Sobre as condições de trabalho dos estivadores

Não concordo variadíssimas vezes com o Daniel Oliveira. Mas, discordâncias à parte, vale a pena ler e analisar em que consistem as reais condições de trabalho dos estivadores, contrariando várias das mentiras com que estes trabalhadores têm sido “brindados” nas últimas semanas pelo governo e pelos patrões.

«Os estivadores recebem cerca de 1.492 euros por mês e 8,6 euros por hora.  É este o seu ordenado bruto médio e não os valores que têm sido indicados. Os  estivadores trabalham muito mais do que as 40 horas semanais. A prova disso está  nos efeitos da greve: a paralisação resume-se à recusa em laborar mais do que  um turno normal. Ou seja, os trabalhadores dos portos em greve efectuam 8  horas de trabalho diário, de segunda a sexta feira. O horário da maioria  dos trabalhadores portugueses. Os estivadores têm uma profissão de altíssimo  desgaste, que obriga a uma disponibilidade de horário quase  permanente e que tem um nível de sinistralidade muito acima da média. Por  corresponder ao manuseamento de máquinas perigosas, os estivadores têm uma profissão especializada. E, desde 1979, têm a sua profissão  regulamentada». Daqui

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

4 Responses to Sobre as condições de trabalho dos estivadores

Os comentários estão fechados.