comentou ironicamente a tentativa canhestra de se colocar em causa desta forma abjecta( o adjectivo é meu) quem assim faz o testemunho.E ele Carlos, assume-se como alguém que está no local.Algo que o santos não fez.Nem quis. Nem quer.
      Percebido?
      Olhe lá,essa não era muito difícil.

    • De diz:

      b) “Agredir indiscriminadamente”
      Tem aí um dicionário?Para aquilatar o que é “indiscriminadamente”
      Então bora lá consultá-lo

      Ou é o “toda a gente” que o perturba?
      Agrediram toda a gente indiscriminadamente.Não respeitando mulheres, idosos ou pessoas em cadeira de rodas.
      Serve-lhe?Ou o absoluto relativo dos 10 que o não eram e dos 2000 que o eram também aqui se aplica?
      🙂

      E as contas apresentadas?Metade polícias?Hummm.Está a replicar o relatório do minsitro que diz que a actuação da polícia foi a adequada?Do mesmo ministro que é responsável pela “estranha atitude policial”?

      Fogo amigo?
      O que o santos entende por isso?
      Andou à pedrada aos seus amigos?

    • De diz:

      c)Não viu as fotografias ou só aceita as fotografias com o carimbo da censura prévia?
      Bora lá pesquisar as queixas nos hospitais? Bora lá pesquisar quem ficou ferido e não apresentou queixa? Bora lá pesquisar os polícias que ficaram feridos na manifestação e que se socorreram dos hospitais?
      Oh santos mas vossemecê como sabe que hospitais prestaram assistência e a quem prestaram?Viu alguma nota com a chancela do ministério da saúde?Não sabe que são dados confidenciais?Se não sabe, devia poupar-nos a tal.Se sabe, aí é ainda pior.

    • Carlos Carapeto diz:

      Começo por colocar esta pergunta. Se eram meia dúzia de “provocadores arruaceiros” porque razão a policia agrediu indiscriminadamente quem se encontrava no local e no espaço circundante?
      Por uma abelha picar mata-mos todo o enxame?

      Dito isto; para chegar à conclusão que pensava eu que estava a dialogar com um Santo´s qualquer coisa, afinal a criatura não passa de um demónio alado , um pedante amiguinho da burguesia asquerosa, que é capaz de esgravatar no lixo imune do reacionarismo pestilento para impor os seus pontos de vista e proteger o casulo da ideologia fascizoide em que se acoita.

      Não mereces resposta e ainda menos respeito. Sabes porquê?
      Porque tu não respeitas os outros, inventas palermices fabricadas à toa na tua mísera imaginação na tentativa desesperada de justificar o injustificavel.
      Mas como tenho imenso prazer em esmagar patifes de direita , vou responder a algumas das tuas “dóceis” prebendas.

      Eu estava lá vi o que se passou, vivi os momentos de pânico igual às outras pessoas. Com o alvoroço que se gerou houve miúdos que se esconderam debaixo de carros. Os teus orgãos de informação burgueses chegaram a mostrar e a relatar isso?

      E a quantos Km te encontravas do local para te saires com essas doutas sapiências sobre o sucedido?

      Por esses factos mesmo é que não permito que qualquer pelintra aliado deste governo títere serviçal da burguesia e do grande capital , me desminta.

      E como referi mais que uma vez encontrava-me no local dos acontecimentos presenciei muita coisa. Ninguém destruiu nada por prazer de destruir. Se houve alguns carros amolgados é porque foram atingidos por pedras atiradas à policia. Os cidadãos também têm todo o direito de se defender.

      Conforme disse no comentário anterior cerca de uma hora depois e já longe dali ainda fui abordado por um grupo de policias.

      Tratou-se uma canalhice politica muito bem urdida, que pretende atingir vários objetivos (desmobilizar,amedrontar, reprimir, desviar atenções mediáticas, vitimização dos opressores, dar pretextos para aumentar a vigilância sobre as pessoas e as suas organizações……… com o intuito de permitir ao governo continuar fazendo fretes ao grande capital.)

      “Em que hospital foram tratados? Em que esquadra apresentaram queixa? Ou uma pessoa é agredida selvaticamente e não fica em estado de ser tratada no hospital?”

      Com este comentário não podias ser mais preciso na arte da aceitação do uso da repressão por parte do Estado contra cidadãos indefesos que estavam a exigir os seus direitos.
      Conseguiste atingir o limiar do paroxismo na negação dos direitos basicos fundamentais dessa coisa abstrata que dizes defender a que chamas democracia. Afinal o tipo de democracia que idolatras, é a democracia repressiva, tutelada por o sistema financeiro desumano, a tua democracia assenta na ponta das baionetas.
      Já compreendi, és pela legitimização dos opressores do povo através do engodo da liberdade de votar.

