Em recuo para a barbárie

Um tipo que mata uma pessoa com uma arma pode estar 20 anos preso, mas o que mata uma pessoa com um cão pode estar 2 anos preso. É isso? O que é que isto quer dizer? Que devemos todos ter um cão assassino de crianças, cuspir na cara do vizinho pela manhã, violar o filho e dar porrada na mulher? Alguém se lembra que quando tudo isto começou éramos macacos e que a civilização constrói-se (e impõe-se?).

Foi preciso muito para chegar até aqui, ao dia em que acordamos de manhã, e podemos cantar como o Chico, «a minha casa é de quem entra». Foi preciso aprender a viver com os outros, em harmonia, partilha e bem-estar.

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 Responses to Em recuo para a barbárie

  1. Carlos Carapeto diz:

    Nem tudo podem ser más noticias, por vezes também somos obsequiados com aquelas que nos enchem de imensa alegria.

    Yara al-Salleh Abbas foi libertada com os outros dois membros da equipa da Al-IkhbariyaTV que tinham sido raptados por o “exercito livre da siria”.

    Aqui: http://www.voltairenet.org/La-periodista-Yara-Saleh-liberada

  2. Carlos Carapeto diz:

    Por vezes também nos chegam as boas noticias que nos dão imensa alegria.
    Como a da libertação de Yara al-Saleh Abbas e dos seus companheiros raptados por o denominado “exército livre da siria” menos sorte teve outro dos elementos do grupo que foi barbaramente assassinado.

    Aqui; http://www.voltairenet.org/La-periodista-Yara-Saleh-liberada

  3. Luis Parreira diz:

    O tipo que mata intencionalmente alguém com uma arma apanha 20 anos, enquanto que quem por negligência é responsável por um cão ter morto apanha 2 anos. Será que o autor não vê uma diferença nestes dois crimes e acha mesmo que deviam ser punidos da mesma forma?

    • Raquel Varela diz:

      Não, o autor não vê. Quem tem cães deste calibre não é negligente.

    • imbondeiro diz:

      Há uma diferença: uma é uma arma ( máquina; objecto inanimado); outro é um animal ( mamífero; objecto animado e com vontade própria). Ambos têm uma característica comum: são mortais. Logo, penso que a pertença e o usufruto tanto de uma arma de fogo como a destes bichinhos deveria ser equiparada. Tão simples quanto isto.

  4. Tima diz:

    Cara Raquel. Infelizmente neste país pode-se sempre ir ainda mais baixo na desumanidade.
    Tenho uma vizinha que foi atropelada mortalmente numa passagem de peões e o meliante que a matou nunca passou um dia na prisão limitando-se a ir a tribunal onde lhe foi posto uma multa indminizatória de 25 mil euros. É quanto custa matar alguém com um automóvel. É mais barato e seguro que mandar alguém fazer o “serviço”. Portanto esqueça lá o cão perigoso e se tivermos que fazer façamos com um automóvel que isso de ter cão dá muito trabalho… Enfim! País surreal…

  5. Carlos Carapeto diz:

    Ao tentar colocar o primeiro comentário a Net bloqueiou, ficou a página em branco. Afinal também foi aceita.

    Melhor assim, dá mais ênfase à noticia.

  6. Responde Carapeto diz:

    Este Carapeto é mesmo um porco!

  7. Justiniano diz:

    Cara Helena Matos, belíssimo texto!! Sim, haveremos de consagrar a civilização da barbárie contra a barbárie! Haveremos de ensinar adultos letrados a ler e a pensar!! Ensinaremos, em homenagem à história, aos macacos a natureza de um tragédia para assim saberem sentir, uma, quando ocorre e saberem viver à altura dela!!
    E tudo e muito mais!!
    Cordialmente,

  8. imbondeiro diz:

    Neste país de brandos costumes, se alguém pretender ter uma licença de uso e porte de arma PARA CAÇA, é o cabo dos trabalhos. No entanto, toda a gente pode ter um bichinho que, independentemente da vontade do seu dono, aleatoriamente mata. E não me venham dizer que estas raças de cães em questão são muito meigas e que se dão excelentemente com criancinhas: elas foram apuradas para serem o mais agressivas possíveis e terem a capacidade de matar. O resto é paleio de atrasados mentais.

  9. Já se lembrou que o “tipo” de que fala é o mesmo a quem o cão da casa estralhaçou a filha?!!! Não colocando em causa a sua responsabilidade no que aconteceu, mas lembrou-se, por momentos, do sofrimento por que ele está a passar? Percebeu que o tipo é pai da bébé, certo? E ele é o único responsável? E a mãe da criança?… Desapareceu do filme????? Você já teve um cão? Familia? Fica-se na dúvida. Sabe, todos os cães são bonitos, mas um dogo argentino é realmente bonito (do tipo grande e bonito…) e as pessoas, mesmo as que vivem em partamentos, ás vezes gostam de ter bichos vistosos… O problema é que dogos argentinos não são cães de apartamento (são mais cães de quinta…) e nunca, mas nunca se deixam crianças pequenas sozinhas com cães grandes.

  10. Justiniano diz:

    Cara Raquel, belíssimo texto!! Sim, haveremos de consagrar a civilização da barbárie contra a barbárie! Haveremos de ensinar adultos letrados a ler e a pensar!! Ensinaremos, em homenagem à história, aos macacos a natureza de um tragédia para assim saberem sentir, uma, quando ocorre e saberem viver à altura dela!!
    E tudo e muito mais!!
    Cordialmente,

Os comentários estão fechados.