“Ustedes, no pasarán!”

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 Responses to “Ustedes, no pasarán!”

  1. Pingback: Manifesto de Sabino Cuadra |

  2. JgMenos diz:

    A Dolores também o disse, e tinha o ouro do Banco de Espanha em mãos da maior confiança!
    Só palavras e poucas contas.
    Nunca a esquerda teve a coragem de pôr travão a políticas de crescimento e emprego baseadas no cimento, agora vem a factura!

    • Bruno Carvalho diz:

      De que esquerda está a falar? Da direita que se diz de esquerda?

      • Carlos Carapeto diz:

        Não! Está a queixar-se da esquerda dele. Nem para bater uma segóvia serve. (Bruno desculpe a ironia).

        “Nunca a esquerda teve a coragem de pôr travão a políticas de crescimento e emprego baseadas no cimento, agora vem a factura!”

        Só falta culpar a esquerda por a seca. Não rezaram o suficiente como a ministra impôs . Este governo não pede a colaboração, impõe.

    • De diz:

      Mais uma vez a aldrabice factual a sobrar nas palavras de JgMenos.
      Ou seja.Para o somatório dos JgMenos , a tal dita “esquerda” contabiliza como “democrática” quando interessa atestar o “isolamento” da esquerda coerente.
      Quando interessa outra coisa e se pretende apontar o dedo às políticas dos das terceiras vias e quejandos…temos então já a “esquerda” como responsável.
      Compreende-se.Os neoliberais têm que dar a entender que não têm governado a Europa. A merda feita é tanta que têm que tentar aparecer como virgens púdicas não comprometidas com.
      Pois enganam-se,já que não passa.O virar o disco e tocar o mesmo já teve melhores dias.Para todos os efeitos a trampa que tem governado Portugal tem sido a mesma,desde há dezenas de anos.Um deles,Cavaco, está lá há um ror de anos.Os responsáveis pelo tal crescimento baseado no cimento estão aí para comprovar a qualidade dos pulhas em exercício.No governo ou nas administrações das empresas privatizadas que saquearam e saqueiam.Um Borges ou um Catroga ou um Ferreira do Amaral não são tão facilmente esquecidos como o pretende JMenos.
      O saque tem que ser retirados aos criminosos mafiosos, concentrado que está nas mãos de meia-dúzia.A nacionalização dos sectores básicos da economia está na ordem do dia.
      As aldrabices não passam.Nem as tentativas infames de fazer pagar a factura pelos que não foram responsáveis pela dita.

      • JgMenos diz:

        A bolha imobiliária é coisa recente em Espanha.
        Por cá, teve fundamentos de direita e impulsos de esquerd:
        – o Salazar congelou as rendas em Lisboa e Porto
        – O Salazar propôs ‘uma casa para cada família com as casas sociais e de renda condicionada.
        – o 25 generalizou o princípio das rendas congeladas, os despejos improváveis – quem resiste a lixar os senhorios?
        – o 25 fez o direito à habitação, os juros bonificados, o crédito abundante, as Câmaras a desbundar receitas do licenciamento
        – comprar casa era mais barato que alugar – grande conquista progressista!
        – quem compra casa cria raízes; que coisa mais justa que emprego para toda a vida e casa própria (fica um bocado longe, mas os transportes subsidiados são baratos!)
        Tudo muito justo! Chegou a conta!

        • De diz:

          Quem foi responsável pelas campanhas habitacionais e pelo modelo seguido foram os próprios governos que se sucederam.Ou seja PSD,PS PP.O seu modelo económico.
          Vir com cantigas tentar apagar os factos não passa.A responsabilidade da governação é de quem a teve.O resto é paleio para esconder o lixo para debaixo do tapete

      • JgMenos diz:

        Uma palavrinha para as «…A nacionalização dos sectores básicos da economia está na ordem do dia.»
        Parvoíce total!!!
        Uma classe política que promove o liberalismo pela via mais obscena, que é a corrupção; que vive na mais absoluta promiscuidade com o capital, promovendo a sua pior face, que é o parasitar o Estado; a solução é meter-lhes na mão os sectores chave da economia?
        Tudo isto para além de ser uma impossibilidade total.
        E onde é que a esquerda coerente – isolada porque tem uma ideologia absurda e comprovadamente danosa – tem gente e carácter para construir uma solução coerente, ainda que se aceite que nacionalizar não é por si só um mal?

        • De diz:

          “Uma classe política que promove o liberalismo pela via mais obscena, que é a corrupção; que vive na mais absoluta promiscuidade com o capital, promovendo a sua pior face, que é o parasitar o Estado; a solução é meter-lhes na mão os sectores chave da economia?”
          Mas nem pensar.
          Ainda não percebeu que esta classe política tem que ser afastada irremediavelmente do poder?Para que se possa dar início a qualquer coisa que não passe pela governação dos grandes grupos económicos?

        • De diz:

          Quanto à gente para construir uma alternativa etc e tal.
          Vamos a Marx:
          “Os homens nunca renunciam ao que ganharam, mas isso não quer dizer que não renunciem à forma social em que adquiriram certas forças produtivas. Muito pelo contrário. Para não serem privados do resultado obtido, para não perderem os frutos da civilização, os homens são forçados a mudar todas as suas formas sociais tradicionais, a partir do momento em que o modo do seu comércio já não corresponde às forças produtivas adquiridas.”
          E o mesmo Marx:
          “”No século XVIII uma multidão de cabeças medíocres estava ocupada em encontrar a verdadeira fórmula para equilibrar as ordens sociais, a nobreza, o rei, os parlamentos, etc., e no dia seguinte já não havia rei, nem parlamento, nem nobreza. O justo equilíbrio entre esse antagonismo (conclui Marx) era o derrube de todas as relações sociais, que serviam de base a essas existência feudais e ao antagonismo dessas existências feudais.”

          “Marx mostrava aqui como são inúteis as tentativas de conciliar os termos irredutíveis das contradições sociais quando elas chegam ao seu ponto culminante – isto é, quando as sociedades se abeiram do seu termo histórico.”

          “Estamos a viver a falência do sistema produtivo capitalista que chegou a um limite, que entrou na sua fase senil”
          Com isso está em causa todo o edifício social que assenta nesse sistema produtivo. As contradições em que o capitalismo está enredado não podem ser resolvidas dentro dele próprio; só uma revolução social o pode fazer da única maneira viável: pondo fim às relações sociais capitalistas.

          Consequentemente, a acção do comunismo marxista, tem de ser guiada por este propósito se quiser ter um papel na transformação social que está em gestação.”

          As conclusões são de Manuel Raposo.Eu subscrevo-as.

          Gente e carácter?Trabalhamos para isso.

          Mas há mais.Muito mais

      • De diz:

        Tretas.
        “Impulsionada pela esquerd” só nos sonhos dos aldrabões que andam a tentar apagar a governação da direita na governação
        Os factos são uma coisa tramada.O homem do cimento,o Cavaco aí está para o confirmar
        🙂

      • De diz:

        O direito à habitação é um direito constitucional.O direito à exploração pelos patos bravos do capitalismo é um direito da classe dos exploradores.Eles engordaram.Um exemplo concreto.Um tal Ferreira do Amaral, ex-ministro de Cavaco,tubarão laranja e metido na trampa das PPP até ao pescoço

  3. Ramon Mercader diz:

    Grande, espectacular intervenção!

  4. Caxineiro diz:

    Cojones!

Os comentários estão fechados.