Who the fuck is Catarina Martins?

neste vídeo algo de simultaneamente reaccionário e progressivo. Por um lado compreende-se a insatisfação das pessoas face aos porta-vozes do costume, por outro sabota-se a intervenção de alguém só porque pertence a um partido político. Em qualquer dos casos é um minuto inteiro a partir o coco a rir.

Nota: Ontem, durante a concentração do Conselho de Estado e no decorrer de uma das muitas conversas que sempre se têm por estas ocasiões, também eu fui interpelado. Do nada, surgiu-me uma mulher franzina, embora cheia de verve – [não receie, caríssima Ana, as idas a São Bento. Vale sempre a pena continuar a luta fora de horas] – que me atirou: “I’m the fucking Ana Nicolau!”. Apesar de, infelizmente, não ter dado para continuar o lero-lero, gostei. Um verdadeiro Chapeau!
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

52 respostas a Who the fuck is Catarina Martins?

  1. Tima diz:

    Quem caralho é Renato Teixeira?
    É um lagarto que xeira a sectarismo ressabiado…
    Não passas de um réptil pueril com aspirações a um sapo inchado de fel, empáfia e ódio cobardola típico de um rapazola!

    • Renato Teixeira diz:

      Por esta altura Tima já saberá que as suas palavras são tufões eróticos, tumultuosos sussurros que me arrepiam da orelha ao pé.

      • Tima diz:

        Um dia tudo cresce e evolui. Pena que que a tua aspiração máxima é igual à de uma ratazana um dia sonhar poder ser uma capivara.
        Já me contaram umas coisas de ti… És insignificante e nem em bicos de pés ou mesmo em cima de um escadote chegarás a ser alguém.
        Mas olha que do PS para lá terias muito futuro. Convém que não cuspas muito para o ar…

        • Renato Teixeira diz:

          Capivara uma merda. Eu sonho em grande! Quero chegar a sucuri.

          • Tima diz:

            E tal como desconheces o que é a esquerda e a ignoras, na tua soberba de purismo ortodoxo quase ao nível de um apuramento genético qual 3º Reich, também não entendes nada de biologia pois uma ratazana e uma capivara ambos mamíferos roedores estão tão distantes de uma sucuri, réptil serpente, como tu estás da esquerda. Mas uma coisa é certa: o reino dos rastejantes é mesmo a tua cara. Vê lá que com tanto veneno não mordas tu a tua própria língua…

          • Renato Teixeira diz:

            Todo o meu reino por uma serpente!

          • antónimo diz:

            Se faz apelos à correcção zoológica, Tima, tem de ter cuidado com as metáforas. As sucuris são cobras constritoras e não têm veneno.

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    Renato, isso é populismo e demagogia. Aquela reacção é estimulada pelas eminências pardas que chamaram a troika e deve ser combatida para que um qualquer Medina Carreira não se aproveite do poder da rua para meter a mão no pote. Não, não são todos iguais. Não, a Catarina Martins não é igual ao Seguro, ao Passos, ao Portas e ao Cavaco.

    • Renato Teixeira diz:

      Naturalmente que não é igual. Começa é a ser pouco diferente.

    • Antónimo diz:

      A estridente moçoila prova ser extemporâneo o optimismo exagerado em relação as estas duas felicíssimas manifestações.

      Infelizmente, duas batalhas vencidas não implicam a vitória na guerra. Infelizmente, a senhora não é caso único. As últimas manifs estão cheias delas. Têm a vantagem de não ficar em casa.

  3. xatoo diz:

    a falta de organização politica das massas convocadas pelo Bloco de Esquerda é confrangedora.
    Uma aliança de “esquerda” de um P”S” reciclado tendo como berloque tipo cds-de-esquerda o B”E” é o pior que pode acontecer ao país: a eternização da escravatura pelo pagamento de uma dívida que não é nossa

    • “a falta de organização politica das massas convocadas pelo Bloco de Esquerda é confrangedora.”

      Ó meus amigos estão à espera que os milhões que agora entram na História tenham todos um elevado nível de cultura política e sofisticadas interpretações ideológicas do que se está a passar????

