Comissão de Trabalhadores da RTP promete lutar pela empresa e pelo serviço público

Entrevista à Comissão de Luta aqui

Partilho um texto do jornalista Marcio Candoso (via António Paço)

Nunca tive a menor ilusão sobre as razões que levaram o Governo a chamar António Borges para o ‘dirty job’ de conselheiro para as privatizações… É a função dele, a sua razão de estar na vida, estragar tudo onde toca para transferir fundos de onde os há para quem lhe paga… E então se as tramóias puderem ter o aval estatal de uma democracia, melhor ainda, é limpinho!

Mas, dito isto, o negócio/e…squema hoje apresentado para a RTP roça as raias da loucura, de alguém cuja falta de vergonha atingiu todos os limites…

A RTP é cara, dizia-se… Mas cara vai continuar a ser, porque eu, você e toda a gente vamos continuar a pagar uma taxa de 140 milhões de euros por ano, por conta – claro – dos encargos do serviço público… Mas há uma mudança: o dinheiro não entra nos cofres do Estado, vai direitinho para o bolso do felizardo que ganhar a licença de concessão… O feliz contemplado poderá ainda continuar a transmitir publicidade.

Mas só na RTP 1… Porque a RTP 2 é para fechar, custa muito dinheiro – lá está – e quase não tem audiência (e eu que julgava que uma parte da taxa de serviço público era para pagar a RTP-2)… Nem os ‘rednecks’ dos EUA se atrevem a fechar a PBS (televisão pública), mas Borges vai sempre um passo à frente!

A RTP, por outro lado, dá ao novo proprietário tudo o que lá tem dentro, material do melhor, equipamentos de milhões e funcionários… Mas alto: nem todos os funcionários, porque – como qualquer gestor privado que se preze – o vencedor do euromilhões erre-tê-pício poderá despedir umas centenas! Para quê?… Par aquilo ficar mais barato, claro!

E, ao que tudo indica, o Estado (a gente) ainda vai ficar com o serviço da dívida, que não é pequeno!

Querem coisa mais limpinha?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 Responses to Comissão de Trabalhadores da RTP promete lutar pela empresa e pelo serviço público

Os comentários estão fechados.