Os perigos estão em todo o lado

Compreendo as reservas que o Tiago vem levantando em relação à «composição» dos estivadores. E compreendo também que não seja fácil de aceitar alguma demarcação em relação à CGTP. Mas a verdade é que os perigos de contaminação desta luta por parte da extrema-direita não são exclusivos aos estivadores e todos conhecemos exemplos vários de tentativas (também elas várias) nesse sentido.

Eu não pretendo endeusar os estivadores nem a sua luta mas sei que estes e esta têm dado um forte contributo para o engrossar das fileiras dos que estão contra não só este Orçamento como todas estas políticas miserabilistas. E sei, também, que para os estivadores não será fácil aceitar todas as reservas que lhes vão surgindo, não só da parte da maior Central Sindical portuguesa como, também, dos partidos da esquerda parlamentar.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

14 respostas a Os perigos estão em todo o lado

  1. Pascoal diz:

    É uma pena que eles não prestem vassalagem à “vanguarda”

  2. Camarro diz:

    Começo a ficar farto destes tiros para a água. As balas da esquerda portuguesa têm que se concentrar no couraçado que vem cá na segunda feira e, sobretudo, na greve geral de dia 14. Que tal se pusessem aí um banner do lado direito do blog a mobilizar para estes dias? Vamos estar juntos nestas duas datas, certo?

    • Carlos Guedes diz:

      Certo. E creio que isso está a ser tratado.

    • De diz:

      Caríssimo Camarro:
      Exemplar o seu comentário!

      • Carlos Guedes diz:

        Tem tanto de «exemplar» como de «assobiar para o lado». Eu não pretendo abrir ou aumentar a «guerra» e apenas acho saudável que as coisas sejam discutidas com elevação.

        • De diz:

          Pode ser saudável para o caro Carlos Guedes.
          Pode ser saudável para quem quer que seja.
          Mas se ainda não perceberam que para a maioria dos que vos lêem, o que sobra de tudo isto, são mesmo “tiros para a água”para utilizar uma expressão simpática.
          Porque o comentário de Camarro também é exemplar por assinalar com uma precisão cirurgica o que lá vem:
          – Um couraçado ( uma expressão extremamente feliz)
          e sobretudo uma greve geral.

          O que está escrito está escrito e parece que não confiam na capacidade discriminativa de quem vos lê o juízo das diferentes posições em jogo.
          Poderia ser muito mais cáustico mas seria injusto consigo e sobretudo iria violar os princípios que disse atrás.
          E prefiro seguir este rumo mesmo que com a acusação de “assobiar para o lado” (embora ache francamente que já me conhece para saber que nunca volto a cara). Sei que pelo menos nunca assobio para o inimigo. E acho também que o Carlos Guedes também não.

          • Carlos Guedes diz:

            Creio que ninguém neste espaço perde de vista o inimigo comum. Embora, admito, por vezes possa transparecer o contrário. Um abraço.

        • Camarro diz:

          Quem tem assobiado para o lado são alguns dos autores deste blog. O comentador antónimo não vai levar a mal se eu o chamar aqui para referir todas as observações, correctas, que ele tem feito acerca deste não assunto estivadores vs CGTP e que não têm merecido a devida atenção de quem continua a insistir nisto. É só isto!

          • Carlos Guedes diz:

            Discutir diferentes pontos de vista sobre o mesmo assunto dificilmente poderá ser chamado de «assobiar para o lado».

          • Camarro diz:

            Antónimo says:

            4 de Novembro de 2012 at 19:14

            O que trama essa afirmação do desejo de controlo é que o Arménio Carlos saudou a luta dos estivadores no discurso que trazia escrito, Ana Avoila recusou condenar a violência dos estivadores e Bernardino Soares que tb foi questionado disse que a violência estava do lado da política dos governos. Obviamente que todos os comunistas já escolheram a estiva contra a PSP. Aquilo não é gente que tenha chegado agora a este campeonato.

          • Baresi88 diz:

            O que eu sei é que almas puras que vão às manifestações não gostam nada dos Estivadores, dizem que é por usarem os petardos e afins. Mas com festinhas, bandeirinhas, abracinhos, não vamos lá, e a bófia e o governo têm medo dos estivadores. E para mim é completamente natural que se tenha que ter cuidado com o chão que pisamos, pois no 25 de Abril de 74, nasceram alguns traidores como o Soares, o Cavaco, o Vasco Lourenço, o Otelo acabou por cobrir o Soares… Se bem que isto tem de ser menos palavras e mais acção.

  3. vitormonteiro diz:

    mas quem disse que a cgtp e certos sectores têm reservas em relaçao aos estivadores?deixem-se de tretas

    • Carlos Guedes diz:

      Fui eu que escrevi. E não fui o único. Deixemo-nos, então, de tretas e diga-nos lá por que motivo ou motivos pensa o contrário.
      Pela parte que me toca, falo com algum conhecimento concreto, pelo menos no que respeita ao partido em que milito. O resto são evidências que vou apanhado aqui e ali… e como não ando nisto há dois dias…

  4. Carlos Carapeto diz:

    Enfim; assobiar para o lado pode significar desinteresse e distração. Mas gritar para os lobos mesmo sem a sua presença, como alguns não se cansam aqui de fazer, seguramente que é sinonimo de medo.

    Tenho consultado a informação da CGTP e de mais orgãos sindicais ligados à esquerda e não encontrei nenhumas evidências de hostlidade à luta e atuação dos estivadores.

    Pois se existe por favor que as tornem publicas.

Os comentários estão fechados.