      Sempre que as massas entram em cena há elementos e pulsões que poderíamos apelidar de “reaccionárias”, há sempre atitudes um tanto ou quanto irracionais, é mesmo assim. Mas o grosso da força libertada pela erupção das massas é contra as elites dominantes, é preciso ter em linha de conta estas atitudes um tanto ou quanto alucinado/reaccionárias, mas pensar que a revolução será feita por um exército altamente disciplinado e politicamente consciente é pura ilusão, mais é contra-revolucionário de facto, pois qualquer revolução, tendo que ter esta componente de acção de massas terá sempre estes episódios.

      LEIAM LENINE!!!!!!!!!!

      “To imagine that social revolution is conceivable without revolts by small nations in the colonies and in Europe, without revolutionary outbursts by a section of the petty bourgeoisie with all its prejudices, without a movement of the politically non-conscious proletarian and semi-proletarian masses against oppression by the landowners, the church, and the monarchy, against national oppression, etc.-to imagine all this is to repudiate social revolution. So one army lines up in one place and says, “We are for socialism”, and another, somewhere else and says, “We are for imperialism”, and that will he a social revolution! Only those who hold such a ridiculously pedantic view could vilify the Irish rebellion by calling it a “putsch”.

      Whoever expects a “pure” social revolution will never live to see it. Such a person pays lip-service to revolution without understanding what revolution is.”

  4. Caxineiro diz:

    não sejam ingénuos
    Os “jornalistas ” têm sempre um “entrevistado” de serviço pronto a dar à manif aquela prespectiva que ao poder mais interessa
    Pralem disto, é muito provável que o PSD e CDS tenham os seus infiltrados nas manifs prontos a actuarem frente às cameras das TVs. As cenas que vi pareceram-me pouco naturais, Não ficaria nada espantado se viessem a descobrir que aquela “indignada” é militante dum partido do poder

  5. PR diz:

    para além do renato, quem também acha muita piada a isto é o PS, o PSD e o CDS.

  6. Rocha diz:

    Comunicado conjunto de PAME e LAB convocando os trabalhadores à Greve Geral na Grécia e no País Basco 26 de Setembro.

    Diziam me alguns camaradas que isto não era possível acontecer porque há ritmos diferentes, pois aqui o têm. E diziam-me outros companheiros que os comunistas gregos defendem uma “via nacional” da luta (quando realmente o anti-imperialismo patriótico e internacionalismo se completam), pois aqui o têm.

  7. Camarro diz:

    Pois eu não acho qualquer piada. É até revoltante que duas pessoas que, certamente, têm sido roubadas, aí sim pelos do costume, transfiram a sua ira para quem tem estado ao seu lado. Urge combater a ideia pré-concebida de que são todos iguais.

    Vivemos tempos demasiado perigosos para se achar piada a episódios destes.

    • Renato Teixeira diz:

      Eu compreendo a preocupação, mas as pessoas também começam a deixar de achar piada aos que insistem em resumir os protestos à sua agenda particular.

      • Antónimo diz:

        Mas há um problema. “Deixar de achar piada aos que insistem em resumir os protestos à sua agenda particular” não resumirá tudo

        Boa parte é pessoal que se sente órfão do PS, PSD e CDS-PP e está longe de reconhecer que no BE, PCP e PEV (mesmo com falhas, erros e omissões) se tem estado ao seu dele lado.

      • Camarro diz:

        Achas mesmo que o casal de indignados está preocupado com a agenda do BE ou da Catarina Martins?

        A mim o que me preocupa é que estas duas pessoas são o espelho de muitas outras. Insisto que os militantes de esquerda mais esclarecidos que estejam presentes nestas manifestações têm o dever de falar com estas pessoas e de tentar, com argumentos sólidos, chamá-las à razão. Podemos contar contigo, certo Renato?

    • De diz:

      Perfeitamente de acordo,caro Camarro

  8. R.M.C diz:

    Tem uma piada isto…especialmente quando muitas das vezes esta gente que diz que são todos iguais e bla bla bla dizem igualmente que com Salazar é que estava bem e toda aquela treta saudosista e digo isto mesmo não tendo simpatias pelo BE.

