Mudar para que tudo fique na mesma

Aqui está um dos motivos pelos quais não me vou manifestar amanhã pela demissão de Miguel Relvas: “Isto não é nem uma manifestação partidária, nem contra a crise, nem contra a ‘troika’, nem contra o poder político, nem contra o estado miserável em que o mundo está”, disse à Agência Lusa Miguel Gonçalves Mendes, um dos organizadores da manifestação convocada para amanhã. Portanto, quando Miguel Relvas abandonar o cargo e for substituído por alguém que nos lixe a vida mas que tenha uma licenciatura legítima já não há problema. Afinal é só a diferença entre ser violado com ou sem preservativo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.