Da coerência

O autista Samuel de Paiva Pires, embora sempre cómico, ainda não deve ter-se apercebido que não só não sou patético, como não é por estar no 5dias que me atravesso seja por quem for, e muito menos sou responsável pelas atitudes ou defendo alguém do 5dias pelo mero facto de ser do 5dias. Eu sei que isto da liberdade individual é coisa que faz confusão a tipos do CDS, mas, pelo menos, já vai sendo tempo de perceberem que nem todos somos adeptos da futebolítica, pelo que o ataque passa mesmo ao lado. Já quanto ao resto do post, é a habitual infelicidade parola e mentecapta de quem possui um sistema nervoso infectado pela infantil doença do fascismo. Nada a fazer.

Assim mesmo e sem correcções, a partir disto e a propósito disto.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Da coerência

  1. Pingback: Patético (3) | Samuel de Paiva Pires

  2. Diogo Silva diz:

    Já vi que realmente o “Sr.” Tiago não vive no mesmo mundo que o resto de nós, mas isso não lhe da o direito de usar a pior forma de mentira que eu conheço, a demagogia.
    Qual o perigo de ser demagógico, eventualmente estará a perguntar-se, é que mentir descaradamente quanto ao impacto que certas culturas e ideologias tiveram na vida de milhões de pessoas e ainda a defender como se de algo bom se tratasse torna-se ridículo mas mais grave é o desrespeito pelo ser humano em geral. Uma ideia nunca é superior à dignidade humana. Não sendo do CDS e votando em branco em todas as eleições (e dou-me ao trabalho de ir votar) sinto-me ofendido por alguém que defende que uma ideologia deve ser imposta sobre outra.
    Não sei se alguma vez se deu ao trabalho de ler outros autores que não os comunistas mas rapidamente se ia dar que é impossível “tornar todos iguais” uma vez que não o somos e acho ainda mais cómico que o caminho para que isso aconteça seja uma elite tornar os outros mais iguais à força.
    Gostaria saber onde vai Sua Excelência buscar o conceito que o comunismo e liberdade individual e que o Liberalismo serve como base para a supressão das liberdades individuais.
    Quanto ao Samuel também me mete vergonha ver uma mente que tem me parecido sempre organizada ter descarrilado da sua habitual forma estruturada de pensar e ter caído na sua demagogia barata e no seu estilo de insulto fácil. Matam-se mas com argumentos validos, não falaciosos e poderá ser que ajudem alguém a crescer intelectualmente.

    Serão os dois homenzinhos o suficiente para pararem com as merdinhas? Duvido

    • Miguel diz:

      ‘Liberdade individual’ (liberdade de expressão?) sem liberdade material é um mito. Nunca existiu.

      Ninguém actualmente vive sozinho no mato, ou a plantar couves no quintal. Sem liberdade material, o “liberalismo” vende-se de imediato á escravatura.

  3. Pingback: Rating BB/B para o Samuel | cinco dias

  4. Antónimo diz:

    «Gostaria saber onde vai Sua Excelência buscar o conceito que […] o Liberalismo serve como base para a supressão das liberdades individuais.»

    Terá perdido qualquer palavra com que nessa frase se referia ao comunismo, mas quanto ao facto de que o liberalismo suprime as liberdades individuais isso está mais que evidentemente provado na realidade que se vive.

    Não se pode ser livre se não se tiver dinheiro para pagar as contas e como o liberalismo vive da falta de empregos…

    Depois, Georges Orwel escreveu sobre a vigilância totalitária em 1984, um estado que finalmente vamos alcançando ao abrigo do liberalismo vigente repleto de Big Brothers.

  5. Pingback: É o que dá terem deixado sair as hienas da prisão em liberdade. Cães que rosnam, cães que traem, agora passeiam na cidade mas felizmente já não são mais que 89. | cinco dias

Os comentários estão fechados.