“Quando o povo tem fome tem o direito de roubar”

Belmiro de Azevedo já o havia afirmado com propriedade. Anteontem, um grupo de companheiros do Sindicato Andaluz de Trabalhadores (SAT) dirigiu-se a dois supermercados, um em Sevilha outro em Cadiz, e levou bens essenciais para os distribuir pela população.
Juan Manuel Sánchez Gordillo, alcalde (presidente da câmara municipal) de Marinaleda e deputado andaluz da IU (Esquerda Unida) esteve onde devia estar, com o povo que o elegeu.
O membro da direcção do grupo parlamentar do PP e ex-presidente da câmara municipal de Cordoba, Rafael Merino, logo declarou:

Gordillo respondeu:

Marinaleda, não tem polícia municipal.

(fonte)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a “Quando o povo tem fome tem o direito de roubar”

  1. Pisca diz:

    Ficaram todos ofendidos ainda se fosse uma coisa deste tipo:

    http://www.youtube.com/watch?v=QyLZCIkRFj4&feature=share

    As Freiras a recolher alimentos num sitio de ajuda a necessitados e a preparar refeições no seu estaminé onde cobravam 600 euros a cada “alojada”, durante 10 anos, sempre era mais interessante

    Nota: As freiras já pediram desculpa e prometeram não repetir

    • tóbom diz:

      … até à próxima,quando forem apanhadas.

    • Antónimo diz:

      não é um campo em que a freira isabel jonet não tenha também farto proveito.

      pode não revender a comida, mas faz pior.

      Se existe gente que se alimenta da fome dos outros e vive á custa dela isabel jonet é uma delas.

  2. Edgar diz:

    “A mesma resposta que Rajoy dá aos espanhóis e às espanholas estamos nós a dá-la ao governo. … Quando ocupamos bancos, quando ocupamos terras … fazemo-lo, como dizem eles, por imperativo legal, por necessidade…”
    http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2012/08/09/sindicato-da-andaluzia-apoiou-roubo-de-comida-como-gesto-simbolico-contra-a-crise

  3. menvp diz:

    DISPENSA-SE: o pessoal que anda por aí a barafustar… reivindicando que os políticos sejam uns ‘paizinhos’!…
    PROCURA-SE: pessoal que queira TRABALHAR no sentido de controlar a actividade política:
    -> os políticos não são, nem podem ser, uns ‘paizinhos’!
    -> os cidadãos não podem ver os políticos como uns ‘paizinhos… devem, isso sim, é exigir uma maior fiscalização e controlo sobre a actividade política!
    -> toca a abrir a pestana: DIREITO AO VETO de quem paga (vulgo contribuinte) – veja-se o blog «fim-da-cidadania-infantil».
    .
    Nota: A ‘coisa’ não pode ser vista como «trigo limpo, farinha Amparo»… isto é, ou seja, no meio de de políticos não-corruptos poderão sempre existir políticos corruptos – e vice-versa -,… consequentemente, como é óbvio, é MUITO MUITO importante que os políticos não-corruptos se sintam apoiados pelos contribuintes… e, como é óbvio, o Direito ao veto do contribuinte… será uma forma de os contribuintes apoiarem os políticos não-corruptos.

Os comentários estão fechados.