Todos somos ilegales

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 Responses to Todos somos ilegales

  1. Carlos Segundo diz:

    Se o Sr. Bruno for uma pessoa decente, acredita como eu na propriedade privada e que este é um garante da liberdade.

    • Bruno Carvalho diz:

      Não, não sou uma pessoa decente. Eu ando há uns anos valentes para acabar o curso porque não tenho dinheiro para as propinas e para além disso não vivo da mais-valia que outros produzem. Para além disso, sou contra a propriedade privada dos meios de produção. Que se foda a sua liberdade.

      • De diz:

        Desculpa Bruno, mas não concordo contigo.
        És uma pessoa decente. A decência é o valor que nos faz conscientes da própria dignidade humana
        E só os que o são (decentes) é que ousam dizer não a esta trampa e que lutam por uma outra sociedade.Mais digna e humana.
        Mas isto já tu sabes.
        Abraço

    • Rocha diz:

      A mesma lógica que justifica a propriedade privada como uma liberdade, também dirá que a escravatura é uma liberdade.

      A guerra, a pedofilia, o tráfico de armas, o tráfico de orgãos humanos entre outros horrores são defendidos dentro dessa mesma lógica da propriedade privada. Enquanto isso seres humanos que procuram abrigo, alimentação e as condições mínimas de sobrevivência são tratados como ilegais.

      A propriedade provada devia ser abolida tal como foi abolida a escravatura.

    • eu diz:

      Pois,sr 2º,é oque vemos na Palestina!Decente,não é?

  2. Carlos Segundo diz:

    Sabe, Sr. Bruno, eu prezo muito a liberdade e graças a Deus não sou como o senhor que acredita no Pai Natal.

    • Bruno Carvalho diz:

      Graças ao Pai Natal não sou como senhor que acredita em Deus.

    • Índio Joe diz:

      Os seres humanos fizeram da Terra a propriedade, com as suas ideias de ganância e egoísmo, sempre com a ideia que a Terra foi criada para nós.
      Se alguma coisa devemos compreender da história deste planeta, é que nós, os seres humanos chegamos tão longe (até este dia), devido à generosidade da Terra. A Terra deu-nos casa para morar. Por isso, temos de pagar a generosidade que a Terra já teve connosco com a generosidade de todos.
      GENEROSIDADE, Carlos Segundo, é uma palavra difícil de compreender pelas pessoas que vivem com a sua mentalidade, de querer para possuir e não para dividir.
      GENEROSIDADE é o inimigo da propriedade privada e da cultura materialista, daqueles que usam com intuito de desperdiçar a Terra.

      Abraço ao irmão e ser humano Bruno Carvalho
      A paz esteja contigo!

    • eu diz:

      nÃO RESPONDEU,2º,acerca da Sagrada Propriedade privada em ISRAEL???? porquê?ah! já não interessa…..vão-se f****!mais a religião e as ‘boas’ maneiras-foi o q vimos com o kadaffi….Petróleo,ouro meu,n’é,seu palhaço????

  3. luxemburgo diz:

    A revista “Time” levou este assunto à capa e partilha deste ponto de vista.

Os comentários estão fechados.