Até quando devemos ficar à espera?

Num momento em que devemos trabalhar para fazer convergir na diversidade todos aqueles que querem  ajudar a construir uma solução de esquerda para enfrentar a direita, parece-me importante assinalar a minha principal divergência com o Bloco de Esquerda: eu não penso que o PS seja reformável. Para já, e para que fique claro, eu entendo que a convergência de esquerda necessita (e muito!) de quem vota PS e até de muitos militantes deste partido que não colocaram o socialismo na gaveta. Ao invés, pensar que a direcção de um partido em que pululam Lello, Vitalino Canas ou Paulo Campos e tantas outras figuras sinistras, pode ter um rebate de consciência invertendo em 180º as políticas que defende tem algo de irrealista, tal como acreditar que uns quantos dirigentes e deputados colocarão em perigo o seu lugar dissidindo “violentamente” da sua direcção não pode resultar numa espera eterna.
Sinceramente, faz-me alguma confusão que haja dirigentes do PS que acataram mais uma decisão de abstenção (aprovada por unanimidade) contra as moções de censura do BE e PCP, que, no dia seguinte, estejam a filosofar sobre a esquerda no Congresso Democrático das Alternativas (CDA). Todas as pontes devem ser lançadas mas são as acções, e não as palavras, que definem a disponibilidade para que a convergência se faça.
Neste momento, mais do que nunca, importa perceber até quando é que o BE vai ficar à espera que o PS, ou uma parte dele, atravesse para o lado do combate à troika e suas políticas. Temo que o CDA não contribua para esta clarificação e até sirva para branquear a acção de gente que tem estado sempre ao lado da troika.

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 Responses to Até quando devemos ficar à espera?

  1. Orlando diz:

    Tiago, concordo contigo e assino por baixo. Até quando vai o BE esperar que o PS vire de facto à esquerda??? A alternativa tem de surgir com aqueles que estão contra estas politicas, ir a votos e depois o povo que escolha. Apresente-se as alternativas e depois é tudo uma questão de as explicar bem ao povo de maneira a que este perceba que a história das inevitabilidades não passa de um logro. A unidade do povo de esquerda faz-se dos democratas que querem de facto romper com estas politicas. Avancemos então na luta por uma verdadeira alternativa a esta politica, por uma politica patriotica e de esquerda.

  2. JgMenos diz:

    Para a esquerda faz sentido ter por inimigo principal o PS, que ̩ talvez o mais burgu̻s dos partidos Рum misto de esquerda de sacristia e direita dos interesses.
    Não há uma réstea de ideal nesse amontoado de ideias a que chamam identidade!
    O materialismo só lhes serve para afastar a moral dita burguesa, e mais facilmente chegar às materialidades que importam – poleiro e dinheiro!

    • Augusto diz:

      Para a esquerda faz sentido ter por inimigo principal o PS ?????? Qual esquerda ?

      A que já serviu de muleta a Rui Rio do PSD no Porto?
      A que se aliou com o Fernando Seara PSD-CDS em Sintra?

      • V CABRAL diz:

        Augusto, quando se diz ESQUERDA, tu mesmo pensas logo no PCP, né ?! Eu também! Mas a ESQUERDA, inclui o BE e os nabos que ainda votam no ps, Espero que estejas esclarecido … VIVA A UNIÃO DE ESQUERDA !!!

      • De diz:

        Lol
        Que curioso que augusto responda desta forma a um comentário de JgMenos.
        JgMenos não merece qualquer comentário.
        Augusto também não.
        Estão bem um para o outro,mais os seus peculiares ódios de estimação.
        Misto de sacristia e de interesses…
        🙂

    • kur diz:

      O xor jogamenos com a cabeça de q com os pés,confunde Materialismo com materialidade,a menina querida do liberalismo-o vosso fio condutor não é a Humanidade mas sim,a Ganância.Cumprimentos a esses grandes capos da direita reponsável,rigoros e competente,dias loureiro-grande gatuno!,ao eurico de melo-q gostava ‘daquilo’ q os súcias gostavam,o gatuno e assassino de velhotas-duarte lima e,o dr.miguel relvas q foi mais rápido do q o sócas e q tanto o acincalharam na imprensa,e q escondem agora.
      Cumprimentos à múmia cancerosaa do Mentiroso e competente/ corrido pelo FMI,qq coisa bórgia.Só o nome diz tudo.Ah! a despesa do estado(ao qu’isto chegou´)é de 21.3% do Total da Despesa.
      Aqui,continhas feitas http://resistir.info/e_rosa/ignorancia_de_a_borges.html

      É o vosso ícone ,e c’a ganda ícone.

