Ordem dos Advogados, do lado da lei e da razão.

“Estive até às 5h30 da manhã com a Dra Rita Garcia Pereira, a Dra Joana Miranda e o Dr Vasco Correia, Presidente Conselho Distrital Lisboa Ordem Advogados, a saber das pessoas (120) q foram arbitrariamente detidas pela PSP, descalças, impedidas de contactar com a família e Advogados e apenas libertadas horas depois (após denúncia pública e perguntas da Imprensa), negando a PSP tais 120 detenções!? Há um ferido, tratado em S. José, que esteve também ilegalmente detido e está para ser julgado, às 10h, no Tribunal da Pequena Instância Criminal.” Garcia Pereira.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to Ordem dos Advogados, do lado da lei e da razão.

  1. Maria Lopes diz:

    Concordo que num estado de direito democrático, os advogados devem ter acesso aos seus clientes Plenamente de acordo. Cumpra-se o princípio democrático. Agora, a legislação que foi adotada pelo Comando da PSP não foi devidamente regulamentada em tempos idos? A OA, não a viu? Estou a perguntar, não afirmar. Se me conseguirem esclarecer, encantada da vida.
    Podemos é solicitar à OA e a todos os que se sentem democraticamente maltratados, que para a próxima manifestação, se usem snipers do paintball, para ajudar a identificar o energunemos que democraticamente atiram pedras. Assim ajudam o Corpo de Intervenção a acertar de forma democratica.
    Quanto aos moços que estão a ser injustamente condenados, estão de cara tapada, porquê? É que sempre que vejo capuzes lembro-me da KKK e outros que tais, mas isso são os meus nervos.

    • joão viegas diz:

      Mais do que “o principio democratico”, que é muito bonito mas um pouco vago, cumpra-se a lei, muito simplesmente.

      Lei que não consta que possa ser adoptada “pelo Comando da PSP”, e que a Ordem dos Advogados invoca neste caso, pelo que podemos razoavelmente supor que ela a viu passar…

      Boas

    • Leo diz:

      “É que sempre que vejo capuzes lembro-me da KKK e outros que tais, mas isso são os meus nervos.”

      São também os meus quando vejo os capuzes e as máscaras…

  2. Streetwarrior diz:

    Que os inergumenos que destruiram património publico sejam julgados e que paguem pelos actos cometidos…. isto é o que eu acho e o que todos cinicamente (eu aqui não me incluo) apelam independente de saberem se as pessoas detidas foram ou não responsaveis por os actos que assistimos.
    Agora, eu digo cinicamente porquê?
    Porque todos estão a regorgijar-se pela detenção desses mesmos individuos, justificando com o tal estado de direito que não pode ser violado mas…depois, não vêem qualquer problema ou “atentado ao estado de Direito” que tanto propagandeiam para que as pessoas detidas, possam gozar de todos os direitos que o mesmo “estado democratico ” lhes garante para que tenham um condenação ou julgamento democrático.
    Engraçado…atira esta gente pedras á Escardalhada Burguesa e Anti-Democrática” quando os mesmos se regem pelos principios de “Democracia sim as a que me convém”.
    Ora, contradizem-se e chegam ao absurdo de nem perceberem que ao que apelam não se chama Justiça mas sim, Vingança.
    È o tal Olho-Por-Olho, Dente-Por-Dente que que costumam repetir que se passa lá para as Chinas anti-Democráticas, Enfim.

    Eu penso que em outros paises, a policia tem como método, infiltrados que usam uma latinha de Spary para marcar desordeiros, onde depois nas investidas, devidamente identificados, é só pegar neles.
    Ai , torna-se facil e simples o método de detecção dos “Verdadeiros Desordeiros”,os quais , eu condeno também.

    Guerreiro

    • Renato Teixeira diz:

      Património Público sãos as escolas e os hospitais, não as pedras da calçada ou a fibra de vidro de escudos e capacetes.

    • joão viegas diz:

      Muito gostam vocês de desconversar.

      Ser imperativo agir, em nome e com base na lei, com firmeza e severidade se necessario, contra aqueles que atentam às regras basicas do Estado de direito…

      é mais uma razão

      para agir cumprindo com rigor as exigências da lei, quanto mais não seja para impedir a anulação dos processos, que por sua vez tem como consequência tornar completamente e definitivamente impossivel qualquer condenação ou sanção…

      E’ isso, e apenas isso, que a Ordem dos Advogados lembra…

      …com bom senso.

      Mas, como sabemos, Descartes nunca pôs os coutos em Portugal…

      Boas

Os comentários estão fechados.