Austeridade, para quê?

As contas do governo estavam erradas. Não se atingirá a meta do défice, que era o principal argumento do governo para aumentar a intensidade da austeridade.  É verdade que todos sabíamos que, a um país com problemas na produção, acrescentar medidas recessivas aumentaria a dívida e impossibilitar-nos-ia de atingir o estúpido número do défice.
E agora? Que tal mandar Passos e Gaspar fazer experiências com ratos?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to Austeridade, para quê?

  1. António Junior diz:

    É melhor mandar os ratos fazerem experiências com Passos e Gaspar.

  2. Armando Cerqueira diz:

    Não é o número do déficite que é estúpido. O número é o que é, a indicação de um valor.

    Estúpido(s) e muitíssimo é quem concebeu e quem implementou as políticas de resultados recessivos que sofremos. Mas o povo é ‘fraco’ e não o(s) mete na prisão por longos anos…

    Armando Cerqueira

Os comentários estão fechados.