      Trata-se do embuste e da mentira impostos pelo controlo e manipulação dos orgãos de informação. Porque a partir daí nada mais é permitido.

      Essa não é , nem nunca será a democracia que serve os interesses do povo, de quem trabalha e produz riqueza para te sustentar a ti e à camarilha de parasitas que apoias.
      Passo a convencer-me cada vez mais que é necessaria a luta a sério para a liquidação total deste sistema politico e de quem dele vive, que está a empurrar a humanidade para o desespero e para o abismo.

      Sobre aquela diatribe de alegar que metade dos feridos eram policias, é outra falácia mais velha que aquela coisa que se costuma fazer de cócoras.

      Para os repressores justificarem a brutalidade , nunca pode ser de outro modo.

      Os factos são coisas teimosas.

      • henrique pereira dos santos diz:

        O texto é de facto muito ilustrativo.
        Obrigado, penso que ninguém, por mais arte, empenho e esforço que pusesse na tarefa, conseguiria arrasar tão bem a credibilidade do tal testemunho directo.
        Obrigado Carlos.
        henrique pereira dos santos

        • Carlos Carapeto diz:

          É tudo o que tens para responder?

          Se é, então volto a repetir. Os factos são mesmo coisas teimosas.

          Confirmam-se as minhas suspeitas. Não é ordem publica e integridade da policia que te preocupam.

          Pretendes a continuidade deste governo genocida social. Ficas apavorado ver o povo na rua reclamar os seus direitos, por isso aplaudes enfaticamente a brutalidade policial contra quem tem coragem de desafiar as medidas genocidas do governo.

          Quanto a democracia, nada? Encontram-mo-nos noutro lado!

      • De diz:

        Oh sr santos.Ficou melindrado porquê?
        Pelo facto de pacientemente ter sida posta a nu a sua argumentação sobre os dez que atiravam pedras mas que talvez fossem doze ou sobre os milhares que o não eram,porque os milhares só se contam a partir dos dez mil?Ou das imagens e dos videos que não viu ou que não lhe mostraram nada porque pura e simplesmente os ignorou?Não,agora nem vale a pena falar do apedrejamento com que apedrejou a decência e que relembra o velho aliado dos states liberais , a arábia saudita.

        O seu testemunho directo, como lhe chama, refere-se provavelmente ao seu testemunho na terceira pessoa?
        Não, não foi necessário nem arte nem muito empenho nem muito esforço para arrasar desta forma o seu testemunho directo ou dilecto, sr santos.
        E peço desculpa mas não vou cometer a hipocrisia tão ao gosto dos neoliberais de lhe dizer obrigado.Estes gostam de se fazer passar por polidos,enquanto não assumem a sua face de adeptos da violência policial indiscriminada e defensora da ordem e do direito do mais forte à liberdade.
        E aí Carlos acertou na mouche.

    • De diz:

      d) Ora bem.Mais uma vez uma questão que devia ser simples de interpretar :
      ” não houve mortos porque ninguém opôs resistência.”
      Uma frase simples e taxativa.De facto os policias que intervieram fizeram-no da forma que se viu.(Vossemecê ao menos não consegue sequer ler a nota da amnistia internacional?) Cacetada indiscriminada a torto e a direito.Diz quem lá esteve.
      O sr santos afirma que de facto foi oposta resistência.
      Oh sr santos.Mas quem levantou resistência foram as pessoas que se manifestavam pacificamente?O que se viu foram os energumenos que apedrejaram a fugir e a escapulir-se.Não consegue ver as imagens de forma objectiva? E muita gente a apanhar tentando apenas proteger-se.Incluindo mulheres.
      Curiosamente a questão era do perigo de ter havido mortos.
      Será que o sr santos confessa que de facto existiu mesmo o perigo da polícia poder ser responsabilizada por acontecimentos fatais?

      Santos?Lá se foi a sua credibilidade

    • De diz:

      “não havia saídas”
      Mais uma vez a dificuldade na compreensão:
      -Ora veja lá os videos e repare como algumas pessoas foram encurraladas contra um muro, onde por trás surgiam umas escadas num outro plano? Precisamente onde estariam as pessoas mais afastadas das cenas de apedrejo, com crianças e tudo?
      -Conclua a leitura da frase do Carlos até ao fim no que diz respeito à referida “porta”.Ainda não percebeu que a porta não é real?E que quando se refere que “a própria policia se misturou com a multidão para gerar ainda mais pânico” se está a negar a existência de mecanismos de fuga, as ditas “portas”?

