Grande escola fascismo sádico

A escola e estratégia de comunicação do governo é brilhante (julgam eles).

O testa de ferro / mor, o odiado Borges (um génio incompreendido), lança uma boca, combinada, claro. (Ele não precisava de ter assumido que tinha ordens para a coisa.)

Uma boca odiosa (concessiona-se, cede-se, despede-se toda a gente se necessário…….): todos os portugueses pagarão 140 milhões de Euros para uns tipos ficarem com um canal televisivo, o governo nada pagará. Borges delira de alegria, toda a tropa também (pois pode ser que pegue – diz-se que a propriedade em causa manter-se-á “pública”, alegrará uns quantos, pode resultar).

Há sempre um jornaleco e uma “judite de sousa” dispostos a veicular a coisa. A coisa é lançada para o ar, o povão tosco (acham os tipos) morde o isco e fica engalfinhando-se.

O governo vê e ri. (Mas ri em primeiro e não no fim. Imprudência: os animais ainda não falam, com efeito.)

Fascismo sádico.

Depois vem a voz “serena”, para padrões “PSD”, claro, e põe as coisas nos “carris”. O que dá uma coisa entre o nada e o que causou todo o alvoroço.

Fascismo sádico.

Pagarão caro. Seja como for. Espero que da pior maneira!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

33 respostas a Grande escola fascismo sádico

  1. Nuno Cardoso da Silva diz:

    António Borges é o modelo acabado do crápula burguês, do mercenário sem pudor, ao serviço de uma oligarquia odiosa. Tudo o que diz ou escreve é repugnante, e traduz um atentado a todo um povo. Se há alguém que merece que lhe seja retirada a cidadania portuguesa e ser expulso do nosso país, é ele.

    • Baresi88 diz:

      Tudo isso se resume a uma palavra. NAZI !

    • Carlos Vidal diz:

      Não seria nada, mas mesmo nada descabido, uma petição nesse sentido.

    • Bolota diz:

      Nuno,

      Não consigo entender uma coisa…sendo a RTP a televisão do estado, porque se mudou o governo de armas e bagagem para a TVI??? Não seria suposto tentar rentabilizar e valorizar os serviços da RTP???

      Reparem:O Borges falou sobre a RTP, na TVI, Judite de Sousa, que fez entrevista, saiu recentemente da RTP, Fernado Seara, tambem por lá anda, para alem de: Santana Lopes, Marques Mendes, M.R. Sousa, estes os que me vieram á cabeça. Não acham estranho????

  2. Pingback: Ao borges & irmandade |

  3. Antónimo diz:

    Enquanto isso, para fortalecer o Balão de Ensaio sugerido por Estrela Serrano, os acólitos de Portas mostram desconforto com a solução.

    Se Portas se cala, mas Mota Soares diz coisas, sobre a RTP, é por haver entendimento entre os dois populares, como há, aliás, para destruir a segurança social. Agora também estão juntos para saquear a RTP, mas desta forma armam-se em polícia bom, um modo de o Governo bicéfalo colher para a televisão pública a solução que quer.

    Mas o gato está demasiado exposto. Nervoso, o puto da Jota Popular precipitou-se e seguindo Marques Mendes (talvez encadeado pela semelhanças de estatura) veio gritar que “a administração da RTP não pode desautorizar Borges, perdão, que não pode desautorizar O Governo”.

    Em simultâneo, no Correio da Manhã, Paulo Pinto Mascarenhas, que depois de deixar O Independente, centro de tirocínio para comissários políticos criado por Portas, foi dirigir uma circular bancária, uma revista que só resistia nas bancas por ter publicidade de um desses bancos anteriormente prósperos e agora intervencionados, ataca o número de automóveis da RTP, depois de há um mês o mesmo jornal ter dito que os tipos se estavam desfazendo da frota. Nada contra, não afia a Cofina a faca para se fazer a um canal? E também nunca ninguém disse que o negócio deles era o jornalismo.

    Juntam-se o inútil e o desagradável, num caso em que é difícil distinguir qual é um e qual é outro.

    • Carlos Vidal diz:

      Faltava ao texto de Estrela Serrano e a esta teia a verdadeira palavra: sadismo puro.
      E depois, isto no fundo no fundo deve ser uma verdadeiro balão de ensaio para algo em grande……
      Vou ter que ficar a pensar na coisa…….
      Não sei, mas não pode ser só a RTP, a concessão, o serviço público, etc., etc., que está ou estão em causa……

      • Antónimo diz:

        Concessionar, privatiza, fechar partes da RTP é ao menos pôr um saco de plástico estanque em redor da cabeça daquilo.

        Apagar a memória de algo que serviu razoavelmente, do que ensinou arte a muita gente; entregar a informação aos directores e editores paulopintomascarenhezidados; às amiguitas do relvas, entretanto chutadas para a erc; aos cúmplices da inventona das escutas em belém, que num sítio normal teriam justamente amarrado os autores a um canto de um quintal tão infrequentável como o do rei Ghob.