    • Renato Teixeira diz:

      Há quem o diga, mas outros com o mesmo sound-byte dizem coisas bem mais progressivas do que grande parte dos sabichões da esquerda parlamentar. Esta dupla realidade não deixa de ser outro motivo a deixar sobre brasas quem por esta altura já devia ser alternativa.

  9. Andrade diz:

    Mas que falta de contacto com a realidade. O video é registado no meio de uma manifestação contra TODA A CLASSE POLÍTICA NACIONAL. Toda e sem excepção. E temos a metade da liderança bicéfala do Bloco de Esquerda a tentar distorcer e manipular as pessoas com essa tentativa de tapar o céu com a sua peneira ideológica. Para isso, enquanto temos gente a berrar ao microfone claramente a sua mensagem, que as críticas são dirigidas a toda a classe política, incluindo e sobretudo o próprio Bloco de Esquerda, temos a metade da liderança bicéfala do Bloco de Esquerda sem vergonha na cara a distorcer o que é dito, a afirmar que as críticas, em vez de serem dirigidas directamente a si e ao Bloco de Esquerda, são, vá lá saber-se porquê, dirigidas unica e exclusivamente ao governo e à troika.

    Basta desta gente a tentar manipular-nos com estas tentativas grosseiras de distorcer a vontade popular.

    E, claro, note-se a hipocrisia dos Renatos Teixeiras deste mundo: quando uma manifestação berra contra o governo e a troika então é vontade popular e democracia, mas quando uma manifestação berra contra a extrema esquerda e as suas tentativas de passar atestados de estupidez às pessoas então já se trata de sabotar-se “a intervenção de alguém só porque pertence a um partido político”. Santa hipocrisia.

    • Renato Teixeira diz:

      Eu vi um casal a gritar contra o Bloco de Esquerda, não uma manifestação. Essa, creio que não estarei a exorbitar, era pelo menos contra a troika, o governo e a vacuidade do Conselho de Estado. Não?

    • Antónimo diz:

      Quem acha que o “vídeo é registado no meio de uma manifestação contra TODA A CLASSE POLÍTICA NACIONAL” não percebeu patavina dos motivos expressos da convocatória.

      Quem acha “que as críticas são dirigidas a toda a classe política, incluindo e SOBRETUDO o próprio Bloco de Esquerda” tem qualquer problema mais grave de percepção.

    • Rocha diz:

      Isso querias tu seu fascistazeco de meia tigela! A manifestação foi contra Troika e os troikistas, PS-PSD-CDS, aqueles que assinaram o memorando.

      Durante todos estes anos, ainda antes do Durão Barroso ganhar o tacho na Europa, todos estes anos de lutas, greves, manifestações que a “extrema-esquerda” que tu odeias esteve na rua a gritar contra novas propinas, novos impostos, novas taxas, novas contribuições forçadas para a Segurança Social, novos salvamentos a bancos que todos pagamos, novos cortes nos salários, novos roubos na conta da luz, do gás, da electricidade, da gasolina E OS FASCISTAS COMO TU ESTIVERAM CALADOS! Onde estava essa boca suja???

      Apareceste cá hoje e já queres ser eleito porta-voz das massas? Já enterramos um Salazar e podemos enterrar outro. Por isso venham daí e saíam do buraco bicharada.

      • Carlos Vidal diz:

        A reacção da histérica de verde (nem voltei a ver o vídeo, mas acho que estava de verde) é grave e para esquecer.
        Compreendo a ideologia anti-ideológica anarquista contra as “estruturas piramidais” que são os partidos (não concordo, mas conheço as teses, e todos as sabemos anticapitalistas como nós somos). Mas a histérica de verde não era libertária nem anticapitalista, era pura e simplesmente fascista.
        Esse é que é o problema principal, mais grave do que as tentativas do Bloco em se aproximar do PS.

        • Vinha aqui escrever umas coisas, mas o Carlos Vidal deixou tudo dito.
          Tenho andado a encontrar fascistas destes a convocar manifes paralelas no Facebook, destilando mais ódio ao BE e ao PCP que à direita no poder. Por enquanto neutralizam-se, mas não sei se o conseguiremos fazer sempre.
          Convém lembrar que o guião deste filme é grego, e inclui uma Aurora Dourada.

