O que levou a esquerda parlamentar e a CGTP a ficar à margem do protesto pelo direito ao trabalho?

Via MSE.

O Movimento Sem Emprego volta hoje a reunir em Plenário e reafirma o convite a todos os que dizem lutar contra o desemprego e pelo direito ao trabalho. Em debate estará o balanço da primeira manifestação do MSE e perspectivas para o futuro desta luta, sendo que eu espero conseguir perceber, definitivamente, as agendas esdrúxulas dos suspeitos do costume.

A condição de precário, sub-empregado e desempregado, unificou militantes de praticamente todos os quadrantes da esquerda e pessoas sem qualquer tradição política e sindical, dando um exemplo cabal de que é possível pensar de forma diferente, decidir democraticamente e agir de forma centralizada.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

38 Responses to O que levou a esquerda parlamentar e a CGTP a ficar à margem do protesto pelo direito ao trabalho?

Os comentários estão fechados.