Um caso semipatológico?

Vamos analisar um caso semipatológico?

Parece-me que Vítor Gaspar tem 52 anos de idade. Poderia eu dizer a brincar que como o próprio diz ter lido Marx aos 17 anos (todo?, um parágrafo?, qual?), passou depois cerca de 35 anos a experimentar outros modelos teóricos: ora, como não deve ler livros de ficção ou assistir a concertos apetece-me supor que o homem passou concretamente estes seus últimos 35 anos a ler, estudar, tentar aplicar academicamente o seu ídolo Milton Friedman, enamorando-se de Thatcher, dos ministros das Finanças de Pinochet, etc.

Adiante. Não é este o ponto.

Acontece que aos 51 anos de idade (o ano passado, digamos) tem como certo que a descida da Taxa Social Única (TSU) é um modelo teórico apenas. Suponhamos que se licenciou por volta dos vinte anos (já tinha lido o tal Marx!); então quer dizer que sabe desde há muito (30 anos, mais ou menos, um pouco mais um pouco menos, não sei) que a descida da TSU é apenas um modelo e uma experiência académica. Ou nunca pensou no caso? Ou só pensou no caso quando Passos Coelho o chamou? Não sabemos.

O que o fez agora, com a idade que tem e o “currículo” que tem (artigos colectivos publicados, pouco mais), mudar de opinião? Depois de muitos anos de economista (creio eu, pois nunca ouvi falar neste homem; parafraseando a “tia” beta ridícula M. Filomena Mónica, sempre passei bem sem este nome “Vítor Gaspar”), depois de anos e anos de economista, dizia eu, o que o fez não só mudar de opinião, mas achar que a descida da Taxa Social Única vai, nos próximos 2 anos, criar 50 000 empregos?? Uma vida inteira para isto!…..

Num ano apenas o homem conclui algo que nunca tinha reparado ou concluído em décadas e décadas de trabalho, suponho que, agora, não apenas com modelos teóricos. O que se passou neste último ano para V. Gaspar passar de contrário ao “experimentalismo com os portugueses” para favorável a uma medida que já não acha “experimental” mas contribuinte para a descida da taxa de desemprego? Diz ele que foi um ano de estudos.

Que estudos? (Alguém sabe? É que me deixei dormir, no sofá, durante a conferência de imprensa do citado.)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 Responses to Um caso semipatológico?

  1. Pingback: “Já não dá” |

Os comentários estão fechados.