Movimentos sociais e cidadãos organizam a concentração: “Cerco ao Parlamento”

Objectivo é chumbar o Orçamento nas ruas no dia em que ele é apresentado na Assembleia da República e exigir a queda do governo.

Ler o resto do comunicado no blogue da Concentração: “Cerco a S.Bento – Este não é o nosso Orçamento”. O Cartaz é da autoria da Rita Neves.

  • Conferência de Imprensa, dia 13, às 12:00, em S. Bento.
  •  Concentração em S. Bento a partir das 18h do dia 15 de Outubro.

Para mais informações:
Evento no Facebook: http://www.facebook.com/events/369654943113491/
Página no Facebook: http://www.facebook.com/CercoASBentoEsteNaoEONossoOrcamento
Manifesto: http://cercoaoparlamento.blogspot.pt/p/este-nao-e-o-
nosso-orcamento.html
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

11 Responses to Movimentos sociais e cidadãos organizam a concentração: “Cerco ao Parlamento”

  1. Dezperado diz:

    “Objectivo é chumbar o Orçamento nas ruas no dia em que ele é apresentado na Assembleia da República e exigir a queda do governo.”

    Se o objectivo for cumprido, segundo as ultimas sondagem….o que cairia seria o “D”….em vez do PSD teriamos novamente o PS….será esse o objectivo das pessoas que se vão manifestar?

  2. Tiago diz:

    Com todo o mérito que tem a iniciativa, não percebo ao ler o apelo, porque razão se continua à moda “dos congressos das alternativas” a branquear o PS e as suas responsabilidades no estado do país.

    A outra questão é a denominação “movimento sociais” em contra-ponto ao movimento sindical. Pode haver quem não sabia, mas um sindicato é um movimento social (pode é ter objectivos de transformação da sociedade, como a CGTP-IN, e serem parasitas que assinam tudo que o patrão manda, como a UGT.

    Parece lembrar a peregrina ideia da burguesia de chamar aos “indignados” movimentos de protesto da “sociedade civil”, como se os partidos políticos e sindicatos que lutam há muito contra as políticas do PS/PSD/CDS-PP fossem parte das estruturas militares?

    Por último, considero arriscado a expressão “cerco”. Porque cerco envolve rodear a Assembleia da República e não obviamente concentração apenas na frente das escadarias. Mas tudo deve estar devidamente pensado.

    Haja gente para isso. Que seja um sucesso. E que no trabalho político realizado antes e após as manifestações, que as ideias a cheirar a bafio fascista, do “são todos iguais”, “querem todos poleiro”, sejam transformadas em apelo à luta, onde inegavelmente há partidos na AR que estão empenhados, com destaque é óbvio, para o PCP.

    Não é preciso concordar com esses partidos, é preciso é não confundir as coisas, se não, não se luta pela mudança, luta-se para dividir, em vez de encontrar as ideias comuns para ganhar força, derrubar o governo e construir a alternativa, não a que passa pela ilusão de que o PS é ajuda para alguma coisa (e por isso se branqueia a sua acção), mas a alternativa que o povo e o país precisam, um governo patriótico e de esquerda.

Os comentários estão fechados.