Quem se mete com a direcção do BE, leva!

Depois de anunciar que apoiava uma moção alternativa à da direcção do BE, as páginas do Daniel Oliveira no Facebook foram bloqueadas.

Ele há coincidências do caraças…

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

20 Responses to Quem se mete com a direcção do BE, leva!

  1. Miguel Botelho diz:

    Nesta altura, em que a esquerda deve estar unida contra o governo e vens tu pôr veneno no movimento.

    • paulogranjo diz:

      Mea culpa.

      Mesmo se o registo é jocoso e brincalhão.
      E mesmo se, claro está, não estou a ver ninguém da CP do BE a andar a bloquear facebooks alheios.
      Já um qualquer exaltado defensor da honra dos chefes, não digo que não. Há sempre una aspirantes a Beria ou a Coelhone em todo o lado.
      Eu próprio vi o meu FB uma vez bloqueado, por “denúncia de pornografia”, depois de partilhar um artigo meu acerca das eleições moçambicanas. Ele há gente para tudo.

      Mas que uma coisa fique esclarecida. A necessária união exige respeito mútuo.
      E vi-o vezes de mais ser quebrado, relativamente a várias pessoas, neste último par de anos.

  2. Pascoal diz:

    Mais uma teoria da conspiração.

  3. Augusto diz:

    Francamente Paulo Granjo…..

    Até parece que o Daniel precisa do Facebook para divulgar as suas posições.

    Isso não será mania da perseguição?

  4. Joaquim Teixeira diz:

    Dos post’s mais imbecis que tenho visto por aqui.

    • paulogranjo diz:

      Seria tentado a dizer que o mesmo se aplica ao seu comentário, se é que tinha alguma coisa a dizer.
      Mas não vamos por aí.

  5. Eduardo Rocha diz:

    Dasssssssss, tudo serve para darem ferroadas no Bloco. A brincar, a brincar é que o macaco… Parece que é para mostrar serviço a alguém. Já agora em jeito de pergunta, a quem serve estas “brincadeiras” ? mas será que o BE mete medo a tanta gente?. Uma coisa tenho eu a certeza, se o Bloco não incomodasse não era tão denegrido assim, mas tudo bem. Como militante ( de base) continuo a lutar para que o Bloco possa ser uma força que tenha influência na vida politica portuguesa, sem ser levado ao colo por ninguém, muito menos para acordos de gabinetes.

  6. Rocha diz:

    Daniel Oliveira: uma vítima do sistema. Hahahaha, desculpe lá mas você tem um talento desconhecido. Diga lá que consegue dizer e fazer cara séria! HA HA HA HA HA

    Assim também eu quero ser vítima do sistema e ter o meu lugar de comentador assegurado nos jornais e televisões. Pobre Daniel, pobre facebook, pobre inteligência.

    • paulogranjo diz:

      A sugestão não é que seja “vítima do sistema”, mas de um bimbo qualquer com alma de censor – mas tão bimbo, tão bimbo, que acha que assim cala alguém.
      Seja movido por uma retorcida visão do que é a política dentro de um partido e daquilo que se pode e deve fazer a um camarada, seja por uma qualquer outra pancada.

  7. sensei diz:

    que post tão parvo.

    • paulogranjo diz:

      Ao nível da profundidade do seu comentário, suponho.

      • sensei diz:

        profundidade de um comentário? o que dizer de um post tão parvo que o autor no primeiro coment começa por um mea culpa? o que dizer? sim, vou elaborar então, só para ti, granjo:
        levado por um raciocínio errado, talvez por um ressabiamento desmedido, considero que o autor deste post faz um raciocínio estranho, assente em insinuações irrazoáveis. a nível epistemológico, não alcanço que poderá ter feito a direcção do BE para merecer uma suspeita deste calibre.
        agora está melhor? o post continua a ser parvo.

  8. Pingback: A insustentável leveza do Bloco de Esquerda | cinco dias

  9. MCM diz:

    Depois de ter batalhado tanto tempo contra a ideologia em poder e de ter dedicado 5 textos seguidos a criticar o governo e a ideologia, a página do DO foi bloqueada…enfim!

  10. Bruno Simão diz:

    Caro Paulo Granjo

    A origem da denúncia que levou à suspensão da referida conta de facebook é desconhecida, você mesmo reconhece que não acredita que a direcção política do Bloco nada terá com o assunto. Sendo anónima, a denúncia pode ter sido feita por um militante do bloco, “aspirante a Beria”, por um militante do PCP, PS, PSD, CDS ou mesmo por uma qualquer fã frustrada com a falta de correspondência do Daniel Oliveira à sua assolapada paixão (já que estamos no campo do delírio especulativo, tudo é possível). Mas o título e o corpo do seu posto confere ao sucedido uma explicação directamente associada ao BE. É despropositado. Desse ponto de vista, o posto é parvo, no sentido mais profundo do termo latino “paruum” » fig. pequeno de espírito.
    Não sou simpatizante, militante ou aderente do Bloco. Logo, evito dar grandes opiniões sobre a sua situação interna, que só aos seus militantes diz respeito, mas molesta-me quando essa disputa salta das ideias para as atoardas. Quando a coisa se personaliza e se torna mais fulano e menos política. Acredito que o Bloco soma à esquerda, mas se entra numa espiral de chefes e ilustres, cisões e depurações, subtrai-se e subtrai.

  11. Pingback: A insustentável leveza do Bloco de Esquerda | Máquina Semiótica

  12. LAM diz:

    A seguir D.O. vai queixar-se que lhe puseram um virus no Pokemon…
    Qualquer página do FB pode ser bloqueada por denúncia de qualquer pessoa, não precisa de ser uma “direcção” seja do que for para o requerer. Ou seja, qualquer pessoa que eventualmente não goste do D.O. (ou de mim, ou de si…), pode requerer o bloqueio duma página ou atirar o barro à parede a ver se cola. Daí a dirigir a acusação à direcção do BE vai um passo muito largo e, mais ainda, desculpe, é alimentar paranóias de perseguição alheias.
    Como concordará, o D.O. tem formas de expressar as suas opiniões acessíveis a muito pouca gente e, se elas não têm mais eco junto dos militantes do Bloco que, esses sim, limitados exclusivamente às estruturas da organização, não será certamente por falta de difusão. A democracia, partidária ou não, tem regras de que ninguém se deve julgar acima ou ser objecto de discriminação, positiva ou negativa; tem é de lutar pelas suas ideias no espaço comum de debate, e não se servir de expedientes dilatórios para justificar a eventual falta de sucesso das suas propostas, ou alimentar patéticas quanto infantis perseguições no facebook.

Os comentários estão fechados.