Na fila dos burros, por favor

Nuno Crato vai introduzir a seleção de alunos na quarta classe. Dizem por aí que é o sistema alemão. Digo eu por aqui que não é. Na Alemanha, um operário qualificado tem um salário, por baixo, de 2200 euros, que corresponde a um bom salário de um professor do liceu na Alemanha. Ou seja, a disparidade salarial entre trabalho manual e intelectual é muito menor do que em Portugal. Já não falo do salário social (acesso a serviços públicos gratuitos). Por cá, dividir as crianças na quarta classe significa criar um contingente de força de trabalho que vai para o ensino “técnico profissional”, e quem em Portugal significa pouco mais que servir às mesas e ouvir 8 por horas por dia o pi…pi…pi…pi…pi…pi da caixa de supermercado, por 432 euros líquidos por mês. Desconheço se haverá alguma organização política de pais, para além das Associações de avós, lideradas por Albino Almeida e um tipo que se diz presidente da Associação de Famílias Numerosas, para agir contra esta brutalidade.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to Na fila dos burros, por favor

Os comentários estão fechados.