        • António diz:

          O Carlos Vidal vê fascistas em tudo aquilo que não é perfeitamente alinhado com a linha política imposta pelo comité central. Quem recorre a ataques pessoais reles em vez de discutir os temas revela fraqueza de espírito, e muita insegurança em relação às ideias que anda a tentar impor.

          Essa pulsão para o saneamento político não tem lugar num sistema democrático, e nada que poderá ser fruto dessa pequenez terá qualquer cariz democrático. Com isso, só resta apontar que essas acusações patéticas de fascismo só revelam um problema com o tal mecanismo de defesa do ego chamado de projecção.

          • De diz:

            Tentar desta forma canhestra, a cheirar a psicanálise de cordel, remeter para “pulsões e para mecanismos de defesa do ego” atitudes assumidamente políticas e ideológicas é prova da vacuidade científica do personagem que o faz. E do seu desvario ideológico.
            Faz lembrar as velhas tentativas, já ensaiadas há muitos anos, de atribuir às limitações do indivíduo e à sua capacidade adaptativa, as causas e justificações para os problemas sociais.
            (Adiante que o terreno é fértil).

            A vacuidade científica está patente.O desvario ideológico assenta nas conclusões (apressadas, mas não só) do dito antónio.
            Pode-se concordar ou não com as posições do Carlos Vidal. Mas é falso que das palavras de CV se possa concluir que:
            – ele veja fascistas em todo o lado. Desde quando um ser acusado de, se torna subitamente um conjunto alargado, feito de uma multiplicidade de seres?
            ( mais uma vez vamos desembocar à vacuidade científica, desta vez matemática)
            – siga obedientemente a “linha política imposta pelo comité central”.Desde quando é que nasce na mente de iluminados, a ideia que todos funcionam de acordo com o formato mental desses mesmos iluminados? Que haja quem siga obedientemente linhas impostas do que quer que seja, parece depreender-se do escrito taxativo de alguns que o afirmam desta forma tão pateticamente conhecedora.Mas este antonio tem que se habituar ao facto que os seus esquemas mentais não são generalizáveis a outros, ou pelo menos tem que se habituar a não generalizar os seus preconceitos ideológicos boçais e arrogantes.
            -Parta para “saneamentos políticos”. Mas desde quando apelidar alguém de, constitui o equivalente a um saneamento político? Mais uma vez na cabeça do antónio se confundem as suas orientações pessoais com o atribuído a outros?Lapsus linguae?
            -Presença ou ausência de “cariz democrático”.Mas desde quando o que assistimos quotidianamente tem tal cariz democrático? A fome, a miséria, o desemprego, o desespero e a humilhação quotidianas têm cariz democrático?Então por que carga de água temos que aturar o verniz democrático transformado em cariz do dito cujo?
            -Curiosamente o cerne da questão posta por CV passa ao lado do comentário de antónio. Quando CV aponta o principal problema, secundado por João José Cardoso que nos lembra o guião da Grécia e o destilar do ódio a quem combate a troika, assistimos ao silêncio de antónio.
            Porque será?
            Não vale a pena encontrar respostas nas “pulsões e nas projecções” do dito cujo.Trata-se tão somente de ideologia pura e dura. António apenas e só está do lado da troika e dos troikistas, e tenta”impor a suas ideias” ao serviço de.
            Tudo o resto é a pobreza já citada antes.
            Ponto parágrafo

  10. António Martins diz:

    Nao sou nem do CDS nem do PSD nem do PS nem PCP nem Bloco nem nenhum partido. Estive nas duas manifestações desta semana, e devo dizer que se o Bloco quer fazer-se representar em manifestações que as convoque. Nem reparei que estava lá a Catarina Martins mas reparei nos cartazes com o símbolo do Bloco e não gostei. Estas são manifestações da sociedade civil, não contra a Troika somente mas contra o sistema partidário que apoia esta fantochada a que chamam democracia. Quando o Bloco convoque ou faça parte da organização de uma manifestação eles que levem o que quiserem e representem-se, mas quando a manifestação se diz apartidária é para todos, ou ainda não entenderam que o povo acordou? Nao estamos fartos dos direitolas, estamos fartos de vocês todos.

