A única resposta séria ao massacre: «África do Sul: greve em Marikana estende-se a mina vizinha»

«Cerca de 600 perfuradores de uma mina perto da cidade de Rustenburg concentraram-se em frente ao poço onde trabalham iniciando, à semelhança do que aconteceu em Marikana, uma paralisação. Também na mina de Tembelani, na mesma região, os trabalhadores deram um prazo à administração da empresa para responder às suas reivindicações de aumentos salariais». Ler o resto no Esquerda.net 🙂

Foto: um dos dirigentes da greve de Marikana

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a A única resposta séria ao massacre: «África do Sul: greve em Marikana estende-se a mina vizinha»

  1. closer diz:

    Parece que há dois dias atrás o portal esquerda.net estava ao serviço dos que estavam contra a luta dos mineiros…

    • Raquel Varela diz:

      Há 2 dias atrás o esquerda-net fez uma notícia ofensiva de um sindicato e dos trabalhadores sem o sustentar. Não sei a serviço de quem nem isso nunca foi referido.
      Agora fez uma boa notícia. Humores da vida.

Os comentários estão fechados.