Manuel Pizarro e a alternativa de Esquerda à Câmara do Porto

Há alguns meses, algumas vozes de Esquerda, como Rui Tavares, propuseram uma alternativa de Esquerda para defrontar Luis Filipe Menezes na candidatura à Câmara Municipal do Porto. No fundo, algo que já tinha sido tentado sem sucesso, por João Teixeira Lopes, em 2008.
Mas depois desta notícia, em que Manuel Pizarro é dado como o candidato do PS, a tal alternativa de Esquerda está completamente enterrada.
Para quem não sabe, Manuel Pizarro foi Secretário de Estado da Saúde no último Governo de José Sócrates e autor de um sem-número de malfeitorias contra o Sistema Nacional de Saúde. Confesso que fiquei espantado quando o vi na Manifestação do 15 de Setembro, no meio de 100 mil pessoas, como se não fosse nada com ele. É preciso ter lata!
E sendo óbvio que o PS é tudo menos de Esquerda, que venha o Diabo e escolha entre ele e Luís Filipe Menezes. Mesmo com Menezes, decerto que as coisas não serão piores do que foram com Rui Rio.
Uma ressalva final: espero que a tal alternativa de união esteja mesmo completamente enterrada. Suponho que nenhum Partido que seja realmente de Esquerda vai apoiar Manuel Pizarro, embora, com o Bloco de Esquerda, nunca se saiba com o que contar. É só olhar para o caso de Manuel Alegre.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 respostas a Manuel Pizarro e a alternativa de Esquerda à Câmara do Porto

  1. Antónimo diz:

    O pessoal da lista B que tanto tem influenciado a mesa nacional não deixará de achar que isso é sectarismo, RSP.

    E não faltarão ataques à CDU sugerindo que andou abraçada a Rio.

  2. mesquita alves diz:

    Caros 5 dias, aceitem este meu desabafo.

    Penso que no mundo, não ninguém mais deprimido que um português, do porto, e simpatizante do PS.
    Com este governo.
    Com este lider da oposição.
    Com este lider da oposição parlamentar.
    Com este candidato a presidente da câmara…(o moço, parece que padece de trissomia 21), não há cú que aguente….

    Ab.

    • Rocha diz:

      A pergunta então essencial será porque um português do Porto continua a ser simpatizante do PS?

      Gosta de sofrer?

      Os partidos não são vacas sagradas e quando traem os seus princípios e a sua palavra passam a não valer nada. O PS não é nem socialista, nem de esquerda e não é desde à uns dias mas sim desde à umas décadas.

      O seu ex-camarada Manuel Serra entendeu isso, desde cedo (em 1974), e tirou daí as devidas consequências.

  3. Leo diz:

    Francamente parece-me que interessa de sobremaneira ao governo que entre na agenda pública a discussão dos candidatos às autárquicas… Eu para este peditório agora não vou dar.

  4. ignatz diz:

    se calhar querias que o ps entrasse com os votos e vocês com os candidatos. não devem tar bons da tola.

    • Antónimo diz:

      Quem é o Pizarro? A si a democracia e o debate político choca sempre um pedaço. Não percebe com com candidatos consumados fica dificultada a convergência. Os PS socráticos – todos menos uma dúzia – só entendem o poder enquanto sítio solitário e com maiorias absolutas, local perfeito para as tendências fazerem de conta que podem influenciar alguma coisa e convencerem os eleitores mais tolos.

  5. Augusto diz:

    Com o PCP nunca se sabe, basta lembrar os casos de de Jorge Sampaio ou João Soares, sem esquecer Mario Soares em 1986…..

    • Antónimo diz:

      Ora ainda bem que lembra as melhores câmaras que lisboa teve.

      (ou a altura em que Freitas do Amaral deixou de ser o presidente de cavaco)

    • Rocha diz:

      A nostalgia é sua e não minha, nem do PCP que de momento – e muito bem – está a recusar alianças com o PS na câmara de Lisboa e já há muito tempo que não abdica de candidatura própria nas presidenciais.

  6. Bolota diz:

    Mas qual esquerda??? O PS é um partido de esquerda ou convem que se diga de esquerda??? João Proença é de esquerda??? Se é porque assina em concertação contra quem diz defender, os seus associados???
    Mesmo dando o beneficio da duvida, será que o Pizarro avançou conjugado pelo resto da esquerda??? Ricardo, mas qual esquerda???

    • Bolota diz:

      Ainda voltei atras para dizer que assim, o Meneses, o autarca mais endividado do pais vai ganhar a camara do Porto a brincar….
      Será que é ele que ganha ou os outros que perdem??? Esta de saltarem de comarca em comarca é das coisinhas mais fascisantes e preputentes que se possa calcular. Mas depois, o culpado de tudo do que se está a passar é do 25 de Abril e dos Comunistas.

    • Antónimo diz:

      Essa coisa dificulta-me muitas vezes os comentários noutros blogues.

      Eu falo de esquerda e respondem-me como se eu tivesse metido o PS no saco.

      É uma grave falha conceptual que afecta os rolo-comprimidos pelo discurso de lugares-comuns.

  7. Miguel diz:

    Este post é um excelente exemplo de sectarismo, que só encontra paralelo na máxima do «orgulhosamente sós».
    Execrável e sem comentários.

    • Antónimo diz:

      os que brandem o gládio do sectarismo, são sempre grandes adeptos do facto consumado. Não voto no Porto, mas se votasse, Pizarro nunca conseguiria ter o meu voto, nem para vencer Luís Filipe Meneses. Preferiria eleger outro vereador.

      E mais acrescento, em presidenciais futuras, num caso onde, em regra, apenas dois candidatos parecem ter força. Bem pode haver um Sócrates Santana Lopes para decidir que não pensem que engulo sapos. Qualquer deles o maior que Soares.

  8. Edgar diz:

    O PS é useiro e vezeiro nestas escolhas com as consequências conhecidas. Veja-se a vitória de Cavaco Silva.

  9. CausasPerdidas diz:

    Tanto subterfúgio acerca do candidato do PS só para preparar o último parágrafo?
    Sim, o Alegre, mas quem ganhou foi o Cavaco, lembra-se?

  10. Pingback: Se votar Pizarro, Porto dá um prémio aos Governos PS – Aventar

  11. Zuruspa diz:

    Mas vocês viram o excremento Pizarro na manif do 15 de Setembro, e näo lhe disseram nada?
    A sorte dele foi eu näo estar perto dele, ou perguntava-lhe mesmo se ele era o mesmo que andou a destruir o SNS, ou se era clone…

  12. Pingback: Manuel Pizarro foi dar um abraço à Casa da Música | cinco dias

Os comentários estão fechados.