Avião militar turco abatido na Síria. Turquia convoca reunião de emergência da NATO.

Na tarde de sexta-feira, um avião militar turco que sobrevoava espaço sírio foi abatido. Entre as primeiras reacções, o presidente da Turquia admitiu que o aparelho havia entrado em território do país vizinho. Explicou que às vezes a velocidades tão elevadas é complicado os caças não entrarem no espaço de outros países. Uma resposta tão ridícula como a que se dava hoje sobre a missão daquele avião: testar radares. Por isso é que sobrevoava a tão baixa altitude. As autoridades turcas acusam as sírias de má fé porque não os avisaram e agora vêm dizer que, afinal, o caça foi abatido em águas internacionais e têm provas disso.

Em primeiro lugar, a Síria está em guerra. Nessa guerra, participam combatentes islamitas sírios e de outros países mas também mercenários ao serviço do imperialismo. São armados e treinados pelos países da NATO em solo turco. A Síria vive sob a ameaça de uma invasão. Parece-me bastante normal que se abata qualquer avião militar estrangeiro que invada o seu espaço aéreo. Ainda para mais se é turco. Contudo, a imprensa estrangeira vai cumprir o seu papel e seguramente vai continua a atribuir a culpa em tudo o que acontece na Síria ao seu governo.

A Turquia acaba de pedir uma reunião de emergência da NATO. Agora, o imperialismo já tem a desculpa que necessitava para encetar uma ofensiva declarada contra a Síria. Um dos seus membros foi atacado – não importa se foi enquanto invadia o espaço aéreo de outro país – e isso, automaticamente, abre caminho a uma legitimação imperialista da guerra. É que apesar de todas as ingerências externas, da barbárie terrorista perpetrada pelos islamitas, do envio de mercenários seja em nome de Alá ou em nome da NATO a oposição continua sem ter condições para sequer pensar em tomar o poder.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 Responses to Avião militar turco abatido na Síria. Turquia convoca reunião de emergência da NATO.

  1. eu diz:

    Rezo para que os russos enviem mais um Boulava,para a corja nazi da NATO pensar 2 vezes.Claro,q os islamitas não ´são inimigos do Império,como se vê na Turquia e aquela palhaçada infiltrada e comandada pelo MI 6,a Irmandade Mulçumana!!!!A Turquia é um regime fascista da ordem da Colombia-uma cambada de vendilhões e filhos da puta.Curdos?Depends on………………………….Mais um míssilpara iluminar o Próximo Oriente e arredores…já está na altura de haver uma guerra na europa.Votaram neles?populaça,vão se foder com o vossso voto em criminosos-está na altura de saldar contas.Só assim,é q esta ‘classe’ abrir os olhos,já q não se farta de abrir o olho do cú.I’m sorry!

  2. De diz:

    Os tambores da guerra mais uma vez…
    Rufando ao sabor do que uns néscios designavam como “império benigno”

  3. Carlos Carapeto diz:

    O avião era um RF-4 E. Uma aeronave de reconhecimento desenvolvida a partir do Phanton 4.

    Isto diz tudo.

  4. Pedro Pousada diz:

    Se a Russia nao compreender q a Siria esta para eles como a Espanha Republicana esteve para a URSS…obstar qualquer tentativa de agressao, e enfraquecer o poderio interventivo da NATO e assegurar q esta nao se aventurara n futuro numa confrontacao nas fronteiras da Russia.Infelizmente esta lideranca nao tem a envergadura d Stalin.

  5. LGF Lizard diz:

    Para os idiotas de serviço: lá pelo F-4 turco ter entrado em espaço aéreo sírio, tal não é motivo para o abater. Normalmente o que se faz é enviar caças para o interceptar e enviar de volta. Só se abre fogo em caso de recusa em abandonar o espaço aéreo.

    E se o governo sírio é tão esperto como os iluminados que o apoiam, já deveria saber que não pode dar desculpas para um envolvimento da NATO. E abater aviões de um país membro da NATO não é boa ideia.

    Ah, e ainda: o Bulava é um míssil intercontinental nuclear lançado a partir de submarinos. Outra arma que não se deve disparar contra países, principalmente se estes têm capacidade de retaliação. E uma guerra nuclear, meus senhores, caso não saibam, ninguém a ganha. Todos perdem.

    • De diz:

      Idiotas de serviço?
      Mas que grosseria é a deste para fazer tal afirmação?

      Depois as lições do manual de procedimentos são para mostrar o quê?Que os jogos de guerra nos sofás caseiros se prolongam em comentários públicos a armar ao pingarelho? Enviar caças para o interceptar?A escassas milhas da costa? Quanto tempo até lá?.Num país que, e cito o Bruno” está em guerra. Nessa guerra, participam combatentes islamitas sírios e de outros países mas também mercenários ao serviço do imperialismo. São armados e treinados pelos países da NATO em solo turco. A Síria vive sob a ameaça de uma invasão.”

      Mas desde quando se afirma que o governo sírio é tão esperto como os iluminados que o apoiam? Será possível alguém conseguir vislumbrar neste texto algo parecido com? Será necessário aconselhar Lizard a voltar à escola?Para aprender português e já agora boa educação?

      Algo de acordo todavia:numa guerra nuclear ninguém sai vencedor.Todos perdem

    • Carlos Carapeto diz:

      Tratasse de um avião de guerra, voando a baixa altitude, numa zona de conflito, num país ameaçado de agressão externa.

      Isto não será o suficiente para abrir os olhos a qualquer Xico esperto?

      E qual a justificação para abater um avião de passageiros Iraniano, depois de ser ter identificado?

      Essa mania de puxar a brasa à nossa sardinha, provoca sempre uma fortes queimaduras nos dedos.

  6. João Lopes diz:

    Sem dúvida que este incidente é o pretexto ideal para a Nato. A Nato provoca o incidente e colhe os frutos: O pretexto para mais uma guerra.

  7. xatoo diz:

    os turcos vieram dizer “que, afinal, o caça foi abatido em águas internacionais e têm provas disso”
    mas depois foram obrigados a admitir que houve intrusão no espaço aéreo da Síria:
    http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=2627874
    Se calha os Russos não terem fornecido equipamento para detectar ingerências destas a Turquia tinha-se escapado impune da situação. Assim a Síria pode passar à ofensiva diplomática: “Síria acusa a Turquia de apoiar os rebeldes”
    http://sol.sapo.pt/inicio/Internacional/Interior.aspx?content_id=52727

  8. Pedro Ferreira diz:

    Suponho que a liderança turca, num gesto de coerência, terá com a Síria a mesma atitude que teve com Israel quando este, numa acção militar sobre o navio Mavi Marmara, em 2010, matou oito ou nove cidadãos turcos.
    Apesar de serem situações diferentes – nem a Síria é Israel, nem um caça a violar espaço aéreo de um país soberano é um navio de apoio humanitário – com certeza que os turcos terão uma atitude consentânea que não discrimine países vizinhos em função de critérios nevoentos…

  9. André Silva diz:

    Mais provocações à Síria às quais esta tem de lidar com atenção redobrada, para tentar impedir ao máximo qualquer desculpa que sirva para “legitimar” a invasão do seu território.

  10. Carlos Carapeto diz:

    Li hoje na IRNA que Hamadineijad falou pessoalmente com o presidente Turco apelando à contenção, só que os falcões da NATO estão a incitar a Turquia ao desencadear da guerra.

  11. notrivia diz:

    Pequeno artigo a considerar tendo em conta todo o spin dos media mainstream que pelos vistos está bem pra lá de fora de prazo.

    http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=31570

Os comentários estão fechados.