    • João Pimenta diz:

      E por acaso votas?É que é nesses momentos é que nós tomamos decisões! Asm anifestações servem para expressarmos os nossos sentimentos por alguma decisão que não foi escrutinada aquando fomos consultados no acto eleitoral, como são estas medidas de austeridade? Porque se quando nos apresentamos ao eleitorado e dizemos uma coisa não podemos depois fazer exactamente o contrário do que fazemos.E para sermos sérios, não podemos dizer que são todos iguais, pois durante estes anos fomos governados pelos mesmos (PS/PSD/CDS) não misture responsabilidades acho que nem a Catarina Martins ou o BE, bem como o PCP e o PEV tem culpa do estado a que chagamos.

    • Joaquim Teixeira diz:

      Não és daqui,nem dali, nem dacolá.
      Não és deste, nem daquele, nem daqueloutro.
      Não és de lado nehum, nem de ninguém ou seja não és nada.
      No entanto e pelo modo como o “dizes”, estás convencido que és alguém e que, vociferando contra os partidos, ganhas estatuto. Puro engano!
      Os partidos políticos são formados pos pessoas que acreditam nalguma coisa e entendem que se se juntarem áqueles que comungam das mesmas ideias, podem contribuir para o bem comum.
      Excluindo os oportunistas, todos perseguem um ideal, mesmo cometendo erros e, até, saltitando de um para outro à procura do seu rumo.
      Quem despreza e, muitas vezes, ofende os militantes dos partidos, só pode ser um triste e/ou ressabiado.
      O resto da tua prosa, mostra um fascista frustrado.

    • Portela Menos 1 diz:

      só falta a célebre frase …”a minha política é o trabalho” !

    • António Paço diz:

      «Não estamos», «estamos». Quem são os que estamos ou não estamos, sr. Martins? Os únicos que podem falar em nome colectivo são aqueles que decidem colectivamente o que fazer e dizer (como, por exemplo, militantes de partidos, colectivos, associações), certo? Você que está contra todos, e que acha que os que estão no ‘arco da governação’ a lixar-nos são iguais aos que têm estado nas manifestações contra eles (algumas convocadas por eles), como o BE e o PCP, fala em nome de quem? Ou o seu ‘nós’ é plural majestático, como usa o papa? Continue a ir às manifestações, que faz bem. E aproveite para aprender a respeitar aqueles que estão lá ao seu lado.

  11. ferenc molnar diz:

    Pá a malta voltou de repente da praia, e encontra a U.E., o Euro, as revisões constitucionais, os códigos laborais e outras reestruturações que tais tudo engalfinhado na cama com a Banca nacional e internacional. agora desejam voltar ardente e rapidamente para a praia e querem já tudo resolvido sem partidos e sem sindicatos, como o independente e anti-partidos Fernando Nobre ardeu como um fósforo os miraculosa e emergentemente esclarecidos irão tomar rapidamente conta da situação, com ou sem D. Sebastião. andaram alheados mas não perderão tempo a penar com isso. farão eles sozinhos a revolução, e o nosso contributo será pelo menos a ensiná-los a pedir a palavra de braço no ar e garantir que alguém escreve o que nessas assembleias fôr dito e decidido. e por tudo fazê-los prometer que não nos voltam a abandonar.

  12. Portela Menos 1 diz:

    Who the fuck is Renato Teixeira?

  13. francisco caetano diz:

    o bloco, através da sua putativa futura líder, aproveitou-se vergonhosamente de uma manifestação espontânea. quanto à outra senhora subscrevo na íntegra o que escreve Carlos Vidal:”Mas a histérica de verde não era libertária nem anticapitalista, era pura e simplesmente fascista.” voltando ao bloco, estão a ensaiar, mais uma vez , juntarem os trapinhos ao ps. que lhes faça bom proveito!