        Campo de manobras perfeito para ensaiar o homem novo irremediavelmente pauperizado e cooperante. A Televisão sempre nos deu a vida como ela devia ser. Em formato grande audiências será uma caras ou outra social magazine ligeiramente menos rosa – e por isso menos séria que a caras – como essa que em vendas rivaliza com a Visão.

        Já se prevêem as sofias carvalhos contratadas para por lá ensaiar o Querido, Mudei a Habitação Social e outras catequeses; os cláudios ramos perorando sobre produtos de beleza para desempregados, os sás pessoas ensinando a fazer roupa-velha e ovos mexidos com as batatas fritas que sobraram de véspera.

        Nos filmes, já nem o Total Recall do governador da califórnia – cinematografia ultrapassada – servirá , tem de ser este último, não por collin farrel ser melhor mas por ser o mais próximo que se arranjou do 3D. Estão perdidas todas as hipóteses de ver por lá Nanook From The North.

        No Teatro, Eunice Munhoz e Rui de Carvalho serão recompensados por depois do apoio da RTP à Mãe Coragem tanto terem apoiado tudo que alaranjasse. Talvez se arranje um espaço para eles, caso Margarida Rebelo Pinto tente ressuscitar-se pelo género dramático. Gostaria de ver em palco rui de carvalho batendo-se com um Mr. Big e a actriz seguir as pisadas de Sarah Jessica Parker, transformada numa Catie Bradshaw doméstica às compras no triângulo Amoreiras-Campolide-Casal Ventoso.

        E quem é que disse que O Preço Certo ia acabar? Como disse Fernando Mendes – um tipo simpático que fazia anúncios à Cofidis – aquilo cabe em qualquer canal.

  4. Não querendo “cortar o vosso barato” como dizem os brasileiros.
    Fico triste com esta linguagem. Gosto do 5dias respeito as pessoas que aqui escrevem e comentam. Mas acho que confundem as coisas. O que é que têm o fascismo e o nazismo a ver com este debate???
    Eu era pró privatização, mas com esta proposta estou contra e estou disposto a encontrar pontos em comum para se fazer frente a isto.
    Mas é logo acusações sem base real e ameaças veladas.
    Sei o que é, pois estoua senti-lo na carne o que é ser atacado com mentiras, porque o outro não tem argumentos e sabe que controla as instituições.
    Tribunais e etc.
    Que nunca passem por isso.
    Concentrem-se na luta essencial e esqueçam o acessório.
    Abraços

    • Carlos Vidal diz:

      Eu não falei em fascismo, falei em fascismo sádico.

    • Antónimo diz:

      Por acaso, acho que nenhum dos dois tem razão.

      Não é apenas fascismo sádico, é liminarmente fascismo.

      Aposto que o Governo usará o canal concessionado para aulas de telescola dos alunos burros do básico

      «Governo lança ensino de profissões para os estudantes com notas fracas: Educação básica. Até ao 9.º ano, parte dos alunos terá de aprender três ofícios, como os de eletricista, talhante, agricultor ou canalizador.», in dn.

      Por outro lado talvez seja uma chance de pôr relvas a deixar de preocupar-se com os rapazes (do alface) e a ouvir – ao menos – os concertos para violinos de chopin e a ler a sartriana fenomonologia do ser, a utopia de Mann ou os quatro cantos dos lusíadas.

      • Carlos Vidal diz:

        Acho que o tipo, pior, nem sabia quantos Cantos tinha!…..
        Não o leu, nem lerá, nem sabe o que é, nem o que se perde com isso.

        Quanto ao fascismo sádico, meu caro amigo, deixa estar o “sádico”, senão vêm os do costume com infindáveis discussões terminológicas.
        Abraço
        cv

  5. Ser Nazi é ser Nacionalosta diz:

    Ser fascista é ser nacionalista.
    Quem é nacionalista não vende a RTP, não vende a EDP, não vende a TAP, não vende os CTT.

  6. Fascismo puro e duro. Uns grandes filhos da puta. Isto já não tem nada a ver com polítca. Entrámos no reino da canalhice Estatal levada a cabo pelos mais puros dos puros canalhas!

  7. Justiniano diz:

    Uma extraordinária fotografia, caríssimo Vidal!!
    Genuinamente expressivo, profundo contentamento!!
    Deste Broges, que não conheço, sinceramente, tenho a ideia de um elefante numa loja de porcelanas! Imaginemos o comprazimento de um elefante numa loja de porcelanas, sabendo-se elefante e que, assim sendo, lhe não poderiam apontar qualquer dano ou perecimento!! Imaginemos, partir louça com licença e alvissaras!! É a expressão da fotografia!
    Muito me queria nesse lugar e condição!!