      Ah, sim a polícia deslocou-se ao ralenti.Não, não como o seu cérebro,que esse sabe ao que vem e o que o traz

    • De diz:

      g) Não pense que é por usar imagens cor-de-rosa e apelos sublimiares à violência pura e dura,que me deixo intimidar numa discussão destas. Confrontar a sua descrição dos factos ,com a evidência existente nos videos e fotografias, com os relatos na primeira pessoa, com as tomadas de posição de entidades independentes, transforma toda essa sua prosápia e as suas tentativas de justificar o injustificável quase que numa conversa pueril.
      Quase que. Porque como todos sabemos o que o move são outras coisas, muito para além da referida puerilidade.

      Ah e nem falámos na violência atroz e inenarrável das políticas dos terroristas sociais em exercício. O desemprego, a fome, a miséria, a humilhação, o roubo de ordenados, de pensões, de feriados, o aumentar o tempo de trabalho, o diminuir as reformas, o colocar em causa a saúde, a educação, a habitação, o aumento da exploração de quem trabalha comparável ao antes do 25 de Abril, a engorda dos mesmos de sempre, com a concentração do capital num cada vez mais reduzido número de pessoas…eis o retrato violento de uma sociedade bem violenta. Tremendamente violenta.

  11. Dezperado diz:

    Na proxima manif da CGTP, quando o Armeniozinho disser que acabou vão todos para casa, assim não correm o risco de levar por tabela.

    Se a manif tinha acabado, ficaram la a fazer o quê??? À espera do quê?

    No futebol, as crianças e os idosos não se misturam com as claques, precisamente para não levarem por tabela. (apesar de achar falsa a noticia que saiu num jornaleco que quem mandou os calhaus eram das claques de futebol)

    Assim depois não temos que ler estas históriazecas, que parecem retiradas do novo canal de ficção da TVI.

    • De diz:

      “Armeniozinho”?
      Oh dezparado,voltou a ficar parado algures na sua infância ?

      “A manifestação tinha acabado”?
      Desperado.Eu percebo que esteja com alguns problemas.Mas as manifestações ainda não são ilegais.Estará a pensar que a proibição dos “ajuntamentos” pelo estado novo ainda são válidas?

      “crinaças e idosos”?
      Oh dezparado,Voltou a ficar parado mesmo.Onde se retiram direitos aos idosos e às crianças é nos regimes fascistas e afins.

      “historiazecas”? (ou “históriazecas” como escreve?).
      Oh desperado mais uma vez lhe salta o verniz.Disse que era um neoliberal, não foi?Pois é. Um neoliberal esconde geralmente também outra coisa.
      Tem aí um espelho?

      • Dezperado diz:

        Ai esta o Bobby em busca dos neoliberais….

        Fala tão mal da policia, mas transforma-se em policia do blog, onde faz um comentario em todos os comentarios que nao vao ao encontro das suas ideias….

        Peço mais uma vez aos donos do 5 dias……o bobby anda a fazer um bom trabalho, nao estará na altura de lhe darem um post para escrever…

        Por exemplo, ainda nao vi a DE a relatar os factos na 1º pessoa do que aconteceu, ou nao me diga que nao estava na greve???

        • De diz:

          Regista-se que desperado está desesperado por ser assim contraditado desta forma tão simples.
          Mas que diacho.Não choramingue e porte-se como um homenzinho.
          Não se socorra debaixo dos “autores do 5 dias”.Quem escreve o que escreve género “Armeniozinho”ou “historiazecas”ou quem subscreve tentativas fascistóides de colocar em causa o direito a manifestar-se ou os direitos cívicos de crianças e idosos merece comentários bem mais ácidos e acerados que os que aqui faço.
          Daí que se deixe de portar como uma virgem pudica e abandone esses hábitos tão pueris mas tão significativos de fugir aos comentários que o expõem.Refugiando-se em queixinhas e em fantasias próprias de quem mais não tem do que um punhado de nada….e um jeito neoliberal caceteiro de ser
          🙂

          Ah,fique descansado.Uma informação gratuita.Fiz greve sim.E mais alguma coisinha.

          Mais um que vale a pena ler.Característica a ironia própria do autor:
          http://samuel-cantigueiro.blogspot.pt/2012/11/administracao-interna-uma-entremeada-de.html

  12. renegade diz:

    Alguém se recusou a assinar os tais papéis em branco na polícia?
    Parece muito estranho que toda a gente tenha assinado. Não sei se me comportaria de maneira diferente, mas… essa atitude (podemos considerá-la coletiva, admitindo que toda a gente assinou) revela uma certa ingenuidade e/ou maleabilidade à chantagem. É bom que abram a pestana, porque isto só vai piorar.

Os comentários estão fechados.