  14. Pingback: Apontamentos para o “Outono Quente”, algumas notas sobre o que se passou e o que irá acontecer | cinco dias

  15. Afonso Costa diz:

    As troikas, quer a externa, quer a do costume (Ps, Psd e Cds) roubam-nos. Mas já sabemos ao que vem e com o que podemos contar. Essa gentinha antipartidos é bem mais perigosa porque completamente imprevisivel. Os nazis sabem disso e aos poucos vão espalhando a sua influencia e ideias, ajudados pela comunicação social que vai semeando a ideia “são todos iguais”. E nestas coisas já se sabe, o zé povinho prefere seguir o rebanho do que refletir 2 minutos que seja sobre as diferenças entre PC e PSD ou entre BE e CDS. A mesma comunicação social que durante quase 40 anos tem conseguido convencer o povo de que PSD e PS são diferentes, aposta agora na ilusão igualmente descabida de que são todos iguais. Os organizadores destes protestos tem objectivos mais ou menos definidos, mas respeitáveis. O que deve preocupar toda a gente é que o capital tem sempre um plano B. E vai semeando estas ideias antipartidos e antisindicais porque quando chegar a altura de, devido a pressão popular, deixar cair o apoio aos seus actuais lacaios (PS, PSD/CDS) terá um terreno fertil e mentes formatadas para aceitar e desejar uma liderança providencial de alguém honesto, implacável e com punho de ferro. E é sobre isso que a Esquerda deve reflectir enquanto é tempo. A agressividade daquela fascistazeca para com a Catarina Martins, a passividade dos presentes e o regozijo da jornalista, a mim não me inspiram qualquer piada. Antes pelo contrário, foi um episódio sem consequencias mas que deve servir para abrir os olhos a alguns, dentro da Esquerda, que pensam que as coisas irão acontecer da forma linear que eles desejam.

    • Zuruspa diz:

      A única coisa de positivo que vejo no episódio é o estoicismo da Catarina Martins, que não se deixou provocar pelos fascistazecos de algibeira.

  16. Zuruspa diz:

    Por acaso esse casal de fascistas teve sorte de näo ter começado esse berreiro histérico ao pé de mim. Com um bocado de jeito ainda teria tempo de lher perguntar se os dentes que estavam a engolir eram todos iguais…

  17. Caxineiro diz:

    Vi ontem na TV o Nuno Melo afirmar que estas manifs não são contra o governo , são contra todos os partidos (até parece que a senhora foi ali colocada para lhe dar razão). É uma espécie de fuga para a frente ensaiada já pelos partidos e “comentadores” ao serviço do poder, mas já não enganam quase ninguem. A esmagadora maioria do povo sabe muito bem por quem está a ser roubada e a revolta contra a direita cresce a cada dia que passa

    • Afonso Costa diz:

      Infelizmente não me parece que a maioria dos “indignados” esteja a lutar contra a direita que os tem prejudicado. O discurso antipartidos está mesmo enraizado na cabeça de muita gente e a comunicação social faz tudo o que pode para o difundir. É só ir às paginas do facebook que convocaram os protestos de dia 15 e 21 e falar na manif de dia 29 e esperar pela reacção da maioria, que no caso é mesmo reaccionária.

      • Caxineiro diz:

        Não creio. A maioria do povo não anda pelo facebook ou pela net. A informação que lhes chega é através das TVs ou do do correio da manhã,—- “ou sacrifícios, ou o caos; a miséria total. Não há alternativa”—-, é esta a mensagem que chega à maioria da população*
        Posso ilustrar a ideia da seguinte forma: estou a ser assaltado “a bolsa ou a vida”, opto pela primeira hipótese e isso não faz de mim colaborador do bandido, faz de mim uma pessoa inteligente
        O povo está com medo, Não vê alternativas; a informação que lhe chega não lhe dá alternativas
        O povo sabe perfeitamente que está a ser roubado e por quem

        *ontem ouvi na 4, da boca de um economista salazarento: ” toda a vez que um trabalhador protesta piora a sua situação e a situação do país” ” cada vez que fazem uma manif, o país fica mais pobre” etc…etc…etc…isto perante a passividade do jornalista (vou chamar-lhe assim) presente

  18. Gormit diz:

    Até ver? Pra quando a afirmação colectiva de que és do MAS? Ah, é tudo um jogo de palavras, lá está, porque oficialmente o MAS não é um partido ainda? Chibas-te tanto Renato 😀

Os comentários estão fechados.