Já assinaram o óbito…

… e já escolheram o cangalheiro.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Já assinaram o óbito…

  1. Baresi88 diz:

    Não dá o dito cujo. O que é que tinha a página?

    • Renato Teixeira diz:

      Isto:

      Privatização
      Ministro diz que modelo para a RTP será anunciado por Relvas
      25.08.2012 – 14:31 Por Lusa, PÚBLICO
      Votar | 10 votos 5 de 7 notícias em Política« anteriorseguinte »

      Aguiar Branco considerou a posição de António Borges apenas uma “opinião” (Foto: Raquel Esperança)
      O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco, recusou hoje reabrir o debate em torno da privatização da RTP, e garantiu que o anúncio do modelo escolhido será feito pelo ministro da tutela, Miguel Relvas.
      Com vídeo

      “Não aceito que se vá agora enviesar uma discussão para saber se se deve ou não privatizar a RTP, que é o que vejo no debate público. Essa linha de orientação estratégica foi apresentada aos portugueses no programa de Governo apresentado nas eleições, os portugueses disseram ‘sim’ e este Governo, têm que se habituar, cumpre as promessas que faz”, afirmou Aguiar Branco à margem da inauguração oficial da 39.ª edição da Capital do Móvel, em Paços de Ferreira.

      Garantindo que haverá “seguramente privatização da RTP” e sustentando haver “muitos exemplos no próprio país” de que “o serviço público pode ser exercido por uma empresa que não seja pública”, o ministro reforçou que o modelo “será anunciado, no momento certo, pelo ministro responsável da tutela”.

      O facto de ter sido António Borges, consultor do Governo para as privatizações, a confirmar a intenção do executivo em concessionar a RTP e de encerrar o canal 2 – em vez de ser o ministro dos Assuntos Parlamentares, que tutela a comunicação social, a fazê-lo, criou mal-estar na coligação, com o CDS a reagir com violência à aparição de Borges.

      O ministro da Defesa procurou desvalorizar a onda de reacções, mesmo no interior do PSD, afirmando que a posição assumida pelo economista não foi “nenhum anúncio do Governo em relação a esta matéria”, mas apenas “uma afirmação” e uma “opinião”. “A apresentação do modelo [de privatização] será feito por quem de direito”.

      “O que é indiscutível é que todas as privatizações que aconteceram em Portugal, e seguramente não vai ser diferente neste caso, são apresentadas pelo Governo e pelos membros do Governo que tutelam as respectivas pastas”, assegurou.

Os comentários estão fechados.