NEM PASSOS, NEM O FMI!

Que não haja enganos: derrotar este governo e manter em vigência o memorando de entendimento é enganarmo-nos para daqui a 6 meses estarmos a lamentar a nossa sorte. A dinâmica de luta que por estes dias se está a criar, terá o apoio de muitos oportunistas que verão no desgaste do Governo, a possibilidade de voltarem a servir as suas clientelas e de prosseguirem, ainda que de outra forma, os ataques aos trabalhadores.

A Troika pode muito bem tentar sacudir a àgua do capote, com receio de se ver implicada numa nova Grécia, mas não pode enjeitar as duras responsabilidades que tem na presente condição da esmagadora maioria dos portugueses.

Dia 15 e dia 29, lá estaremos, para que o Governo caia e para que a Troika se vá embora!

 

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a NEM PASSOS, NEM O FMI!

  1. Diogo diz:

    Manifestações para quê? Que conseguiram as últimas cem?

    Não haverá outras formas de luta? Mais assertivas e com resultados mais concretos?

  2. Rocha diz:

    Os oportunistas têm nome: PS de Seguro e seus boys.

    Que asco! E não vejo ninguém a combater as mentiras destes abutres!
    Razão tem o KKE em mandá-los todos para o caralho!

  3. kur diz:

    Ora para aqueles que veem um ‘preto’ na linha,este gajo é um fiel criado dos ‘bwana’ corporations.É assim,que eu não acredito em liders do 3º,….,enésimo Mundo como o Ghandi-que não acabou com as Castas ou com a Miséria! Ou o Mandela,que foi uma decepção-ficaram no bolso das Goldman&Sachs deste mundo.Por isso,é que são muito ‘respeitados’ no ambiente das Clintons e das ‘democracias’ ‘ocidentais’…é preciso q algo mude para que,TUDO FIQUE NA MESMA!Da-se!!!!

  4. Pascoal diz:

    Esse gajo da fotografia é que é o Sei-lá-se-é?

  5. Zé Carioca diz:

    Dia 15 e dia 29, lá estaremos, para que o Governo caia e para que a Troika se vá embora!
    Fantástico! E depois ? Demagogos!

    Se é para isso, eu não vou lá estar.

    • De diz:

      E ainda bem que não vai lá estar.Segue também e assim as pisadas do Seguro:”Nós não desejamos, nem queremos nenhuma crise política em Portugal. O Governo dispõe de maioria absoluta para governar, compete ao Governo manter essas condições políticas”
      O seu problema extravasa em muito o problema da sua demagogia.
      Mas isso nós já sabemos,né?

      Tudo o que contribua para o derrube do governo, para correr com a troika e para dar início a uma política radicalmente diferente é bem vindo!
      Sorry seguros e zés cariocas

Os comentários estão fechados.