É oficial!

Vamos ter que esperar pelo Avante para ouvir o anúncio da próxima Greve Geral. É que nisto das condições objectivas e subjectivas não é qualquer patego que tem direito à sua opinião.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a É oficial!

  1. i.tavares diz:

    Qual é o problema meu? Conheces outra organização?

    Diz lá s.f.f.

    Um abraço amigo.

  2. Vasco diz:

    Esta não percebi, pá. Queres uma greve geral em Agosto, é? Era fixe e com boas hipóteses de sucesso. Entretanto, há lutas a decorrer em muitas empresas deste país, que engrossarão e criarão as condições para a tal greve geral que há-de vir e para a qual tu não terás qualquer papel real. Que primarismo, pá…

  3. Joaquim diz:

    O Renato Teixeira, vê-se mesmo que não entende, penso que por ignorância, do mundo do trabalho em Portugal; tal como muitos burocratas.

  4. António Figueira diz:

    Marca tu caralho! Porque é que não marcas uma greve geral? estás a espera daqueles a que chamas “burocratas” porquê? O movimento dos sem emprego não marca porquê? Não me venhas com a conversa de que não é uma central sindical… de certeza que não são esses formalismos que te impedem. Vá lá Renatinho marca lá a greve geral que assim deixas de andar a medir pilinhas com espanha…

    • Renato Teixeira diz:

      Nem eu, nem tu, nem o MSE, nem o grupo dos amigos do chinquilho, nem, pasme-se, a CGTP.

      • António Figueira diz:

        Sabes porque é que não marcas tu uma greve geral? Porque és um merdas anticomunista, que se está bem cagando para os trabalhadores e para a sua luta e o teu único objectivo é atacar a CGTP-IN e o PCP. Toda a gente que te lê sabe perfeitamente o que a casa gasta: se se marca uma greve geral, “a cgtp sabe lá o que esta a fazer, o quer era preciso eram umas manifestações”, se se marca uma manifestação: 1. marca-se uma manifestação p uns dias depois. 2. se a coisa não estiver a ter uns empurrões de jornalistas amigos então “a cgtp sabe lá o que é lutar o que era preciso era uma greve geral”. Na verdade, para merdas como tu e a raquelinha, isto (as greves, as manifestações, o que quer que seja) são meros instrumentos para atacar quem realmente luta em Portugal. No máximo servem para te ir dando uns palcos para tentares aparecer. Mas olha fica sabendo: no piquete da carristur que esteve há dias em greve (e que tu insultas ao dizer que em Portugal a luta está de férias) ninguém faz ideia de quem tu és.

        • Renato Teixeira diz:

          Sabe o race2 e isso basta-me.

          A coisa é mais simples do que imagina. Veja bem: são precisas greves-gerais e quem as marca é a central não os trabalhadores individualmente ou os desempregados. Estes, por sua vez, podem chamar por ela, assim ou de muitas outras maneiras, consoante a sua relação de forças.

          Durante as greves gerais há quem ache que além dos piquetes faz falta uma manifestação de protesto, que unifique todos os sectores que estiveram na luta.

          Não é nada de mais. É ver o resultado que tem dado por esta e outras bandas.

        • André Silva diz:

          António:

          Na mouche, especialmente a frase final.

Os comentários estão fechados.