Reportagem alternativa sobre o “Cerco ao Parlamento, Este Não é o Nosso Orçamento”

Com a assinatura do Ministério da Verdade, a dar mais uma lição ao jornalismo pop, cluster, histérico e desprovido de sentido.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

11 respostas a Reportagem alternativa sobre o “Cerco ao Parlamento, Este Não é o Nosso Orçamento”

  1. Pedro diz:

    Colar imagens ainda não é jornalismo. Isto é como tirar fotos com o Instagram e achar-se uma Annie Leibovitz.

    • Renato Teixeira diz:

      Talvez seja melhor então passarem a fazer isso. O resultado, está visto, é bem melhor do que os estapafúrdios relatos imbutidos em voz-off na realidade.

      • Goncalo Matos diz:

        Concordo 100% contigo Renato, ontem fui para lá depois do trabalho e tanto na televisão como nos sites dos jornais havia pouca ou nenhuma informação à cerca da manifestação. Temos que ser nós a lutar pelo mundo em que os nossos filhos e netos vão viver.

      • Pedro diz:

        Como é o resultado melhor se há zero esclarecimento do que está ali a acontecer? De que forma é que este vídeo informa alguém que mora em S. Jorge da Morronhanha?
        Que é material passível de ser usado numa reportagem, é certo. Chamar a quatro minutos de vídeo uma reportagem é insultuoso. Ao meu raciocínio enquanto leitor deste blogue mas, principalmente, a si próprio, que até costuma apresentar vários pontos de vista válidos.

  2. Dezperado diz:

    Dou os meus parabens aos policias pela paciencia que tiveram com alguns manifestantes.

    Poderiam abrir vagas numa formação de iniciação ao protesto, ajudava alguns manifestantes a saberem protestar!

  3. Carlos Carapeto diz:

    Fecha-los em casa dava mais tranquilidade.

  4. notrivia diz:

    Quero aqui manisfestar o meu apoio e incentivo a futuras acções nos mesmos moldes às companheiras que se despiram (de preconceitos e vestes).
    Aparentemente houve quem não apreciasse…
    Enfim, há gostos pra tudo.
    A solução a que cheguei à luz do sucedido é muito simples:
    Mais teta de fora, cacetete não obrigado.

  5. cid simoes diz:

    Faltavam as fogueiras ultra-revolucionárias tão ao gosto da extrema-direita.

  6. Indien diz:

    Fazer um video do lado dos que se manifestam é mais fácil quando estamos no meio do que se defende, mas muitos fotógrafos como eu estivemos ali a trabalhar, e muitas vezes somos impedidos de fazer o nosso trabalho, que no fundo é divulgar a manifestação, eu não tenho que dar a minha opinião sobre se concordo ou não com a manifestação, nunca a dei e nunca irei dar, agora isso não é jornalismo, desculpe-me mas não…
    Mais uma vez fui agredido por um dos estivadores, tentaram a mim e a outros colegas de fotografar, para quê?
    Ofendem os jornalistas, porquê ?
    Temos que mostrar o cartão do partido ?

Os comentários estão fechados.