  8. Justiniano diz:

    Imagenemos agora, meu caro Vidal, este mesmo Borges, ar carregado pela chama da ira dos justos, num assomo de pura transcendência, concluir, animado de um profundo e genuíno desprezo patriótico, e que eu secundaria fanaticamente, dizia, concluir pelo total e imediato encerramento da coisa RTP, ordenando, acto contínuo, pelo eclausuramento, em laje de chumbo, de toda a parafernália infraestruturada daquela coisa, e que apenas ondas electromagnéticas se pudessem apreciar naquela funesta frequência.
    Justificando, pela impossibilidade lógica, moral e ética de justificar Portugal!! Era de Borges, não!!??

    • Carlos Vidal diz:

      Ainda por cima se chama Borges (há cada uma!…).

      Ponha-o na loja, acompanhe-o do nosso amigo Salgado…. e festejemos.

      Alguém mandaria depois a loja (com Pacheco Pereira lá dentro, que anda efusivo com as austronáuticas notícias) para Marte, que sei eu?

      E, depois, se calhar, por cá, nada mudaria.

      • Justiniano diz:

        À espera do Pacheco Pereira para o que quer que seja só mesmo este meu teclado (está cada vez pior, o meu teclado e eu, razão pela qual aqui me penitencio, meu caro Vidal, por tão desatinada escrita em erros de ortografia)!!
        Daquele S…., recuso qualquer comentário! Aquele não existe, simplesmente, as palavras ainda não foram suficientemente vergastadas para poderem produzir formas de palavras que possam ali caber!!
        Largado em marte seria o tipo capaz de perturbar, a crédito e inflacção especulativa, a gravidade de júpiter!!
        Impensável arriscar tal coisa! Já Roma temia júpiter!!

        • Carlos Vidal diz:

          Nosso “amigo” de estimação, aquele S., que enegrece qualquer buraco negro (portanto, Marte será poupado).

  9. Dezperado diz:

    Fascismo????? mas voces sabem o que quer dizer essa palavra???

    • De diz:

      Sim.
      Agora leia os escritos.

      (Mais uma vez um pontapé nos tomates a quem não os tem.
      E mais uma vez, muito bons alguns dos comentários.)

    • Antónimo diz:

      Sim, enviar crianças para escolas de aprendizagem forçada é sádico, mas também é fascismo.

    • Antónimo diz:

      Lembrei-me de outra. Forçar os miseráveis a viver do rendimento mínimo a trabalhos forçados em vez de os inserir e encontrar alternativas laborais sérias.

      Por muito que muitas e piedosas almas se embeveçam com a bondade destas ideias, nada as afasta desse campo.

  10. ansomilo diz:

    Este borges além de moço de recados da quadrilha que tem roubado o Zé Povinho e, pelo contrário distribui pelos amigos os proventos da gatunagem, depois da sua bestialidade ao sugerir cortes nos salários dos trabalhadores tem a verborreia de,qual sabichão do reino e a mando dos seus chefes do bando propor a dádiva da RTP a, quiçá alguns abutres que, apesar dos prejuízos da dita os herdeiros do negócio teriam um lucro de 20 milhões. Ora afinal o que ou quem é que está a meter a mão na massa, se sim porque não corrigir o mal em vez de entrgar o ouro aos bandidos. Já agora e a propósito, ouvi um dia deste no programa da RDP (antena aberta) um cidadão de Alter do Chão a denunciar esta personagem sinistra que, qual ladrão/vigarista, usava por artimanhas a água, julgo da rede pública, para regar os “seus” campos agrícolas. E é este tipo de gente de que o País está à mercê e, como tal só resta uma solução, escorraçar estes bandalhos e fazê-los cair da cadeira.

  11. Rascunho diz:

    Para quê ser indirecto quando pode ser em directo?

    Alguns pulhas, que pontuam pela bloga fora, entre a media e afins, esquecem-se que há um propósito obscuro em mostrar que a RTP (e tantas outras empresas públicas), é inviável. Para além de terem sempre a mesma estratégia, na maioria dos casos, ainda têm a desfaçatez – antes da “transição” – de fazerem as remodelações necessárias, com dinheiro público, sabendo que está iminente uma privatização.

    Como se fode, em bom português, um bem público em prol de uma “aquisição” privada:

    1. Corrompem a gestão (parte dela) de topo.

    2. Colocam uma programação medíocre, afastando o público alvo (rtp).

    3. Justificam o “despesismo”, num bailado que transcende o Pascoaes, empregando pessoas para além do necessário – que não faltem justificações para as crucificações.

    O que se segue não é uma questão de nacionalismo – é uma questão de justiça para com a corrupção que tresanda: andaram e andamos anos e anos a sustentar inúmeras empresas públicas para serem profanadas, saqueadas, estropiadas de um dia para a noite por meia dúzia de fdp?!

    Já o disse há mais de uma década e repito: aluguem o Mosteiro da Batalha; hipotequem o dos Jerónimos; vendam o Castelo de São Jorge e, sobretudo, sa(o)ldem os buracos que vos pariram, de onde nunca deviam ter saído… Resumindo: vão gozar com o caralho!

Os comentários estão fechados.