  3. Vasco diz:

    Por alguma razão o PCP manifestou reservas, para não dizer mais, em relação ao CDA. Neste momento a unidade constrói-se na base, com os trabalhadores nas empresas, com as populações em torno da defesa dos serviços públicos, etc, aumentando e intensificando a luta. Será desta luta – crescente e poderosa – que se criarão as necessárias alternativas políticas. Acordos «por cima» hoje são ou impossíveis ou reaccionários…

  4. Augusto diz:

    É claro que o PCP e o BE são diferentes, em muitas coisas ( felizmente), mas tambem na maneira como encaram o PS.

    O PS não é uno, e no PS, existem em amalgama todas as contradições da sociedade portuguesa, é por isso que o PS é o prototipo do albergue espanhol.

    A sua base eleitoral é diversa, desde operários com pouca consciência de classe, a uma pequena burguesia urbana e rural, até sectores do patronato e das profissões liberais.

    Ser capaz de atrair sectores dessa base eleitoral do PS, é vital para qualquer alternativa de esquerda.

    E como não é com fel que se apanham moscas…..

    A Alternativa ….é a politica de capelinha, e as tais alternativas “patrioticas”!!!!!! , mas essas não são solução.

    Afinal foi uma coligação de esquerdas que elegeu Mario Soares na sua primeira Presidência, tal como Jorge Sampaio.

    Foi uma coligação de esquerdas que deu a Sampaio a vitoria nas suas candidaturas á Câmara de Lisboa.

    Foi uma candidatura PCP-PS, que elegeu João Soares para a Câmara de Lisboa.

    E não foi assim há tanto tempo……

    • V CABRAL diz:

      Terá sido a meu ver o maior erro do PCP, após o 25 de Abril. Coligações com partidos de direita, dão porcaría. Se eu fosse militante do PCP, mudava para o Belenenses …
      mas o PCP é o menos mau e o mais coerente! Voto P.C.P. !!!

  5. Dezperado diz:

    o BE deveria fazer uma OPA hostil ao PS

  6. Mário Reis diz:

    No poder são como os drones: manipulados à distância fazem o trabalhinho sujo, destrutivo e mto eficazes. Na oposição, como espantalhos: passe o que se passar, nada os incomóda.
    Sim, olham com interesses catalogados e inquestionáveis mas nefastos para o povo português. Veja-se, onde estão, que portas se lhes abriram, de que mordomias e privilégios gozam, depois dos serviços prestados e favores ao grande poder económico e financeiro. E nem quero falar em nomes e de gente obscena e parasitária.
    Conheço o Tó Zé Seguro desde os tempos do CNJ de 1985 em diante. Mais uma vez não me surpreendeu. Quem foge do enfrentamento, perante a gravidade da actual situação e do assalto imposto por uma UE da ganância e descaradamente totalitária, age contra a democracia. Em definitivo é contra os portugueses e os povos da Europa.
    Estou convencido que da cobardia e oportunismo deste ideário traiçoeiramente apelidado de socialista, só pode vir coisa pior. E por essa razão, há muito, me fui afastando desse estranho e idiota paradigma. Temo que muita gente de bem se sinta órfã como eu próprio me senti ao iniciar-se esse processo de questionamento dos limites do status quo deste dito PS. Não confundo muita gente amiga que sofre a náusea provocada pelo desfiar de argumentos da “responsabilidade” e “de sentido de Estado”, que mais não visa, senão a manutenção e a intocabilidade de um sistema gangrenado.
    A palavra e a acção democrática deve ser exercida pelo povo português, mas na minha modesta opinião, não tenhamos ilusões: fora das politicas europeias que reproduzem exploração, e opções com um recorte de humilhação e empobrecimento dos povos.

  7. Pingback: Ana Gomes está de parabéns | cinco dias

Os comentários estão fechados.