O Estado da Nação

De acordo com o Banco de Portugal, este ano será o primeiro, desde 1943, em que a balança comercial portuguesa registará um excedente. Ou seja, o valor das exportações ficará acima do das importações. A notícia parece ser interessante para a economia nacional, se não pensarmos que o país, com um aparelho produtivo débil, tem de importar bens essenciais. Na verdade, o que a notícia revela é que há bens essenciais que não estamos a conseguir comprar e, não é por acaso que apenas tivemos este registo nos anos da 2ª Grande Guerra.  Portugal vive um contexto de guerra, sem tiros.
O país é um enorme campo de concentração ao qual só lhe faltam os muros – veremos se, mais dia menos dia os alemães não impõe restrições à circulação na UE de cidadãos gregos e portugueses – e a julgar por mais este artigo hediondo de Camilo Lourenço até já estão abertas as candidaturas para chefe de campo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

26 Responses to O Estado da Nação

Os comentários estão fechados.