Abrir as goelas… e o livro de contas.

Seria simples perceber a ilegitimidade da dívida e a extorsão que significa o seu pagamento. Se o Estado, a banca e as empresas com lucros acima dos 20% fossem obrigadas a abrir os seus livros de contas, deixaria de ser possível continuar a mascarar o assalto da dívida com a hipocrisia cristã do bom pagador. Não sobraria uma alma a insistir que quem foi assaltado ainda tenha que pagar franquia a quem lhe foi ao bolso, ao trabalho e ao modo de vida.

O Movimento Sem Emprego dá o exemplo em defesa desse método e publicou, no seu site, os resultados da sua campanha financeira. A origem e o destino de cada euro angariado é a prova dos nove da sua transparência, num gesto inaugural no campo dos movimentos sociais e uma lição de cátedra aos agiotas que debocham à custa da austeridade alheia.

Faltam 7 dias para a Manifestação Pelo Direito ao Trabalho!

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.