Sobre as condições de trabalho dos estivadores

Não concordo variadíssimas vezes com o Daniel Oliveira. Mas, discordâncias à parte, vale a pena ler e analisar em que consistem as reais condições de trabalho dos estivadores, contrariando várias das mentiras com que estes trabalhadores têm sido “brindados” nas últimas semanas pelo governo e pelos patrões.

«Os estivadores recebem cerca de 1.492 euros por mês e 8,6 euros por hora.  É este o seu ordenado bruto médio e não os valores que têm sido indicados. Os  estivadores trabalham muito mais do que as 40 horas semanais. A prova disso está  nos efeitos da greve: a paralisação resume-se à recusa em laborar mais do que  um turno normal. Ou seja, os trabalhadores dos portos em greve efectuam 8  horas de trabalho diário, de segunda a sexta feira. O horário da maioria  dos trabalhadores portugueses. Os estivadores têm uma profissão de altíssimo  desgaste, que obriga a uma disponibilidade de horário quase  permanente e que tem um nível de sinistralidade muito acima da média. Por  corresponder ao manuseamento de máquinas perigosas, os estivadores têm uma profissão especializada. E, desde 1979, têm a sua profissão  regulamentada». Daqui

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

4 respostas a Sobre as condições de trabalho dos estivadores

  1. xatoo diz:

    puf.!
    não concordar com este tipo é ser moderado. O Daniel Oliveira é “o coiso” mais à direita que existe na esquerda. Aliás, um tipo destes nem deve ser considerado de esquerda.
    Obviamente, o trabalho de manipulador profissional consiste precisamente nisso, por cada coisa que ele diga que aparentemente pareça ser verdade e aceitavel, de seguida vêm 30 mentiras e distorções

  2. Graza diz:

    Quando leio comentáros destes fico mais descansado porque andava a considerar-me um radical intolerante: “O Daniel é “o coiso””… “um tipo destes nem deve ser considerado de esquerda”. puf.!
    Já agora, 5dias.net, desculpa mas este meu comentário é uma experiência para saber como está a moderação de comentários, porque achava que não existia, e como ficou por aí um que não foi editado, fico com dúvidas.

  3. xatoo diz:

    aprendizes de censores é o que não falta. Mas a realidade não se altera por via das suas comichões : Direita ataca a Direita do BE por ainda ser muito “radical”:
    “Daniel Oliveira: o futuro coveiro do Bloco de Esquerda”
    http://expresso.sapo.pt/daniel-oliveira-o-futuro-coveiro-do-be=f767401

  4. Rocha diz:

    Fartei-me de perguntar à Raquel Varela e ao Renato por estes números. Valores médios ou mínimos de salários dos estivadores.

    O que é irónico e anedótico, é que a Raquel e o Renato fartaram-se de meter os pés pelas na sua ânsia de serem vistos como grandes defensores dos estivadores, falando de números máximos e de horas extras impossíveis em vez de contrapor com os salários reais, médios ou mínimos – como aliás lhes pedi para divulgarem (e aparentemente ignoravam). Teve de vir o Daniel Oliveira (bem mais porta-voz da pequeno-burguesia do que de operários) para repor um pouco da verdade.

    Epá da próxima vez que vier um sector da classe operária com grandes gritarias e petardos para o ar. O mínimo que se exige àqueles que querem saltar para cima do palanque e falar em nome deles é que se esforcem realmente por conhecer a realidade do seu sector.

    Obrigado João, por trazeres ao 5 dias estas informações.

Os comentários estão fechados.