Genocídio Financeiro – «E eu pergunto aos economistas, políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar à miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico?» Almeida Garrett

“E as histórias são cada vez mais tristes, entre desempregados, pequenos empresários que a crise deixou falidos, ou pessoas sem dinheiro para a saúde, como o caso recente de um homem de 70 anos, de Creta, sem dinheiro para pagar os medicamentos para a dor que precisava para a sua perna amputada, ou de um homem de 60 anos que se atirou da janela junto com a sua mãe de 90 anos, em Atenas, aparentemente por os 340 euros da pensão da mãe, única fonte de rendimento dos dois, não chegarem para os cuidados de que necessitava. “

A propósito de mais um suicídio homicídio, na desta feita na Acrópole de Atenas. Quantos Dimitris Christoulas são precisos para sustentar um rico?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

86 Responses to Genocídio Financeiro – «E eu pergunto aos economistas, políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar à miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico?» Almeida Garrett

Os comentários estão fechados.