Contar militantes ou Derrotar o Governo?

O Bruno Carvalho está com muito medo que dia 29 aconteça o óbvio, a manifestação ser mais pequena que a dos movimentos sociais, partidos e população que veio à rua dia 15. Tudo se justifica por uma armadilha de pequenos grupos de esquerda e não pelo facto de 45% da mão de obra ser precária (a maioria jovem), apenas 10% ser sindicalizada e os sindicatos deste país serem uma burocracia, envelhecida, de gestão do Pacto Social, moribundo.

Bruno Carvalho atribui o facto aos grupos que pretenderiam dividir o que ele, com tanto custo, tem vindo a unir.

Ora, todos os grupos estão a chamar a manifestação para dia 29 no Terreiro do Paço e  isso não é incompatível com a possibilidade de em todas as cidades do país o povo vir para a rua exigir a queda do Governo. Afinal, trata-se de encher o Terreiro do Paço e medir forças para ver quem organiza a maior manifestação ou trata-se de organizar uma situação disruptiva, tipo Argentina, todos na rua, até que o Governo e a Troika caiam? (situação que obviamente, tal como PREC, fugiria ao controle do PCP).

O Bruno Carvalho vai-nos ver por lá, lamentamos. E vamos levar as nossas faixas, os nossos panfletos, e não vai haver nada a fazer a não ser, como na última, chamarem o serviço de ordem…na desordem política que vai na cabeça dos funcionários dos partidos da gestão regulada do capitalismo.

Dia 29, no Terreiro do Paço e em qualquer praça, carreiro ou rua deste país.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 Responses to Contar militantes ou Derrotar o Governo?

Os comentários estão fechados.