«Somos um exército» «É preciso organização»

Dos bairros mais pobres, dos mais pobres, chegam sons da consciência  de classe. Não são uma multidão, são trabalhadores, pouco qualificados, desempregados, nas franjas da sobrevivência. Sem organização vão continuar a ser, não um exército de luta, mas um exército de desempregados.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a «Somos um exército» «É preciso organização»

  1. JgMenos diz:

    Eis uma excelente oportunidade para a Raquel mudar de bairro e testar as suas convicções fora da comodidade burguesa!

  2. Carlos Carapeto diz:

    O que Raquel escreve sobre a situação destas pessoas não esclarece ninguém! É muito pouco saído de alguém que conhece a origem deste tipo de fenomenos sociais.

    Prestava melhor serviço a todos se fosse capaz de denunciar as causas que provocam este genero de exclusão social que nos devia envergonhar a todos. Em particular um tal JgNada acerrimo defensor do sistema politico criador desta chaga humana.

    Raquel; tratar apenas os efeitos de uma epidemia não resolve nada, outros continuam a ser infetados, temos que eliminar as causas.

    A sua tacanhez (talvez falta de coragem) em apontar

    • Carlos Carapeto diz:

      A ultima frase entrou involuntariamente. É o que faz escrever os comentários diretamente aqui no blogue sem revisá-los
      As minhas desculpas.

Os comentários estão fechados.