20 anos de “Rage Against The Machine”

Comemoram-se hoje os 20 anos do lançamento de “Rage Against The Machine” um dos mais importantes álbuns rock da década de 90. Num tempo em que o grunge era hegemónico, o surgimento deste álbum foi um novo trilhar de caminhos sonoros. Ao estilo vocal hip-hop de Zack de la Rocha combinava-se a reapropriação criativa de por parte de Tom Morello de dois Jimmys: os riffs de Page e o uso intensivo do pedal wah-wah de Hendrix. A intensidade da secção rítmica da banda não encontraria muitos paralelos desde então. Por seu turno, as letras inflamadas e comprometidas politicamente com a luta pelo socialismo deram ainda mais expressão a uma banda que, só nos EUA, conseguiu vender 9 milhões de discos com os seus quatro álbuns. “Rage Against The Machine” perdurará na memória da música popular contemporânea como um dos mais poderosos exemplos de uma inovação sonora aliada ao combate político anticapitalista. Deixo aqui a que é para mim a melhor e mais enérgica versão ao vivo do mais famoso tema da banda. “Killing in the name”, um retrato fiel do espírito musical e político que sempre animou a banda.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.