Arménio Carlos vai juntar-se à manifestação em Lisboa

“Neste momento, a prioridade é a unidade de ação com todos aqueles que se insurgem, manifestam o seu descontentamento e indignação e que exigem a rutura com estas políticas. Todos aqueles que exigem respostas novas para problemas velhos”, disse à Lusa Arménio Carlos.
O dirigente falava à margem do Encontro Nacional de Ação Reivindicativa e Defesa da Contratação Coletiva, que terminará “atempadamente” para que uma delegação constituída por seis membros da direção da CGTP possa participar no protesto.
“É fundamental que todos os portugueses aproveitem todas as oportunidades para exigir o rompimento com esta política e alternativas para por o país na linha do desenvolvimento e do progresso social”, disse.
Arménio Carlos lembrou, a propósito, a Grande Jornada de Luta Nacional já marcada para dia 29 de setembro, em Lisboa, fixando como objetivo encher o Terreiro do Paço “como nunca aconteceu”.
Hoje, estão marcadas manifestações em pelo menos 25 cidades, incluindo Lisboa, em protesto contra as novas medidas de austeridade anunciadas pelo Governo de Pedro Passos Coelho.
O apelo para a manifestação foi inicialmente organizado em Lisboa, mas acabou por ser acolhido em várias regiões de Portugal, bem como em Macau (China), Fortaleza (Brasil), Berlim (Alemanha), Barcelona (Espanha), Paris (França) e Londres (Reino Unido).
Contactada pela Lusa, fonte da UGT disse que a central sindical liderada por João Proença não tem previsto participar no protesto de hoje.
No encontro da CGTP, os dirigentes e delegados sindicais debatem a dinamização da ação reivindicativa, afirmar os direitos e a contratação coletiva dos trabalhadores em todos os locais de trabalho.
De acordo com Arménio Carlos, a iniciativa decorre com uma “forte participação” dos sindicatos.

Aqui

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a Arménio Carlos vai juntar-se à manifestação em Lisboa

  1. Nhêng-Pha-Trôn diz:

    A vossa manif caniche terminou; passou no “asia news”; o Ocidente já não é o mesmo…; tem medo da dôr

  2. xatoo diz:

    este gajo é amarelo
    mede as lutas populares tal e qual como o sistema faz (quer encher o Terreiro do Paço, com entrada às 15 e saída às 17 horas para depois nada acontecer). Colabora com o sistema. Em vez de apelar de imediato a uma greve geral nacional de trabalhadores, precários e desempregados, utentes e consumidores que paralise de facto todo o país e expulse este governo de lacaios da Troika.
    Por alguma razão as televisões não passaram a entrevista com Armério Carlos, onde uma multidão em pano de fundo apelava à greve geral

    • De diz:

      Por alguma razão as televisões não passaram.
      Isso mesmo.Por alguma razão.

      Não vale mesmo a pena dizer mais nada.

      • xatoo diz:

        actualmente os sindicados (excluindo obviameente a UGT que mais não é que uma correia de transmissão do governo) não representam mais de 20% dos trabalhadores. No momento actual quem tem trabalho é um privilegiado, com interesses próprios a defender. A CGTP não defende a Greve Geral imediata. O povo em geral que arca de facto com o empobrecimento decretado pelo neoliberalismo, numa situação de desespero tudo fará para expulsar este governo de serventuários do capital estrangeiro. É por isto que as televisões não transmitiram o directo com AC – para não se ver o apelo à greve geral da maioria do povo presente – não porque estejam a “censurar” a habitual lenga-lenga situacionista do Arménio

        • De diz:

          A lenga-lenga pois claro.A de xatoo, que por vezes ressuscita o vocabulário típico.Como a do “povo”.

          O encontro entre os desejos da Televisão e os de xatoo.Nada que nós já não tenhamos visto

  3. De diz:

    Foi lindo.
    Muito mesmo.

    Mas é preciso continuar.A luta é todos os dias e a maré está a encher.

    • De diz:

      Ah e para que não haja dúvidas.
      A luta pelo derrube deste governo. Por mandar a troika à troika que a pariu. E por se iniciar uma política diametralmente oposta à seguida pelas políticas neoliberais/caceteiras.
      Há mais mas fica para mais tarde

  4. ignatz diz:

    “Arménio Carlos vai juntar-se à manifestação em Lisboa”

    outro emplastro como o louçã que se cola a tudo que possa ter sucesso para aparecer na pantalha e tirar dividendos políticos

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Sim, sim… já o tipo do movimento “movin”, que só a SIC conhece, entrar em directo para dizer que participavam na manifestação mas que eram a favor da troika, nem uma palavra do ignatz. O que importa é dividir quem está do mesmo lado.

      • ignatz diz:

        convém parecer que estão do mesmo lado para não perder clientela, o arménio carlos e a cgtp aderiram à última hora não fosse o sucesso passar ao lado e ainda bem porque se apoiassem antes nem metade do people lá tinha ido. dividir e fazer fretes ao cavaco é a vossa especialidade.

        • De diz:

          Mais uma vez André Levy tem as palavras justas e a paciência necessária.
          Eu infelizmente não tenho estas qualidades.
          ignatz?Uma espécie de viúva de socrates a fazer o frete a Cavaco?
          Era o que este merecia que se dissesse, atendendo ao disparate bafiento que encharca o seu comentário.
          (Mostrando que esta história da luta de classes causa engulhos a alguma gente, que não hesita em demonstrar o seu ódio de classe)

  5. Pascoal diz:

    “Tadinhos” dos dirigentes sindicais…

  6. Caro ignatz,
    antes da manifestação, ouviram-se queixas que a CGTP não mobilizava para uma manifestação cuja plataforma se afirmava apartidária, horizontal, um movimento de cidadãos. Você agora vem queixar-se de que o secretário-geral da CGTP, participando enquanto cidadão Arménio Carlos, se veio colar como um emplastro à iniciativa?! Honestamente, acha que ele participou para ganhar pontos, popularidade? Ele é o dirigente da maior central sindical do pais. Durante o seu curto mandato houve já uma grande Greve Geral, além de greves sectoriais importantes, e inúmeras manifestações. Não estamos propriamente a falar de alguém que anda à deriva em função do que é popular, alguém que tendo apoiado o acordo com a TROIKA tenha vindo agora desdizer-se. Afinal o evento estava aberto a qualquer cidadão que se revisse no seu apelo, ou não?

  7. Pascoal diz:

    Acho pouco decente deixar ficar um comentário “awaiting moderation” durante várias horas até perder qualquer oportunidade de ser lido.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Pascoal, peço desculpa. Há dezenas de comentários por aprovar e, como deve imaginar, os últimos tempos têm sido agitados. O comentário a que se refere já está aprovado?

Os comentários estão fechados.