A dívida é vossa!

Carlos Guimarães Pinto, que defende um governo que é co-responsável pela transferência da dívida privada para a conta dos trabalhadores, que gosta de Secretários de Estado que já andam “a tirar medidas” para fazer estátuas aos caloteiros e que acha democrático tiros de shotgun para meter os estivadores na ordem, deu-se ao despudor de dizer que é por aqui que o ridículo devia ser sujeito a mais-valias.

Queira ou não meter isso na cabeça, a verdade é que se o Carlos Guimarães Pinto quiser fazer um balanço sério entre o deve e o haver, concluirá que a dívida que tem sido contraída pelo Insurgente, tem vindo a ser paga pelo 5dias.

Ainda bem que a luta vai acabar por abrir os livros de contas e entregar a factura a quem a merece.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a A dívida é vossa!

  1. A dívida é nossa, e vocês continuam a pagá-la em cada post. Obrigado, Renato.

    Mas, já agora, Renato, responda-me honestamente se for capaz: você que defende a violência como forma de fazer política; você que nunca criticou os petardos ou as pedras atiradas pelos estivadores, como é que espera que a polícia reaja? Não percebe o ridículo que é vir chorar por causa de um tiro de shotgun para o ar quando se defende a violência do outro lado?

    • Renato Teixeira diz:

      Em cada post e em cada medida austeritária, não esquecer.
      Sobre a origem da violência pode aprender alguma coisa com o MSE, já que não aprendeu nada com a história, pelo menos, do século XX:

  2. Antonio Carlos diz:

    Por falar em “abrir os livros de contas”, já há conclusões do CADPP, nomeadamente sobre a parte da dívida que é ilefítmia, ilegal ou odiosa? Há quanto tempo foi formado o CADPP?

    • Renato Teixeira diz:

      Já. Boa parte dessas conclusões estão no livro “Quem paga o Estado Social em Portugal”, onde, entre outras coisas, se conclui que pagamos mais em impostos do que recebemos em prestações sociais.

      • Antonio Carlos diz:

        E quanto ao objectivo central do CADDP (segundo o título do site da CADDP), determinar a parte da dívida considerada ilegítmia, ilegal ou odiosa? O livro também aborda essa questão?

  3. Dezperado diz:

    A “maricagem revolucionária”…..não poderia arranjar melhor nome…

    “Nós os estivadores, somos umas vitimas, não fazemos mal a ninguem, e a policia está sempre a bater-nos”

    São uns coitadinhos!!!!!! Parecem putos da escola!!!!

    • Renato Teixeira diz:

      Nada disso. Continua sem perceber nada. Com eles ninguém se mete e verá que o governo cederá às suas reivindicações.

Os comentários estão fechados.